Notícias | Outros
Nathália Gasparin vai à final dos 18 no Bahia Juniors Cup
29/09/2017 às 19h59

Paranaense supera problema nas costas e vai atrás do título.

Foto: Juarez Matias/Divulgação

Salvador (Bahia) - Nathália Gasparin, de 17 anos, é o Brasil na final feminina dos 18 anos do 33º Bahia Juniiors Cup, a partir das 9h30 deste sábado, no Clube Bahiano de Tênis. A paranaense derrotou a portuguesa Rebeca Silva, terceira favorita, por 6/2, 3/6 e 6/1 após duas horas de jogo. Gasparin, que fará sua maior final na carreira, pediu atendimento na metade do segundo set para um problema nas costas. "Minha primeira desse tipo de evento, estou bem feliz", disse a tenista que tenta manter a tradição de títulos do Brasil no torneio vencido por Thaísa Pedretti em 2013, 2015 e 2016 e por Maria Silva em 2014. A última conquista estrangeira no feminino foi da portuguesa Ivone Álvaro, em 2012. Nathália vai atrás de seu maior título, o primeiro de nível internacional juvenil. Ela fez final em outro evento de menor porte no Chile ano passado.

"Hoje senti mais o cansaço pois havia feito jogos mais rápidos e à noite e hoje estava calor, mas minha adversária jogou super bem. Larguei jogando super bem, depois dei uma caída, minha adversária evoluiu e no terceiro set, mantive o que fiz no primeiro para sair com a vitória. Antes de vir para cá, tive uma distensão no cóccix e agora doeu um pouco mais em cima. Consegui administrar a dor pois era uma semifinal, um torneio grande, e não ficar pensando na dor e sim a cada ponto."

Sua rival neste sábado na decisão será a peruana Romina Ccuno, de apenas 15 anos, que assim como Nathália busca troféu inédito. "Nunca joguei contra ela, não a conheço, vi ela jogando só aqui, espero fazer meu melhor jogo e buscar esse título."

Para atingir a final, Ccuno não tomou conhecimento da sexta favorita, a boliviana Isabela Ciacanglini, marcando 6/0 6/1 em menos de uma hora. A jogadora natural de Arequipa, cidade a mais de mil quilômetros de distância da capital Lima, destacou: "O primeiro set foi fácil, daí ganhei confiança para manter o ritmo no segundo. Já tinha feito uma final em torneio menor na Argentina, é meu primeiro evento desse tipo que disputo. Tenho que focar na decisão para fazer uma partida boa. Conheço a Nathália, pega forte na bola, é mais consistente, será uma final dura."

Após a vitória nas simples, Gasparin se uniu a sua rival para jogarem juntas a final de duplas e derrotaram Ccuno e a brasileira Thaís Andreotti por 7/5 e 6/1. É o segundo troféu seguido de Nathállia nas duplas em Salvador.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva