fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Fabio Fognini, Diego Schwartzman, Santiago Giraldo, Brasil Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Fabio Fognini, Diego Schwartzman, Santiago Giraldo, Brasil Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Fabio Fognini, Diego Schwartzman, Santiago Giraldo, Brasil Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/fognini/0212_bropen_coletiva_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/fognini/0212_bropen_coletiva_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Brasil Open
Fognini celebra volta ao saibro e primeiro triunfo
12/02/2015 às 19h38
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/fognini/0212_bropen_coletiva_int.jpg" title="Fognini não havia vencido em simples no ano até agora" />

Fognini não havia vencido em simples no ano até agora

Foto: Divulgação
Felipe Priante
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

São Paulo (SP) - Depois de conquistar o Australian Open nas duplas e ficar dois jogos sem vencer em simples, o italiano Fabio Fognini recobrou o caminho das vitórias no Brasil Open, justamente sobre o saibro, sua superfície favorita. Nesta quinta-feira, ele derrotou argentino Diego Schwartzman em partida de três sets, garantindo vaga nas quartas de final da competição.

“Foi minha primeira partida no saibro e sempre há uma certa dificuldade, principalmente com um rival bom que já vinha de um jogo. O mais complicado foi o mental, não o conhecia muito bem, o que foi agravado pela capacidade que mostrou”, comentou o italiano sobre seu primeiro rival no Ginásio do Ibirapuera.

O italiano fez um bom primeiro set, mas caiu de rendimento no segundo e teve que elevar o nível no terceiro para triunfar. “Estou contente por ter sobrevivido, pois era meu primeiro jogo no saibro em muito tempo. Segui lutado até o fim e isso era algo que ultimamente estava me faltando. Amanhã espero poder melhorar”, observou Fognini.

Nas quartas de final, o cabeça de chave número 3 terá pela frente o colombiano Santiago Giraldo, contra quem já jogou quatro vezes, com dois triunfos para cada lado. “A última vez que jogamos foi sem Stuttgart ano passado, é sempre um jogo duro”, observou Fognini, que afirmou estar buscando acertar a parte mental para ter mais sucesso.

Campeão nas duplas em Melbourne, o italiano revelou que a parceria com o compatriota Simone Bolelli vai muito além das quadras. “Nós somos muito amigos fora de quadra, é algo mais que nos ajudou a conseguir ir bem. Em 2013 começamos bem, mas ele se machucou”, comentou Fognini, que antes já havia feito semi na Austrália (2013) e no US Open (2011).

A conquista do primeiro Grand Slam da temporada faz com que Fognini e Bolelli sonhem em ir ao ATP Finals deste ano. “Agora é um objetivo real, é algo que não esperávamos, estamos muito felizes e espero que possamos ganhar muitas partidas daqui até o fim do ano”, encerrou o italiano, que também tem como meta buscar o top 10 no ranking de simples.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series