fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Carlos Moya, Rafael Nadal, Milos Raonic Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Carlos Moya, Rafael Nadal, Milos Raonic Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Carlos Moya, Rafael Nadal, Milos Raonic tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0527_rg_coletiva_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0527_rg_coletiva_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Moyá acredita que Nadal pode voltar a ser número 1
15/11/2016 às 10h42
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0527_rg_coletiva_int.jpg" title="Nadal teve um 2016 difícil por causa do problema no punho" />

Nadal teve um 2016 difícil por causa do problema no punho

Foto: Arquivo
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Londres (Inglaterra) - A temporada não foi das melhores para o espanhol Rafael Nadal, que mais uma vez teve que conviver com problemas físicos e por causa deles acabou encerrando 2016 mais cedo. Apesar de tudo que ele enfrentou, o compatriota Carlos Moyá, outro ex-número 1 do mundo, acredita que o canhoto de Mallorca possa dar a volta por cima.

Moyá não apenas aposta no bom retorno de Nadal, mas também que ele possa voltar à liderança do ranking. "É complicado jogar com dor por anos. Quando você tem problemas físicos não consegue aproveitar. Mesmo assim acredito que ele possa voltar a ser número 1 do mundo", disse o ex-tenista profissional em entrevista para a rádio Onda Cero

"Acho que ele vai aproveitar o tênis por mais alguns anos, mas é fato que ele não conseguiu fazer isso nesta temporada pois sofreu com lesões que vieram no pior momento, bem quando estava jogando bem", acrescentou Moyá, que nesta semana esta em Londres acompanhando o pupilo canadense Milos Raonic.

Para o treinador espanhol, Raonic ainda tem muito a evoluir. "Já esperava uma temporada assim, pois tenho toda confiança nele, que ainda está longe de alcançar todo o seu potencial. Ele foi bem constante neste ano, menos entre setembro e outubro, mas isso também é normal", analisou Moyá. 

"Neste momento ele é o número 4 do mundo e está muito perto de Stan Wawrinka, que atualmente é o terceiro. Isso mostra o quão forte foi a sua temporada. Ele jogou um grande tênis, assim como demonstrou em Paris. Espero que tudo ocorra bem para o seu físico e vamos ver então até onde pode ir aqui", encerrou o espanhol.

Últimas notícias
Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva
ProSpin