Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Para Wozniacki, foi difícil 'ler o jogo' da algoz
06/06/2017 às 17h14

O sonho do primeiro título de Grand Slam da dinamarquesa foi mais uma vez adiado

Foto: Divulgação

Paris (França) - Superada nas quartas de final em Roland Garros após a derrota por 4/6, 6/2 e 6/2 para Jelena Ostapenko, Caroline Wozniacki reconhece a dificuldade de ler o jogo da letã de 19 anos. Esta foi a quarta vez que elas se enfrentaram, sendo a terceira no ano, e a dinamarquesa segue sem vencer contra a jovem rival.

"Ela tem muita potência nos golpes e não usa muitas margens, sempre vai para as linhas", avaliou Wozniacki, que fez apenas seis winners contra 38 de sua adversária. "É muito difícil ler os golpes dela e você não se sente confortável, o que te dificulta de chegar às bolas dela".

O começo de jogo foi bem favorável a Wozniacki, que começou vencendo por 5/0, num momento que tinha muito vento em quadra e foi perguntada se achava que poderia ter vencido se as condições da quadra permanecessem adversas.

"É fácil eu dizer agora que eu poderia ter vencido se continuasse ventando hoje, mas eu não venci. Ela jogou melhor que eu. Tenho que respeitar isso e tentar jogar melhor próxima vez", afirma a ex-líder do ranking, que ainda segue em busca de seu primeiro título de Grand Slam.

O jogo também teve duas interrupções por chuva, uma delas de quase três horas. E a Wozniacki não venceu nenhum game depois da segunda pausa, determinada quando a dinamarquesa vencia o último set por 2/1. Mas mais uma vez, ela acredita que a questão foi minoritária para o resultado do jogo.

"Ocorreram atrasos por chuva em quase todos os torneios que eu joguei este ano, então não era uma coisa nova para mim", disse a dinamarquesa, que tem 31 vitórias e 12 derrotas na atual temporada, com finais disputadas em Doha, Dubai e Miami.

"No início da partida, durante os dois primeiros sets, estava ventando bastante e era complicado conseguir um ritmo", avalia a ex-número 1. "Eu precisava tentar manter o foco e tentar jogar com algumas margens, ou pelo menos esse foi o meu pensamento. Acho que ela não pensou assim e estava indo para as linhas. No primeiro set ela vinha errando bastante, mas então ela começou a bater a poucos centímetros da linha o tempo todo".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series