Notícias | Dia a dia
Grand Slam terão medidas para reduzir desistências
21/11/2017 às 13h50

Haverá incentivo para os jogadores que anunciarem a desistência antes do sorteio

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - A Federação Internacional de Tênis (ITF) anunciou nesta terça-feira duas medidas que já valem para 2018 e visam reduzir o número de desistências nas fases iniciais dos Grand Slam. O problema tem se intensificado nos últimos anos e é uma reinvindicação recorrente de jogadores com ranking mais baixo.

Uma das medidas visa incentivar que os jogadores lesionados anunciem a desistência antes do sorteio da chave. Caso o atleta tome a decisão de não jogar até o meio-dia da quinta-feira anterior ao sorteio, ele receberá 50% da premiação da primeira rodada. Além disso, o jogador que entrar na chave como lucky-loser ainda terá um aumento na premiação de 50%.

Outra proposta afirma que qualquer jogador que se retirar na primeira rodada de um Grand Slam ou que atuar de maneira antiprofissional pode ter uma redução na premiação sob o caráter de multa.

Além desses dois anúncios, a ITF também colocará em vigor já no Australian Open o relógio dos 25 segundos para o tempo de saque e também o limite de tempo de cinco minutos para o período de aquecimento antes de uma partida.

Também foi informado que os Grand Slam continuarão com 32 cabeças de chave em 2018. Entretanto, a intenção dos organizadores dos torneios é reduzir o número para 16 visando maior competitividade já nas primeiras rodadas.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva