Notícias | Dia a dia
Thiem oscila, mas confirma a vitória em três sets
31/10/2017 às 20h47

Thiem pode terminar a semana como número 3 do mundo

Foto: Divulgação

Paris (França) - Em seu primeiro compromisso no Masters 1000 de Paris, Dominic Thiem caminhava para uma vitória tranquila, mas precisou de três sets e 2h06 para vencer o lucky-loser almeão Peter Gojowczyk, 62º do ranking, por 6/4, 6/7 (3-7) e 6/4 e avançar nas quadras duras e cobertas da capital francesa.

Embora tenha sido superado nas estreias de três dos últimos cinco torneios que disputou, Thiem já acumula 48 vitórias na temporada e é o quinto jogador que mais venceu este ano. Se vencer mais uma, ele pode igualar as 49 de Roger Federer, mas o suíço só perdeu quatro partidas em 2017 contra 24 do austríaco.

Thiem agora certamente enfrentará um rival contra quem nunca venceu. Ele espera pela partida entre o espanhol Fernando Verdasco e o sul-africano Kevin Anderson. O austríaco perdeu o único encontro anterior contra Verdasco e foi superado por Anderson em todas as seis vezes que eles se enfrentaram.

Sexto no ranking mundial, Thiem ocupa a melhor marca da carreira nesta semana. Ele será beneficiado pelo desconto de pontos de Andy Murray para ganhar uma posição a mais e está também aproveitando o fato de Marin Cilic ter 560 pontos a defender. Com isso, o jogador de 24 anos está subindo para o quarto lugar e pode até terminar a semana como número 3 do mundo.

O primeiro set desta terça-feira foi muito eficiente para Thiem. Com quatro aces, onze winners e oito erros, o austríaco fechou a parcial em 34 minutos sem enfrentar break points e cedendo apenas quatro pontos em seus games de serviço, aproveitando uma das três chances de quebra que teve.

O equilíbrio foi ainda maior na parcial seguinte. Os sacadores vinham prevalecendo e apenas Gojowczyk havia enfrentado break points até o empate por 5/5. Thiem conseguiu devoluções para quebrar pela segunda vez na partida e chegou a liderar por 40-0 o game seguinte, quando sacava para fechar, mas enfileirou erros não-forçados de forehand nos match points para permitir o empate. O show de horror protagonizado pelo austríaco continuou durante o tiebreak, facilmente vencido pelo alemão.

Aos poucos, Thiem voltava a colocar mais bolas em quadra e retomava o controle das ações. Tal como havia acontecido no set inicial, o austríaco venceu a última parcial sem enfrentar break points, com apenas seis pontos perdidos no saque. A quebra viria exatamente no último game, quando liderava por 5/4, contando com um erro de seu adversário.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis