Notícias | Dia a dia
Bellucci também não jogará em Pequim e Xangai
21/09/2017 às 16h52

Bellucci deverá perder posições, já que defendia pontos em dois torneios

Foto: Arquivo

Shenzhen (China) - No mesmo dia em que havia anunciado sua desistência do ATP 250 de Shenzhen, Thomaz Bellucci também confirmou que não disputará os outros dois torneios que estavam previstos para a parte asiática da temporada, os qualificatórios para o ATP 500 de Pequim e para o Masters 1000 de Xangai. O paulista voltou a sentir a lesão no tornozelo esquerdo.

Bellucci, o técnico e jogador André Sá e o preparador físico Cassiano Costa desembarcaram em Shenzhen na última quarta-feira. No primeiro treino na China, já nesta quinta, eles constataram que a lesão parcial do Tendão Calcânio – Grau 2 ainda não estava completamente recuperada, não dando condições ao tenista de jogar os torneios asiáticos.

"Na verdade, a lesão do Thomaz tem padrão de um a três meses de recuperação plena, pois o tendão pode se romper de várias formas e a que ele teve é a mais difícil de recuperação. Porém, nos últimos dias, em Bradenton (Flórida), ele teve uma melhora significativa, que consideramos que deveríamos tentar vir para o torneio e jogar", explicou Cassiano Costa.

"Infelizmente, no treino de hoje, quando o Thomaz jogava os pontos, ele sentiu muita dor e nós, como equipe, decidimos que não era hora de forçar", acrescentou o preparador físico do tenista de 29 anos.

"Fico triste com isso, pois a gente achou que teria condição de jogar. Mas como falamos, perde-se uma semana e ganha-se um mês. Vou voltar para me recuperar e estar 100% para o restante da temporada", afirmou Bellucci, que aparece atualmente no 76º lugar do ranking.

O período afastado das competições fará com que Bellucci perca posições. Isso porque ele teria que defender 90 pontos na semana que vem, já que foi semifinalista de Shenzhen no ano passado e ainda desconta outros 16 por uma vitória no quali de Xangai. Ex-número 21 do mundo, o canhoto paulista deve sair do grupo dos oitenta melhores do mundo. Ele terminou oito das últimas nove temporadas entre os cem melhores tenistas do ranking.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis