Notícias | Dia a dia
Toni se despede da equipe com artigo emocionado
18/11/2017 às 10h34

Toni encerrou a longa parceria no Finals

Foto: ATP

Mallorca (Espanha) - Depois de 75 títulos e uma vida dentro da quadra com o sobrinho, Toni Nadal deu um discreto adeus ao circuito profissional ainda na segunda-feira, quando Rafa encerrou sua participação no ATP Finals de Londres após perder a primeira partida.

O treinador, que ajudou decisivamente o pupilo a ganhar seus 16 troféus de Grand Slam, escreveu uma coluna de despedida para o diário El Pais, e entre outras coisas confessou esperar que Rafa um dia ainda vença o Finals.

"Apesar de ter se classificado 13 vezes, por uma razão ou outra Rafael nunca pode jogar no seu melhor nível no Finals", escreveu. "Saímos outra vez decepcionados. Chegamos a Londres esgotados e, ainda que os treinamentos tenham sido algo otimistas, quando o vimos jogar já sabíamos que seu corpo não poderia responder como queríamos".

O treinador contou como foi o momento em que encontrou Rafa no vestiário após a derrota para o belga David Goffin em duros três sets. "Eu o encontrei chateado. Como em outras ocasiões, disse a ele que não devemos nos arrepender muito e que, se fizéssemos um balanço do ano, em termos gerais, foi muito positivo. No saibro, foi praticamente imbatível e, na quadra dura, jogou cinco finais, ganhando dois e um deles no US Open. Um excelente ano ", revelou.

Toni também falou de como foi a reunião que fizeram para projetar a temporada de 2017, ainda no final do ano passado. Nadal voltava de três meses de inatividade devido a problemas no punho. "Ele queria melhorar o saque e recuperar a confiança no forehand. Falamos da necessidade de adaptar melhor seu jogo para proteger o corpo. Eu repeti que evoluir era sobreviver. Mas o que mais pedi foi para ele recuperar a vontade de vencer, seu espírito de luta que sempre o caracterizou. Acredito que consegui".

A partir de agora, Toni tomará conta da academia de Nadal e assim poderá ficar mais próximo à família. Ele garante que vai continuar acompanhando o sobrinho e espera que ele ainda realize o sonho de ganhar o Finals. "Quando ele voltar a treinar dentro de algumas semanas, tenho certeza de que terá tranquilidade de haver recuperado a garra que o faz se sentir forte e seguro. Assim poderá determinar novos objetivos, e entre eles este torneio de Londres. Tenho fé que um dia conseguirá e eu comemorarei à distância".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis