Notícias | Dia a dia
Luthi: 'Sabia que Federer poderia voltar neste nível'
04/04/2017 às 18h22

Luthi acompanhou de perto o trabalho de pré-temporada do suíço

Foto: Arquivo

Zurique (Suíça) - O espetacular início de temporada de Roger Federer não surpreende aqueles que acompanharam de perto seu progresso até a volta às quadras no início deste ano. De acordo com Severin Luthi, capitão da equipe suíça da Copa Davis e integrante da equipe do veterano de 35 anos, era esperado que Federer pudesse retornar ao circuito em altíssimo nível.

"É incrível como Roger consegue se adaptar rapidamente ao ritmo de um torneio", disse Luthi em entrevista ao diário Neue Zürcher Zeitung, de Zurique, publicada nesta terça-feira.

"Eu já tinha percebido isso com mais frequência depois das férias, quando ele voltou para a quadra e começou a bater bola, eu imediatamente pensava: 'O que ele fez durante as férias? Jogou tênis todos os dias?'", comentou o treinador sobre a pré-temporada realizada pelo ex-número 1 do mundo.

Luthi afirma que até mesmo o título do Australian Open, em janeiro, já parecia uma realidade durante as sessões de treinos. "Todos nós sabemos do que Roger é capaz. Quando eu o vi em dezembro, em boa forma, eu lhe disse que ele poderia ser campeão em Melbourne".

O técnico ressalta a capacidade do suíço em crescer durante o torneio e jogar seu melhor tênis nas partidas de maior peso, como o primeiro jogo contra top 10 no ano, diante do tcheco Tomas Berdych, na terceira rodada em Melbourne.

"Devo admitir que eu sofri um pouco em seus dois primeiros jogos no Australian Open, porque sabia que se ele não elevasse o nível contra Berdych, ele teria muitas dificuldades, mas isso é o que separa os grandes jogadores do resto. Eles podem jogar em nível mais alto nos momentos importantes", avaliou.

Outro ponto abordado por Luthi foi a maneira como Federer lida com as derrotas. Ele fala tanto das três finais de Slam perdidas para Novak Djokovic, duas em Wimbledon e uma no US Open, como da precoce eliminação para o russo Evgeny Donskoy em Dubai, no único jogo que o suíço perdeu na atual temporada.

"Perder uma final de Grand Slam sempre dói, e sei disso porque vivi com ele. Mas eu estava convencido de que ele iria ganhar pelo menos mais um título importante. Se você ainda está chegando às semis ou às finais, uma hora, acaba aparecendo a oportunidade", avaliou o treinador.

"Não se deve subestimar a quantidade de emoções e exaustão mental que surgem depois de vencer um Grand Slam. É claro que você nunca quer perder, mas vendo agora, aquela derrota em Dubai até que foi boa. Sem ela, o sucesso em Indian Wells e Miami, provavelmente, teria sido impossível".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva