Notícias | Dia a dia
Rogerinho faz semi e terá seu melhor ranking
06/04/2017 às 19h43

Paulista aparecerá entre os 80 melhores e será número 2 do Brasil

Foto: Arquivo

Cidade do Panamá (Panamá) - Aos 33 anos, o paulista Rogério Dutra Silva terá sua melhor classificação no ranking mundial a partir da próxima semana. O experiente paulista vai bater seu recorde pessoal depois de garantir um lugar na semifinal do challenger de US$ 50 mil disputado no saibro da Cidade do Panamá. Número 3 do Brasil e 83º do ranking, Rogerinho venceu nesta quinta-feira o ex-top 100 e atual 282º colocado esloveno Blaz Rola por 5/7, 6/4 e 6/4 em 2h29 de disputa.

Rogerinho entrou no torneio a uma posição de igualar o melhor ranking de sua carreira, mas precisaria ser no minímo de uma semifinal para começar a ganhar terreno. Isso porque, ainda que ele não defendesse pontos na semana, a campanha até as quartas seria insuficiente para figurar na lista de 18 melhores resultados das últimas 52 semanas.

Agora, o paulista já garantiu 29 pontos e desconta 17 do último resultado válido. O ganho de 12 pontos pode garanti-lo oitenta melhores do mundo, além de ultrapassar Thiago Monteiro para ser o novo número 2 do Brasil. Rogerinho ainda pode receber 48 pontos com um eventual vice-campeonato e 80 em caso de título, que o levaria ao grupo dos setenta primeiros do ranking.

Em busca da 21ª final de challenger na carreira e segunda na temporada, Rogerinho enfrenta nesta sexta-feira o vencedor do jogo entre o dominicano Victor Estrella Burgos e o norte-americano Bjorn Fratangelo. Em ambos os casos, o paulista lidera o retrospecto por 1 a 0.

Os sacadores prevaleceram no set inicial e exemplo disso foi o empate parcial por 4/4 sem quebras e com apenas cinco pontos perdidos no serviço de cada um. Naquele momento, ambos os jogadores colocavam mais de 80% de primeiros saques em quadra.

Rogerinho levava a melhor na maioria dos pontos decididos em ralis mais longos e o bom aproveitamento no saque equilibrava as ações com o esloveno que oferecia poucas chances em seus games de serviço. Mas a única dupla-falta do paulista em todo set, ocorrida no 30 iguais do 12º game, permitiu que Rola tivesse seu primeiro break point e aproveitasse a chance para vencer a primeira parcial.

A parcial seguinte mantinha o domínio dos sacadores até que Rogerinho aproveitasse o terceiro break point que teve no nono game para quebrar pela primeira vez no jogo. Rola começou o terceiro set salvando quatro break points e perdeu o saque no quinto game. Com uma ótima passada com backhand, Rogerinho fechou a porta na única vez que foi ameaçado no set e rumou para uma das mais importantes vitórias de sua carreira.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis