fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Teliana Pereira, Sara Errani, Rio Open Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Teliana Pereira, Sara Errani, Rio Open Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Teliana Pereira, Sara Errani, Rio Open tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/teliana/0217_rio_back_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/teliana/0217_rio_back_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Rio Open
Teliana quer tirar lições de derrota para Errani
17/02/2015 às 22h18
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/teliana/0217_rio_back_int.jpg" title="Teliana defendia a semi no Rio Open do ano passado" />

Teliana defendia a semi no Rio Open do ano passado

Foto: Divulgação/Agif
Felipe Priante
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Rio de Janeiro (RJ) - Apesar da derrota sofrida nesta terça-feira, em sua estreia no Rio Open, a pernambucana Teliana Pereira não saiu muito abatida do confronto com a italiana Sara Errani. Para a número 1 do Brasil, partidas como essa servem para tirar lições para o futuro. “O que eu quero e jogar com jogadoras desse nível”, comentou.

“Não é sempre que a gente enfrenta finalista de Grand Slam. Contra elas não basta jogar cinco ou seis games bem. Tenho que treinar ou jogar com foco total. Hoje em um jogo de 1h20 eu fiz bons 20 minutos apenas”, observou a pernambucana. “Cmeça desde a hora de acordar, tenho que ser intensa o tempo todo. Um bom exemplo é o Nadal, isso é que faz a diferença”, acrescentou.

Teliana não poupou elogios à algoz italiana. “Ela é muito regular, ao mesmo tempo vai te jogando para trás e te tira de sua característica. Tenho um jogo mais parecido com o dela, de fazer os pontos mais longos”, avaliou a brasileira. “Não é sempre que enfrento 16 do mundo, que é finalista de RG”.

A número do Brasil só lamentou não poder jogar em um lugar que gosta muito. “Fico chateada porque é um torneio em que me sinto bem, tem algo diferente nesse lugar. Posso estar mal que tudo muda. Dei tudo que tinha mas não foi suficiente”, comentou Teliana, que garantiu estar bem fisicamente depois de enfrentar problemas durante a Fed Cup.

Embora tenha sido eliminada em simples, a pernambucana ainda segue viva no torneio disputando a chave de duplas ao lado da paulista Beatriz Haddad Maia. “Sempre gostei muito de jogar dupla, mas ano passado não estava com condições físicas para isso. Nunca joguei com a Bia e vai ser legal essa troca de experiências. Com isso dá para trabalhar devolução, saque e jogo de rede. É legal poder continuar no torneio”, finalizou Teliana.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series