fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Thomaz Bellucci, Roger Federer, Janko Tipsarevic, Andy Murray, Novak DjokovicCopa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Thomaz Bellucci, Roger Federer, Janko Tipsarevic, Andy Murray, Novak DjokovicCopa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Thomaz Bellucci, Roger Federer, Janko Tipsarevic, Andy Murray, Novak Djokovictênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/bellucci/0330_miami_toss_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/bellucci/0330_miami_toss_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Para Bellucci, apenas finais ocorreriam em 5 sets
09/04/2015 às 16h37
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/bellucci/0330_miami_toss_int.jpg" title="Paulista escolheria Federer em 'dupla dos sonhos'" />

Paulista escolheria Federer em 'dupla dos sonhos'

Foto: Arquivo
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Londres (Inglaterra) - O paulista Thomaz Bellucci revelou algumas de suas preferências pessoais e no circuito em uma entrevista ao site britânico Daily Mail. Questionado sobre o que faria se pudesse mudar uma regra no tênis, o número 74 do mundo não se mostrou exatamente um “fã” das partidas em melhor de cinco sets.

“Acho que faria todos os jogos em melhor de três sets e talvez só a final em melhor de cinco”, respondeu Bellucci. Ainda no campo profissional, o canhoto “elegeu” suas melhores e piores atuações e, se tivesse a chance de formar duplas com qualquer jogador da história, disse que escolheria o suíço Roger Federer. “Acho que ele é o melhor de todos os tempos”.

Sobre as melhores partidas da carreira, Bellucci lembrou o terceiro título de ATP, a campanha no Masters 1000 de Madri-2011, quando derrotou dois top 10 e parou no sérvio Novak Djokovic na semifinal, e a Copa Davis. “Um deles foi a final de Gstaad, quando bati Janko Tipsarevic, em 2012. Os outros foram contra Andy Murray e Novak Djokovic em Madri-2011. E também na Copa Davis do ano passado contra Roberto Bautista”.

A atuação mais “desastrosa” foi no mesmo palco desse confronto pela Davis, o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. “Um que joguei muito mal foi contra Filippo Volandri no Brasil Open, em 2013. Eu perdi fácil, 6/3 e 6/2, joguei muito mal e estava em casa, então foi um desastre”, lembra. Na ocasião, Bellucci saiu de quadra vaiado por boa parte do público.

Sobre a vida fora das quadras, o palmeirense de 27 anos contou que, quando era criança, chegava a chorar quando seu time perdia. Outras “escolhas” de Bellucci na entrevista foram por rock e músicas antigas, a banda britânica Coldplay entre as mais recentes, o filme Forrest Gump e as cidades americanas de San Francisco e Las Vegas como bons destinos ao tirar férias do circuito, além das praias brasileiras.

Últimas notícias
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis
ProSpin
HandDry