fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Teliana Pereira, Yaroslava Shvedova, Bogota Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Teliana Pereira, Yaroslava Shvedova, Bogota Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Teliana Pereira, Yaroslava Shvedova, Bogota tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/teliana/0419_bogota_trofeu_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/teliana/0419_bogota_trofeu_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Teliana: 'Foi a melhor semana da minha vida'
19/04/2015 às 18h11
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/teliana/0419_bogota_trofeu_int.jpg" title="Teliana ocupará o 81º posto, o mais alto da carreira" />

Teliana ocupará o 81º posto, o mais alto da carreira

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Bogotá (Colômbia) - Teliana Pereira não conseguiu conter as lágrimas quando recebeu o troféu que a coroou como a melhor tenista do WTA de Bogotá. Aos 26 anos, ela quebrou um jejum do tênis feminino brasileiro que vinha desde abril de 1988, quando a gaúcha Niege Dias faturou o torneio de Barcelona. "Acho que ainda estou em choque. Não estou acreditando. Foi a melhor semana da minha vida. Desde sempre eu treinava sonhando em ganhar um WTA e agora consegui. Foi muito importante ter jogado Medellin. Lá também tinha altitude como aqui e foi uma preparação muito boa," disse Teliana, que venceu a 10ª partida seguida. Ela foi campeã de um challenger de US$ 50 mil na semana passada, então seu maior título, antes de faturar o WTA sem perder um set sequer.

A brasileira, que nunca havia enfrentado Shvedova, 75ª no ranking, já esperava uma partida difícil. "Hoje sabia que seria um jogo duríssimo. A Yaroslava saca muito bem e quando o jogo começou eu não sabia onde ficar para devolver o saque. Mas depois fui mais para o fundo e tudo melhorou. O mais importante é que eu estava muito sólida a semana toda. Fisicamente me senti muito bem também."

Nascida no país de Maria Esther Bueno, mas sem tenistas entre as melhores nas últimas décadas - a última a ganhar um WTA foi Niege Dias em 1988, em Barcelona -, Teliana espera que a vitória em Bogotá impulsione o tênis nacional. "Nem sei o que dizer sobre esta marca. Estou muito contente. Precisamos de mais gente jogando tênis no Brasil. Precisamos de mais jogadoras entre as top 100. Temos boas tenistas e estamos melhorando. E sse título é muito importante também não só para o Brasil, mas para a o tênis da América do Sul," disse a brasileira, a melhor tenista da região.

Após conquistar o tão esperado troféu de WTA, Teliana lembrou de momentos difíceis da carreira, como as lesões no joelho, mas principalmente no ano passado. "Foi o momento mais difícil. Tive muitos problemas no joelho. Fiquei um ano e meio sem jogar em 2009. Voltei e estava muito bem, até que no ano passado, em setembro, aconteceu a mesma coisa e me lesionei de novo. Essa segunda vez foi mais difícil. Estava em uma fase boa, jogando bem. Mentalmente quando acontece uma coisas dessas é muito duro. Você tem que parar, voltar a jogar sem ritmo, sem confiança e a verdade é que nos últimos meses estava jogando muito bem. Eu tentava bastante, o joelho estava muito bem, mas mentalmente estava duro. Aí veio Medellin semana passada, ganhei o torneio, melhorando a cada rodada e pensando em jogar melhor a cada dia e olha o que aconteceu hoje?"

A tenista aproveitou para agradecer o irmão e treinador Renato, que viaja com ela o circuito, o namorado, a equipe e a família. "É um sonho realizado não só meu, mas da minha família, do meu namorado e da minha equipe." Ela lembrou também, na cerimônia de premiação, do primeiro treinador, Didier Rayon. Foi na academia do francês, em Curitiba, que ela começou a jogar tênis, quando a família se mudou do sertão de Pernambuco para lá, onde o pai foi trabalhar. Na academia de Rayon ela e os irmãos eram pegadores de bola e começaram a jogar tênis a partir daí.

O WTA de Bogotá foi o segundo de uma série de cinco torneios que Teliana disputa antes de Roland Garros. Ela foi campeã em Medelin e hoje em Bogotá e agora segue para Marrakesh, que começa dentro de sete dias, seguindo depois para Cagnes Sur Mer e Saint Gaudens, antes de chegar a Paris. Como a lista de participação se encerrou há sete dias, Teliana terá de disputar o qualificatório do Aberto francês.

Últimas notícias
Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva
ProSpin