Notícias | Dia a dia | Australian Open
Confiança e memórias motivam Kerber em Melbourne
24/01/2018 às 07h32

Alemã se sente muito confortável no palco de seu primeiro título de Slam

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - De volta a uma semifinal de Grand Slam depois de ficar longe das fases decisivas de grandes torneios no ano passado, Angelique Kerber elenca as razões que a fizeram jogar tão bem neste Australian Open. Para a alemã de 30 anos, a confiança após dois bons torneios no início da temporada e as boas lembranças de duas temporadas atrás, quando venceu seu primeiro Grand Slam, foram fundamentais para sua atual fase.

"Já tenho muita confiança no meu jogo, porque eu comecei bem o ano, joguei bem em Perth e ganhei Sydney. Isso me deu muita confiança para vir para cá", disse Kerber, que iniciou a temporada com quatro vitórias na Copa Hopman e depois venceu o WTA Premier de Sydney.

"Além disso, tenho muitas lembranças. Nunca me esquecerei do que vivi aqui em 2016, então é por isso que me sinto tão bem. E eu conheço todos os lugares em Melbourne, sei onde posso ir se quiser, digamos, tomar um café ou ter um dia de folga. Isso me dá muita confiança para estar aqui e jogar o meu melhor", avaliou a ex-número 1 do mundo e atual 21ª colocada.

Após derrotar a norte-americana Madison Keys por 6/1 e 6/2 para obter sua sexta vitória em sete jogos contra a rival, a alemã explicou o motivo para uma atuação tão boa. "Sabia o que esperar. Quero dizer, Madison bate forte na bola e saca bem".

"Então eu estava tentando ser agressiva desde o primeiro ponto, me mover bem e colocar muitas bolas de volta me quadra", explicou a canhota alemã. "Acho que este sempre foi o meu jogo e que nas últimas semanas, eu tentei melhorar. Este também foi o plano hoje. Estou sentindo muito bem a bol"a.

Kerber agora se prepara para enfrentar a número 1 do mundo Simona Halep na semifinal prevista para esta quinta-feira, contra quem tem quatro vitórias e quatro derrotas. "Acho que será uma longa partida contra Simona, com muitos ralis longos. Eu joguei contra ela muitas vezes e sempre foi difícil e apertado".

Eliminada nas quartas de final, Keys falou sobre o quanto o jogo de Kerber a deixa pressionada. "Ela é incrível em mandar muitas bolas de volta e faz você se sentir como se tivesse que bater ainda mais forte do que você faria contra outras jogadoras, porque ela sempre vai mandar duas bolas mais".

"Acho que ela jogou muito bem. Senti que eu teria que tentar coisas diferentes, mas não estava jogando muito consistente. No primeiro set eu fui muito passiva e por isso eu sinto que não estava me movendo tão bem e não estava acelerando", explica a jovem norte-americana de 22 anos. "Então eu não estava muito feliz com a forma como joguei hoje, mas ainda assim eu estava lutando e tentando ficar no jogo. Às vezes você simplesmente não joga bem".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series