Notícias | Dia a dia
Federer lamenta não ter podido lutar pelo número 1
01/11/2017 às 09h05

Federer terminará o ano na vice-liderança do ranking

Foto: Arquivo

Nova York (EUA) - Nesta quarta-feira o suíço Roger Federer poderá ver o espanhol Rafael Nadal assegurar o posto de número 1 do mundo até o fim da temporada se vencer sua estreia no Masters 1000 de Paris contra o jovem sul-coreano Hyeon Chung. Em entrevista ao Wall Street Journal, o tenista da Basileia lamentou não ter chegado neste fim de temporada mais perto de seu rival na briga pela liderança.

"Desde que Rafa ganhou o US Open eu já sabia que seria muito difícil terminar o ano como número 1. Gostaria de ter podido lutar mais por ele. Meu único arrependimento é que não consegui jogar melhor em Cincinnati e no US Open, foi uma pena", analisou Federer, que machucou as costas no Masters 1000 de Montréal e por causa disso não conseguiu jogar na semana seguinte em Cincinnati

Além disso, o suíço também foi para Nova York sem estar 100% recuperado. Mesmo com tudo isso, ele reconhece o valor do que fez o canhoto de Mallorca, campeão do último Grand Slam do ano e número 1 do mundo com méritos próprios. "Rafa jogou tudo o que podia e merece a liderança. Estou bem com isso", disse.

Federer explicou mais uma vez a ausência em Paris e voltou a lamentar não poder disputar o torneio. "Gosto de jogar em Paris, mas o torneio está em um momento complicado do meu calendário. O meu corpo precisa descansar também e preciso ser cauteloso com ele. Foi uma decisão difícil", contou o vice-líder do ranking, que agora foca todas suas energias na disputa do ATP Finals.

"Se termino o ano forte e jogando bem, estarei muito feliz e sem me importar tanto com o ranking que tenha", comentou o suíço, que garante que ainda jogará por mais algum tempo e não fará questão de parar por cima. "Estou jogando bem e temos que ver como as coisas irão acontecer. Não me preocupo com o final, o corpo e a mente me dirão quando a hora chegar", finalizou.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG