Notícias | Dia a dia
Apesar do histórico, Djoko prega respeito a Monfils
30/06/2017 às 17h59

Sérvio venceu os treze duelos anteriores contra Monfils, adversário da final

Foto: Divulgação

Eastbourne (Inglaterra) - Apesar de nunca ter perdido para Gael Monfils, Novak Djokovic prega respeito ao francês que será seu adversário na final do ATP 250 de Eastbourne não antes das 10h (de Brasília) deste sábado. O sérvio venceu todos os treze duelos anteriores contra o rival na decisão do torneio na grama.

"Gael é um jogador dinâmico e imprevisível. Ele possui todos os golpes", disse Djokovic após a vitória por duplo 6/4 sobre o russo Daniil Medvedev na semi. "Quando tudo se encaixa para ele, especialmente o saque, e ele tem um bom desempenho no dia, pode ser um adversário muito difícil e vencer qualquer um".

Esta será a 98ª final na carreira de Djokovic, mas apenas a terceira na temporada. Por isso, o sérvio espera que a boa campanha o ajude a retomar a confiança. "Estou aproveitando a semana e o fato de estar na final obviamente a torna ainda melhor".

"Fico feliz por poder lutar pelo troféu amanhã. Não tive muitas oportunidades de disputar finais nos últimos 10 ou 12 meses e espero que eu possa voltar ao caminho das vitórias e melhorar a qualidade do meu tênis", comenta o jogador de 30 anos, que luta por 68º título.

Embora seja número 4 do mundo, Djokovic foi designado como o cabeça de chave número 2 em Wimbledon. Isso porque o Grand Slam britânico leva em consideração os pontos conquistados na grama nas duas temporadas mais recentes, oferecendo um bônus de 100% nos resultados obtidos no piso nos últimos doze meses e de 75% para os doze meses anteriores.

"Quero agradecer a Wimbledon por ter me deixado dois lugares à frente do que eu estou realmente colocado. É provavelmente devido aos bons resultados que tive nos últimos anos no torneio", disse Djokovic, que é tricampeão do Grand Slam britânico, sendo que o último título foi conquistado há dois anos.

"Se isso ajuda ou não, não posso dizer no momento. Isso não faz muita diferença agora, exceto que eu só posso enfrentar o Andy [Murray] na final e não mais na semi, mas isso ainda está muito longe", avaliou o sérvio, que estreia contra o canhoto eslovaco Martin Klizan.

Adversário de Djokovic na final, Monfils comemorou a vitória por 6/2, 6/7 (7-9) e 7/6 (7-4) no duelo francês contra Richard Gasquet. O atual 16º do ranking, entretanto, espera estar bem fisicamente para a final, já que sentiu lesão no joelho esquerdo durante o jogo desta sexta-feira. "Foi uma grande batalha mentalmente e fico feliz em superá-la. Espero estar 100% para a final de amanhã. Preciso ser agressivo e jogar o meu melhor".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis