Notícias | Dia a dia
Mesmo após 10 cirurgias, Baker segue otimista
24/12/2016 às 15h13

Um dos representantes dos EUA nos Jogos do Rio, Brian Baker acredita que ainda irá alcançar seu melhor tênis

Foto: Divulgação

Nashville (EUA) - Profissional desde 2003, o norte-americano Brian Baker tem uma carreira marcada por lesões e longos períodos de inatividade. Ao todo foram 10 cirurgias, entre elas nos quadris, nos ombros, nos joelhos e nas costas, mas mesmo assim ele conseguiu chegar ao top 100 e em seu melhor momento até então foi o 52º do mundo.

Só que Baker não espera parar por aí e mesmo ocupando atualmente apenas a 245ª colocação no ranking acredita que o melhor esteja pela frente. "Estou empolgado de poder jogar novamente, me sinto melhor a cada semana e acredito que meu auge ainda está por vir", afirmou o norte-americano de 31 anos. 

"Eu provavelmente tenho uma perspectiva melhor do jogo depois de passar por tantas adversidades", complementou Baker, que em 2016 teve o privilégio de defender as cores de seu país nos Jogos Olímpicos do Rio, caindo na primeira rodada com uma derrota de virada diante do japonês Yuichi Sugita. Ao lado do compatriota Rajeev Ram ele conseguiu vencer um jogo nas Olimpíadas, batendo a forte parceria austríaca de Alexander Peya e Olivier Marach. 

Nas duplas inclusive vieram os melhores resultados do ano, com cinco títulos em challengers conquistados ao lado de quatro parceiros diferentes: Sam Groth (dois), Matt Reeid, Mackenzie McDonald e Ryan Harrison. Baker tem se dado tão melhor nas duplas que seu ranking na modalidade é bem melhor do que o 245º lugar em simples. O norte-americano fechou 2016 como 69º do mundo.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva