fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Joao Souza, Blaz Rola, Andreas Haider-Maurer, Rio Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Joao Souza, Blaz Rola, Andreas Haider-Maurer, Rio Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Joao Souza, Blaz Rola, Andreas Haider-Maurer, Rio Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/feijao/0218_rio_voleia_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/feijao/0218_rio_voleia_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Rio Open
Feijão não lamenta voleio errado e fala sobre Davis
19/02/2015 às 02h31
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/feijao/0218_rio_voleia_int.jpg" title="Feijão errou um voleio que lhe custou o segundo set" />

Feijão errou um voleio que lhe custou o segundo set

Foto: Divulgação/Agif
Felipe Priante
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Rio de Janeiro (RJ) - Depois de muito enrolar e fugir de comentar sobre a ainda não divulgada convocação para a Copa Davis, na qual segundo o Blog do Tênis ele estará garantido, o paulista João “Feijão” Souza finalmente falou um pouco mais sobre a possibilidade de voltar a defender o país na competição. Depois de mais uma grande vitória no Rio Open, que lhe garantiu nas quartas de final, o destro de Mogi das Cruzes deixou escapar algo sobre o duelo com a Argentina, que acontecerá em duas semanas.

Questionado sobre as mudanças que uma partida de cinco sets, que Feijão teve pela frente apenas uma vez na carreira, podem acarretar em seu jogo, ele descreveu: “Não tem muito o que mudar. Vai ser minha primeira vez fora, vou ter que me prepara muito mentalmente, ainda mais depois do jogo contra o (Leonardo) Mayer na semana passada”, disse o paulista, que fez questão de reforçar não ter nada acertado ainda.

Garantido com 100% de precisão, por hora, apenas a sua vaga nas quartas de final do Rio Open, que veio em duelo apertado com o esloveno Blaz Rola, vencido apenas no terceiro set. Feijão poderia ter fechado o jogo em parciais diretas, em um dos match-point que teve no segundo ele jogou a bola para fora em um voleio relativamente fácil. Apesar de reconhecer a chance desperdiçada, ele nem lamentou muito o erro.

“Era voleio mais fácil do mundo, se não fosse match-point ia bater cruzado e entrava”, brincou Feijão, que depois perdeu o tiebreak e teve que jogar o terceiro set. Isso, porém, não o abalou para a sequência do jogo. “Na hora que eu sentei sabia que ou eu pensava no voleio ou jogava. Aquele primeiro game foi muito importante, precisava manter o saque. O mental foi a parte mais importante do jogo”, destacou.

Feijão também salientou que conseguir quebrar de volta o esloveno logo em seguida no terceiro set foi talvez o momento mais decisivo do jogo, mais até que o voleio que acabou errando em um dos três match-points que teve no desempate do segundo set. Seu próximo adversário será o austríaco Andreas Haider-Maurer, um conhecido do paulista.

“Vi o jogo do (Tommy) Robredo contra ele hoje. Nos damos bem fora de quadra e já treinamos juntos, a última vez foi no challenger de Bucaramanga”, observou o tenista de Mogi das Cruzes. “Sexta-feira vou pensar mais nisso, estou nas quartas, espero contar com a galera e me divertir ao máximo. Vai ser mais um jogo duro”, avaliou o número 2 do Brasil, que poderá ser o melhor do país no ranking caso Bellucci não vá bem no ATP de Buenos Aires, na próxima semana.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series