fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andre Sa, Rio 2016, Chris Guccione Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andre Sa, Rio 2016, Chris Guccione Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andre Sa, Rio 2016, Chris Guccione tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/andre_sa/1031_valencia_comguccione_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/andre_sa/1031_valencia_comguccione_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Sá encerra temporada e busca sua 4ª Olimpíada
02/11/2015 às 19h22
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/andre_sa/1031_valencia_comguccione_int.jpg" title="Sá manterá parceria com Guccione em 2016" />

Sá manterá parceria com Guccione em 2016

Foto: Arquivo
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Valência (Espanha) - Terceiro melhor duplista no Brasil e 42º do ranking da ATP, o mineiro André Sá encerrou sua temporada no último final de semana com a queda nas semifinais do ATP 250 de Valência, na Espanha, e comemorou seu desempenho no ano. Além de celebrar o bom ano de 2015, o experiente jogador já mira os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016.

"A temporada 2015 foi um sucesso, três títulos e uma final, consegui alcançar meu objetivo que era terminar no top 50. Meu jogo melhorou muito desde o começo do ano, consegui encontrar um parceiro fixo", contou Sá, que manterá a parceria fixa com o australiano Chris Guccione. "Só tenho coisas positivas para tirar desse ano. Agora é seguir trabalhando para ano que vem disputar os Jogos Olímpicos".

O mineiro, que completou 38 anos em maio, tentará jogar sua quarta Olimpíada seguida. Nos jogos de Atenas-2004, Sá acompanhou o paulista Flávio Saretta. Quatro anos depois, em Pequim, formou parceria mineira com Marcelo Melo, hoje número 1 do mundo. Já nos em 2012, quando as competições de tênis nos Jogos de Londres aconteceram na grama de Wimbledon, Sá jogou ao lado do canhoto Thomaz Bellucci.

Sá conseguiu 28 vitórias em chaves principais de ATP e teve 20 derrotas, números que só não são melhores que os de 2008 quando venceu 36 partidas e terminou o ano no top 20. Em número de títulos, o desempenho dos dois anos foi idêntico com três conquistas. Este ano, ele ganhou no saibro de Buenos Aires (com Jarkko Nieminen) e Umag (com Maximo Gonzalez), além da grama inglesa de Nottingham com Guccione. O mineiro ainda conquistou um título de challenger na grama de Manchester, também com o parceiro australiano.

Últimas notícias
Comentários
Raquete novo
Suzana Silva
ProSpin