fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Rafael Nadal, Novak Djokovic, Juan Carlos Ferrero, Roland Garros, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Rafael Nadal, Novak Djokovic, Juan Carlos Ferrero, Roland Garros, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Rafael Nadal, Novak Djokovic, Juan Carlos Ferrero, Roland Garros, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0511_roma_back_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0511_roma_back_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Ferrero Nadal evoluiu mas Djokovic e o favorito
17/05/2016 às 13h23
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/nadal/0511_roma_back_int.jpg" title="Nadal fez boas campanhas na preparação para RG" />

Nadal fez boas campanhas na preparação para RG

Foto: Arquivo
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Madri (Espanha) - As boas apresentações do espanhol Rafael Nadal no saibro europeu, conquistando os títulos do Masters 1000 de Monte Carlo e do ATP 500 de Barcelona, mostraram que o canhoto de Mallorca recuperou sua confiança e chega para Roland Garros como um dos principais candidatos à conquista.

Ex-número 1 do mundo e compatriota de Nadal, Juan Carlos Ferrero vê com bons olhos a recuperação do atual quinto melhor do mundo, mas ainda acredita que o maior favorito para a conquista no saibro parisiense seja o sérvio Novak Djokovic, campeão do Masters 1000 de Madri e vice em Roma. 

"Rafa tem melhorado muito, não há dúvida disso depois do que mostrou nas últimas semanas. Ele está jogando bem de novo e está mais agressivo", declarou o espanhol em entrevista ao site Planeta Tenis. "Ele sabe que está pronto para competir com os melhores. Mesmo assim, ao meu ver, o favorito para Paris continua sendo Djokovic", acrescentou Ferrero.

Ao comentar sobre como será a sucessão espanhola após o fim da carreira de Nadal, Ferrero prevê que vai demorar um tempo para que o país tenha uma geração tão boa quanto a da última década, que além dele e do canhoto de Mallorca teve também Carlos Moyá. 

"Vai ser difícil para o tênis espanhol igualar o que fez. Tivemos três número 1 e vários no top 10. Acho que não vai ser fácil fazer de novo o que fizeram Rafa, David (Ferrer) e Moyá. O melhor exemplo é ver como ficaram os Estados Unidos depois da aposentadoria de (Andre) Agassi, (Pete) Sampras e (Andy) Roddick", comentou Ferrero.

Últimas notícias
Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG
ProSpin