Notícias | Dia a dia
Ferrer acredita que Nadal voltará com tudo
25/12/2016 às 08h40

Ferrer pretende escalar o ranking novamente em 2017

Foto: Arquivo

Madri (Espanha) - Um dos principais nomes do circuito nos últimos anos, o espanhol David Ferrer teve uma queda de rendimento neste ano e não repetiu os excelentes resultados de outrora. Mesmo assim ele fechou a temporada bem colocado no ranking e acredita que terá um 2017 melhor do que foi o ano anterior. 

"É difícil quando você perde mais partidas do que o normal, mas isso é normal e faz parte do processo. Tenho 34 anos e nos últimos sete terminei no top 10 e neste fiquei no top 20 (21º na verdade), mesmo assim estou otimista para a próxima temporada", declarou o espanhol em entrevista ao AS.

Uma das metas de Ferrer para o próximo ano é voltar a escalar o ranking. Quem terá uma tarefa parecida, só que em escala diferente, é o também espanhol Rafael Nadal, que já foi número 1 do mundo, mas atualmente é apenas o nono. O tenista de Javea aposta suas fichas no compatriota e acredita que o canhoto de Mallorca voltará com tudo. 

"Rafa está em nono mesmo depois de ter má sorte com as lesões neste ano. Quando estava em seu melhor momento, em Roland Garros, se lesionou e acabou perdendo a regularidade. Ele tem vontade de vencer um Grand Slam e com certeza voltará com tudo", declarou Ferrer, que se colocou à disposição de Conchita Martínez, capitã espanhola na Copa Davis.

"Se for convocado me colocarei à disposição. Conchita teve dois anos muito bons e conduziu a batuta mesmo nos momentos difíceis. Foi uma decisão acertada mantê-la no comando", analisou o espanhol. Ferrer festejou a oportunidade de a 'Armada' voltar ao Grupo Mundial, que segundo ele é o lugar merecido para o time. 

Ao comentar sobre a briga pela liderança do ranking, Ferrer vê o sérvio Novak Djokovic com menos pressão no próximo ano, o que pode ajudá-lo. "Acho que vai ser interessante para os espectadores. (Andy) Murray chegou em seu momento e ele teve um ano incrível. Djokovic teve bastante pressão nos últimos anos e ficou muito tempo como número 1. Talvez no próximo ano ele estará mais solto do que ultimamente", encerrou.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis