fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Janko Tipsarevic, Juan Martin Del Potro, Novak Djokovic, Guilherme Clezar, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Janko Tipsarevic, Juan Martin Del Potro, Novak Djokovic, Guilherme Clezar, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Janko Tipsarevic, Juan Martin Del Potro, Novak Djokovic, Guilherme Clezar, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2013/tipsarevic/0902_usopen_lamenta_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2013/tipsarevic/0902_usopen_lamenta_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Tipsarevic lembra cirurgias: 'Fiquei apavorado'
07/04/2015 às 11h58
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2013/tipsarevic/0902_usopen_lamenta_int.jpg" title="Sérvio joga em Houston e sonha em voltar ao top 10" />

Sérvio joga em Houston e sonha em voltar ao top 10

Foto: Arquivo
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Houston (EUA) - O retorno ao circuito nesta terça-feira já será a primeira vitória do sérvio Janko Tipsarevic no ATP 250 de Houston. Sem jogar uma partida de simples há 18 meses e após duas cirurgias no pé, o ex-top 10 lembra o momento difícil que atravessou fora das quadras.

“Pela primeira vez na minha vida, eu fiquei realmente apavorado. Eu sabia que se tivesse controle, não teria medo, porque eu faria tudo que precisasse. Mas isso não dependia de mim e eu não podia fazer nada”, contou à ATP.

Tipsarevic começou a sentir dores no pé esquerdo no início de 2013, ano em que abandonou o Australian Open nas oitavas de final, quando ainda era top 10. Após ressonâncias magnéticas, médicos sugeriram que o problema fosse uma inflamação e ele continuou jogando com dor, recorrendo a analgésicos e injeções, até outubro.

Posteriormente, a causa foi detectada: um tumor benigno. O sérvio passou por uma cirurgia e depois de três meses ensaiava um retorno, quando voltou a sentir dores e teve a notícia de que o tumor havia voltado. Foi aí que ele ouviu dos médicos, após a segunda cirurgia, que se o tumor voltasse pela terceira vez acabaria com qualquer esperança de jogar tênis profissionalmente de novo.

Nesse período, mesmo com a chegada da filha, Emili, Tipsarevic revela que sofreu de ansiedade e depressão. “Eu não era eu mesmo. Eu não estava feliz, mesmo que tudo na minha vida estivesse ótimo e estivéssemos com saúde. Honestamente, não sabia que amava tanto o tênis até o momento em que não pude mais jogar”.

Um desses momentos de ansiedade levou o jogador a passar uma noite no hospital. Com a Sérvia derrotada na decisão da Copa Davis de 2013 no quinto jogo, Tipsarevic se sentiu culpado por ter “abandonado” seus companheiros.

O sérvio lembra que, durante a segunda recuperação, em uma clínica alemã, passou horas batendo forehands e backhands quando ainda estava em uma cadeira de rodas, apenas para se “sentir vivo de novo”. Tipsarevic voltou a atuar há duas semanas, jogando duplas em Miami com Novak Djokovic.

“Eu nem pedi a ele. Ele me disse: ‘Nós vamos jogar’. Não tem muitos líderes do ranking que ganharam Indian Wells na semana anterior que aceitariam jogar duplas”. O sérvio ainda falou do apoio de outros jogadores, como o argentino Juan Martin del Potro, que também luta para retornar após lesão no punho, e se diz ansioso para o jogo desta terça, contra o gaúcho Guilherme Clezar.

“Ele (Del Potro) me disse, e eu concordo plenamente, que o mais difícil é treinar pra nada. Estou mais ansioso do que feliz, mas também estou feliz por poder ir à quadra e dizer: ‘Vamos ver como vai ser’. Sei que estou quase com 31 anos. Meu objetivo e meu sonho seria voltar ao top 10 e não tenho muitas semanas a perder”.

Últimas notícias
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis
ProSpin
HandDry