Notícias | Outros
Filho de ex nº 1 joga no Brasil para evoluir no saibro
10/03/2016 às 08h41

O americano Brandon Holt é filho de Tracy Austin, bicampeã do US Open e integrante do Hall da Fama

Foto: Marcello Zambrana/DGW
Mário Sérgio Cruz
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

São José dos Campos (SP) - Embora não precise carregar um sobrenome pesado toda vez que entre em quadra, Brandon Holt inicia a carreira tentando dar sequência a um legado de família. O americano de 17 anos é filho da ex-número 1 do mundo Tracy Austin, bicampeã do US Open em 1979 e 1981 e integrante do Hall da Fama do Tênis Mundial.

Nascido em 1998, Brandon é o filho do meio de Austin com Scott Holt. O casal tem outros dois meninos, o mais velho Dylan nasceu em 1996 e o caçula Sean é natural de 2001. Os três foram introduzidos ao tênis ainda na infância. "Eu vivo o ambiente do tênis desde muito jovem, as pessoas mais próximas de mim jogam", disse Holt, ao TenisBrasil. "Meus dois irmãos mais também jogavam e comecei a levar mais a sério a partir dos 12 anos, quando passei a tentar ser cada vez melhor".

No Brasil para disputar o Banana Bowl e a Campeonato Internacional Juvenil de Porto Alegre, Holt tem como objetivo o desenvolvimento de seu jogo no piso de saibro, que é pouco comum nos Estados Unidos. "Eu nunca disputei um torneio no saibro vermelho, cresci jogando em quadras duras. É uma grande experiência, para poder trabalhar pontos mais longos e me tornar um jogador mais completo".

Selecionado ainda aos nove anos para treinar em centros de excelência da USTA, Holt faz parte do grupo de promessas do tênis americano em meio à uma talentosa geração começando a se destacar no esporte, com nomes como Taylor Fritz, Tommy Paul, Reilly Opelka e Frances Tiafoe. Para o jovem tenista, um fator importante é que tempos em tempos os melhores do país têm a oportunidade de treinar juntos.

"Quanto melhor o nível do treinamento, é mais fácil para todo mundo alcançar o topo. Um acaba puxando o outro", avalia Holt, que é um ano mais novo que o grupo de atletas promissores. "Os jogadores que viajam conosco são todos muito bons e todos acabam evoluindo muito".

Natural de Rolling Hills, na California, Holt vive hoje em Los Angeles e tem como base o USTA Training Center - West, em Carson. Pelo local já passaram Venus Williams e Mardy Fish. E hoje estão Sam Querrey e Steve Johnson. Quando chamado, o jovem tenista cruza o país até a Flórida, onde tem a supervisão de mais mebros da USTA, como o técnico brasileiro Leo Azevedo.

Mas cabe a Peter Lucassen, jovem treinador de 28 anos, a responsabilidade de comandar Holt já há duas temporadas. Holandês, Lucassen deixou seu país em 2010, onde disputava apenas torneios de nível future, para tentar o tênis universitário nos Estados Unidos, onde fez carreira como treinador.

O jovem tenista era levado pela mãe Tracy aos torneios com apenas um ano de vida e conta que a escolha por seguir o caminho no esporte veio naturalmente, sem que fosse sequer preciso anunciar a decisão. "Eu nunca tive que dizer especificamente, mas ela percebeu que passei a trabalhar mais duro e a ficar cada vez mais focado no tênis. Ela me apoia muito e certamente está feliz porque um de nós três está jogando tênis".

A presença de Austin nos torneios tem sido menos frequente nos últimos anos pela distância nas viagens e compromissos profissionais da mãe. A tecnologia ajuda a suprir a carência. "Quando eu era mais jovem, ela ia em todos os torneios mais perto de casa. Por ela também trabalhar como comentarista, é muito difícil viajar para longe. Acabo viajando mais com meu pai ou com o técnico. Mas eu falo com ela depois de cada partida, então mesmo que não esteja comigo aqui no torneio, posso sentir que está torcendo de longe".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva