fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andre Sa, Joao Souza, Juan Monaco, Maximo Gonzalez, Rio OpenCopa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andre Sa, Joao Souza, Juan Monaco, Maximo Gonzalez, Rio OpenCopa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andre Sa, Joao Souza, Juan Monaco, Maximo Gonzalez, Rio Opentênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/duplas/sa_feijao_rio_abraco_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/duplas/sa_feijao_rio_abraco_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Rio Open
Feijão e Sá repetem vitória e batem argentinos
16/02/2015 às 17h52
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/duplas/sa_feijao_rio_abraco_int.jpg" title="Sá e Feijão bateram Monaco e Gonzalez no Brasil Open" />

Sá e Feijão bateram Monaco e Gonzalez no Brasil Open

Foto: Divulgação/Agif
Felipe Priante
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Rio de Janeiro (RJ) - Assim como aconteceu no Brasil Open, o mineiro André Sá e o paulista João “Feijão” Souza estrearam na chave de duplas do Rio Open contra os argentinos Juan Monaco e Maximo Gonzalez e novamente levaram a melhor em sets diretos. Nesta segunda-feira, os brasileiros levaram a melhor depois de 1h12 de jogo, com placar final de 7/5 e 6/0.

Na segunda rodada, os brasileiros podem ter um compatriota pela frente, uma vez que esperam os vencedores do confronto envolvendo os cabeças de chave 3, o mineiro Marcelo Melo e o austríaco Julian Knowle, e a parceria do espanhol Pablo Andújar com o austríaco Olivier Marach.

“Lá em São Paulo a quadra é mais rápida e difícil de quebrar o saque, aqui como é e mais lento e ainda choveu fez com que a quadra ficasse mais lenta ainda”, comentou Sá, analisando as diferenças de um torneio para o outro. Para ele, o fato dos argentinos terem discutido com a torcida em um momento do duelo acabou ajudando.

“No segundo set eles desapareceram, se desentenderam com o pessoal e acabaram perdendo a concentração. Depois disso não fizeram mais nada”, observou o mineiro, que deu sua versão do ocorrido. “Torcer contra argentino no Brasil é normal, mas parece que o pessoal estava ofendendo pessoalmente, o que não é legal. Ele se sentiu ofendido e era um momento decisivo. Depois disso foi 6/0”, comentou.

Também pela chave de duplas, o carioca Fabiano de Paula e o gaúcho Marcelo Demoliner não conseguiram ir além da estreia. A parceria 100% nacional até saiu na frente, mas no fim não foi páreo para o eslovaco Martin Klizan e o austríaco Philipp Oswald e acabou derrotada de virada, com parciais de 4/6, 6/3 e 10-5, depois de 1h23 de confronto.

Algozes da dupla gaúcho-carioca, Klizan e Oswald terão pela frente um páreo duro que sairá do equilibrado confronto envolvendo os tchecos Frantisek Cermak e Jiri Vesely e a parceria quarta favorita no torneio que tem o uruguaio Pablo Cuevas e o espanhol David Marrero.

O espanhol Nicolás Almagro e o italiano Fabio Fognini já se despediram da chave de duplas. Eles foram eliminados pelos argentinos Carlos Berlocq e Leonardo Mayer em sets diretos, com parciais de 6/4 e 6/3. Os ‘hermanos’ esperam agora pelos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, ou pela dupla do espanhol Albert Ramos com o colombiano Santiago Giraldo.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series