Notícias | Outros
Mineiro e paranaense faturam o Rendez-Vous
12/03/2017 às 19h05

Florianópolis (SC) – O Rendez-Vous à Roland-Garros concluiu neste domingo a sua terceira edição com a paranaense Nathalia Gasparin e o mineiro João Ferreira conquistando o título e a ida a Paris para encarar nos dias 26 e 27 de maio os campeões de China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Índia e Japão em busca de uma vaga na chave principal do torneio juvenil de Roland-Garros.

Nathalia venceu a também paranaense Vitória Okuyama, sua parceira de duplas e companheira de treinos no Clube Curitibano, com parciais de 6/0 e 6/4, enquanto João Ferreira ganhou do brasiliense Gilbert Klier Junior, por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (8-6), 0/6 e 6/2.

Em um duelo que é frequentemente equilibrado, Nathalia conseguiu ter o controle da partida desde o primeiro set e aproveitou as chances que teve para levar vantagem. “Comecei superconcentrada, focada já ponto a ponto, determinada. Joguei bem o primeiro set, não estava errando nada. O segundo foi mais duro, mas me mantive sempre focada e estou muito feliz pela minha vitória”, afirmou a campeã. “Agora posso falar que vou a Paris. É uma oportunidade única, vou tentar dar o meu máximo lá. Nunca fui e a expectativa para conhecer Roland Garros é grande!”, finalizou.

João Ferreira viveu uma grande semana em Floripa. “Consegui jogar muito bem hoje, foi um jogo bem duro, comecei perdendo, mas estava com um jogo bem sólido e consegui virar. Meu físico prevaleceu durante o jogo também. Foi uma semana com gostinho diferente por ser Roland Garros, serve como um  motivo a mais para eu continuar treinando”, disse, emocionado.

A decisão do terceiro lugar, que serve para definir a substituição em caso de o tenista não poder ir ou entrar diretamente na chave juvenil de Roland Garros, foi vencida pelo carioca Christian Oliveira no masculino e pela paulista Alexandra Silva.

A cerimônia de premiação contou com a presença do presidente da Confederação Brasileira, Rafael Westrupp; do representante da Federação Francesa, Adrien Groscolas, e do tricampeão de Roland Garros, Gustavo Kuerten. Guga destacou que a sua primeira conquista de Roland-Garros foi na chave juvenil do Grand Slam parisiense, em 1994, ao lado do equatoriano Nicolas Lapentti. “Para essa garotada isso aqui é fundamental, pois o dia a dia deles é difícil, é duro. Tem toda a simbologia, o sonho de Roland Garros é um estímulo, mais gasolina para voltar para as quadras e uma esperança e tanto para quem vai. Os garotos precisam disso para sobreviver”, disse Guga.

“Este torneio é uma oportunidade única para a nossa categoria de base ter chances de participar de um Grand Slam, que é o mais importante evento de tênis do ano em termos de pontos no ranking mundial, de tradição, de atenção do público e de valor da premiação.”, explica Westrupp. “Damos bastante atenção e incentivo para os juvenis brasileiros para que cheguem à fase de transição da melhor forma possível. Queremos que se preocupem apenas com os resultados em quadra e com os treinos. Por isso temos o projeto de transição, o apoio à categoria de base e o circuito nacional infantojuvenil que possibilita a tenistas de 12 a 18 anos competirem em todas as regiões do Brasil”.

O Rendez-Vous à Roland Garros é um torneio promovido pela Federação Francesa e pela Confederação Brasileira e tem o patrocínio da Longines e da Peugeot.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva