Notícias | Dia a dia
Becker afirma que quer ser enterrado em Wimbledon
23/11/2017 às 15h17

Becker comemora 50 anos nesta quinta-feira

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Aniversariante desta quinta-feira, dia em que completa 50 anos, o alemão Boris Becker recebeu uma homenagem do canal ARD, da TV alemã, que na véspera da comemoração transmitiu um documentário contando os passos da carreira do ex-número 1 do mundo, onde o próprio tenista revelou que gostaria de ser enterrado em Wimbledon.

"Quando morrer quero ser enterrado no velho cemitério de Wimbledon, a poucos passos do território onde protagonizei meus maiores feitos. É lá que quero estar, não em Munique ou em Monte Carlo", disse o germânico, em alusão ao cemitério que fica a um quilometro e meio do All England Club.

Becker também falou sobre sua relação com a capital inglesa e disse se sentir como um genuíno londrino. "Eu não sinto alemão e acho que nunca mais me sentirei, mesmo que meu passaporte diga que sou alemão. Sinto-me inglês, minha casa está em Londres", comentou seis vezes campeão de Grand Slam e medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.

Ele revelou que o tênis profissional não lhe traz apenas as boas recordações das vitórias que conquistou. "Eu ainda estou pagando o preço, sofro com aquele tradicional problema no cotovelo que aflige a maioria dos tenistas e tenho problemas no joelho. Também tenho o quadril machucado e uma articulação do tornozelo quebrada".

O sucesso de Becker não era uma coisa que se esperava dele no começo da vida. Günter Bosch, que acompanhou seus primeiros passos no tênis, garantiu que o alemão precisou de muito trabalho para chegar ao topo como conseguiu. "Ele era muito fraco quando criança, tinha uma barriga e pernas bem grossas e pesadas", lembrou.

"A Federação Alemã disse a Boris que ele não era bom o suficiente para brincar com as crianças e por isso o enviaram para brincar com as meninas", comentou Paul Zimmer, amigo de Becker em sua infância.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis