fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Rafael Nadal, Marc Lopez, Jogos Olimpicos, US Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Rafael Nadal, Marc Lopez, Jogos Olimpicos, US Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Rafael Nadal, Marc Lopez, Jogos Olimpicos, US Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0824_usopen_treina_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0824_usopen_treina_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | US Open
Nadal Preferia um Slam mas o ouro foi especial
24/08/2016 às 15h44
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0824_usopen_treina_int.jpg" title="Nadal já iniciou seus treinamentos para o US Open" />

Nadal já iniciou seus treinamentos para o US Open

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Nova York (EUA) - No último domingo, o espanhol Rafael Nadal chegou a Nova York para a disputa do US Open, o último Grand Slam do ano. Ele não teve grande desempenho nos outros três torneios mais importantes da temporada: caiu na estreia no Australian Open, teve que desistir no meio de Roland Garros e sequer disputou Wimbledon.

A redenção de Nadal em 2016 veio nos Jogos Olímpicos do Rio, onde chegou às semifinais em simples e levou a medalha de ouro nas duplas. O canhoto de Mallorca sabe que a conquista no torneio olímpico não tem o mesmo peso de um Slam, mas faz questão de ressaltar a importância do feito que obteve ao lado do compatriota Marc López. 

"Preferiria vencer Roland Garros ou Wimbledon, mas a medalha de ouro nas Olimpíadas com Marc foi especial", declarou o atual número 5 do mundo. "Disputar os Jogos foi uma ótima notícia, pois na semana anterior eu não sabia se conseguiria participar. Vencer as Olimpíadas traz uma sensação diferente da que é vencer um Grand Slam", complementou.

Questionado sobre o punho, que o tirou de ação de Roland Garros e Wimbledon, o espanhol foi direto e não escondeu que ainda sente dores. "O punho ainda me incomoda. É um processo lento e complicado, pois a região é delicada. Nas duas últimas semanas eu joguei muito, não piorou mas também não melhorou, o que já é uma grande notícia", afirmou Nadal.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series