Notícias | Dia a dia
Sharapova: 'Não controlo o que os outros dizem'
26/04/2017 às 18h10

Após o primeiro jogo, Sharapova deu a primeira entrevista coletiva desde a suspensão

Foto: Divulgação
Stuttgart (Alemanha) - Após estrear com vitória no WTA Premier de Stuttgart, em jogo que marcou sua volta às quadras depois de cumprir suspensão nos últimos quinze meses, Maria Sharapova encarou os jornalistas para sua primeira entrevista coletiva desde março do ano passado, quando anunciou que seu exame antidoping havia dado positivo. Um dos temas mais recorrentes foram as críticas que ela recebeu de pessoas de dentro e fora do circuito.
 
"Não posso controlar o que as pessoas dizem. O que eu posso controlar é o que faço em quadra. Essas são minhas palavras com as quais eu prefiro me expressar", disse Sharapova após a vitória por 7/5 e 6/3 contra a italiana Roberta Vinci em Stuttgart.
 
A russa manteve o tom quando perguntada sobre as polêmicas declarações de seu empresário, Max Eisenbud. "Não posso controlar as palavras do meu agente. Tenho certeza de que ele acompanhou muitos comentários nos últimos quinze meses e é livre para ter suas opiniões. Eu não controlo as opiniões dele".
 
Sharapova também comentou sobre as ofertas de convites para diferentes torneios do circuito. "Os convites foram oferecidos pelos diretores dos torneios e eu os aceitei para competir na chave", disse a ex-número 1 que terá um duelo russo contra Ekaterina Makarova nas oitavas.
 
"Cheguei aqui sem ranking nenhum e não recebi um convite para já ganhar o troféu. Eu ainda tenho que vencer os jogos. E esse é o meu trabalho", afirma a russa que já tem presença garantida em Stuttgart, Madri e Roma durante a temporada de saibro.
 
"O meu trabalho é ser uma atleta, entrar em quadra e fazer o que eu fiz hoje. Tem dias que eu vou vencer o jogo, tem dias que vou perder. E a outra parte do meu trabalho e vir para essa sala [de imprensa] e falar com vocês [jornalistas]", argumentou. "Eu agradeço muito por ter a oportunidade de jogar este torneio, que é um dos mais difíceis do ano. A chave é muito pequena, a maioria das top 10 está aqui e eu me coloco numa posição de enfrentar as melhores do mundo".
 
Ainda sobre o assunto convites, ela abordou a conversa que teve com o presidente Federação Francesa de Tênis (FFT) Bernard Giudicelli sobre uma possível vaga na chave de Roland Garros. A decisão será tomada em 16 de maio. "Não é segredo que nós nos reunimos em Palm Springs e discutimos muitos tópicos e questões diferentes. Ele é soberano em suas decisões ao lado de sua equipe e eu vou respeitar qualquer uma que seja".
 
Depois de disparar 11 aces na estreia, Sharapova falou sobre as mudanças em seu saque. "Eu vim trabalhando em diferentes aspectos do meu jogo e o saque é um deles. Eu não mudei muito, talvez algumas coisas no ritmo, mas não foi nada extremo. Ter um toss mais consistente era um dos objetivos".
 
Sobre a gravidez de Serena Williams, a russa disse apenas que "é uma benção e um dos maiores presentes que uma mulher pode receber" e que "será um capítulo bonito na vida dela".
Já quando perguntada se encontrou algum medicamento para substituir o meldonium, já que ele fora prescrito por um médico, ela se limitou a dizer que "Essa informação fica entre mim, a WTA e ao médico que está trabalhando comigo agora".

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva