Notícias | Dia a dia
Goffin conquista Shenzhen e encerra jejum de 3 anos
01/10/2017 às 09h37

Goffin não vencia um título desde setembro de 2014

Foto: Divulgação

Shenzhen (China) - O incômodo período de três anos sem títulos chegou ao fim para David Goffin. O belga de 26 anos conquistou o ATP 250 de Shenzhen ao vencer a final contra o ucraniano Alexandr Dolgopolov por 6/4, 6/7 (5-7) e 6/3 em 2h03 de partida neste domingo.

Este é apenas o terceiro título da carreira de Goffin, que venceu os dois primeiros em 2014, no saibro de Kitzbuhel em julho e nas quadras duras e cobertas de Metz em setembro. O belga, que disputou a nona final da carreira e terceira do ano, vinha de seis derrotas seguidas em partidas que valiam um título.

Com os 250 pontos conquistados em uma semana em que não defendia nada e apenas descartava 45 de seu décimo oitavo e último resultado válido para o ranking, Goffin ganhará uma posição na próxima segunda-feira. Ele sobe do 12º para o 11º lugar e fica muito perto de igualar sua melhor marca, o 10º posto, alcançado em fevereiro.

Por sua vez, Dolgopolov disputou sua nona final e segue com três títulos na carreira. Sua última conquista aconteceu no saibro de Buenos Aires em fevereiro. O ucraniano de 28 anos já foi número 13 do mundo, mas hoje ocupa apenas o 53º lugar do ranking. A campanha rende 150 pontos que o faz subir para a 44ª posição.

Goffin aproveitou o único break point que teve no set inicial para conseguir a quebra no sétimo game e fechou a porta quando teve o serviço ameaçado logo na sequência. O segundo set não começou bem para o belga, que foi quebrado duas vezes seguidas e viu o rival liderar por 5/2. Depois de permitir o empate na parcial, Dolgopolov levou a melhor no tiebreak ao vencer um importante ponto no saque do adversário.

O terceiro set foi mais parecido com o primeiro, sendo que Goffin não enfrentou break points. O belga perdeu apenas sete pontos em seus games de saque, sendo somente dois quando colocou o primeiro serviço em quadra. A quebra viria no oitavo game, quando o número 12 do mundo já liderava por 4/3 e bastou confirmar o serviço logo depois para voltar a levantar um troféu.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva