fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Paula Goncalves, Julia Glushko, Rio Open Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Paula Goncalves, Julia Glushko, Rio Open Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Paula Goncalves, Julia Glushko, Rio Open tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/brasileiras_outras/paula_rioopen_fore_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/brasileiras_outras/paula_rioopen_fore_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Rio Open
Paula vence primeira em WTA e desafia cabeça 2
16/02/2016 às 15h20
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/brasileiras_outras/paula_rioopen_fore_int.jpg" title="Paula nunca havia vencido um set sequer na WTA" />

Paula nunca havia vencido um set sequer na WTA

Foto: Luiz Pires/Fotojump
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Rio de Janeiro (RJ) - A paulista Paula Gonçalves entrou em quadra nesta terça-feira, pela primeira rodada do Rio Open, ainda em busca de sua primeira vitória em um WTA. E ela veio com propriedade, derrubando a israelense Julia Glushko em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/1, depois de 1h14 de confronto. Sua próxima será a sueca Johanna Larsson, cabeça de chave número 2, que bateu a espanhola Lourdes Domingues por 7/5 e 6/4.

Disputando pela sexta vez uma chave principal de WTA, Paula mostrou um tênis firme e levou a melhor na batalha de nervos contra Glushko. As duas se mostraram um pouco travadas por estarem na primeira partida da chave principal, mas a brasileira levou vantagem por ter disputado já outras duas partidas no quali e se mostrou mais tranquila e desenvolta.

"Estou feliz e me sentindo abençoada por essa vitória na Cidade Maravilhosa. É uma semana especial, ainda mais por ter passado o quali. Não fiquei nervosa por estar jogando na quadra central. Conhecia bem a Julia e entrei tranquila, sabendo bem o que tinha que fazer em quadra", afirmou a paulista.

Paula acredita que o amadurecimento e a questão tática foram fundamentais para seu bom momentos. "Acho que cada um tem o seu momento. Amadureci do ano passado para este, minha cabeça é outra. Estou focada em fazer o meu melhor e deixar isso em quadra. Está claro que minha zona de confronto é no fundo, esperando a hora de ir para a rede. Sobra muita bola para você definir o jogo lá e estou buscando isso", analisou.

Ela admitiu ter pouco conhecimento sobre Larsson, mas que até a hora do jogo irá conversar com o técnico Carlos Kirmayr e estará preparada. "Conheço pouco, acho que o Kirmayr já foi atrás de informações, vamos conversar sobre ela. Também tenho que manter o meu jogo, sacando bem e indo para a rede", finalizou.

No jogo desta terça, o aproveitamento da brasileira nos break-points foi dos melhores, vencendo seis dos nove que teve a seu favor e cinco dos sete que enfrentou contra. Embora a rival tenha colocado 71% das primeiras bolas em quadra, Glushko faturou somente 38% dos ponto de saque, ao passo que Paulinha venceu 58% das bolas em seus serviços.

Antes desta vitória no Rio Open, a paulista não havia conseguido sequer faturar um set nas seis vezes que disputou uma chave principal de WTA, amargando derrotas em sets diretos em Carlsbad (2015), Florianópolis (2015 e 2014), Rio Open (2015, 2014 e 2013).

Paula teve um começo de semana para se comemorar. Além do triunfo desta terça na chave de simples, no dia anterior ela passou da estreia na chave de duplas. Ao lado da norte-americana Sanaz Marand, a campineira bateu de virada Glushko e a sueca Rebecca Peterson. Na segunda rodada, ela e Marand esperam por Veronica Cepede/Maria Irigoyen ou por Laura Pous/Sofia Shapatava.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series