fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Serena Williams, Venus Williams, Madison Keys, Dominika Cibulkova, Australian OpenCopa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Serena Williams, Venus Williams, Madison Keys, Dominika Cibulkova, Australian OpenCopa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Serena Williams, Venus Williams, Madison Keys, Dominika Cibulkova, Australian Opentênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/serena/0128_ausopen_saca_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/serena/0128_ausopen_saca_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Serena comemora fim de 'zica' em Melbourne
28/01/2015 às 07h52
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/serena/0128_ausopen_saca_int.jpg" title="Serena terá duelo 100% norte-americano na semifinal" />

Serena terá duelo 100% norte-americano na semifinal

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Nos últimos quatro anos, a norte-americana Serena Williams teve as quartas de final como barreira intransponível no Australian Open. Campeã em 2010, a atual número 1 do mundo não jogou o torneio no ano seguinte, parou nas oitavas de final em 2014 e 2012, tendo como melhor campanha neste período as quartas de 2013.

Só que nesta temporada, a líder do ranking deixou este jejum para trás, se garantiu nas semifinais e segue mais firme do que nunca em busca da sexta conquista no torneio. “É bom finalmente passar das quartas de final ou das oitavas. Tinha esquecido como era isso aqui em Melbourne. Fazia muito tempo”, comentou a caçula das irmãs Williams, que nesta quarta-feira eliminou a eslovaca Dominika Cibukova, vice-campeã no ano passado.

“Sinto que joguei bem. Quando você vai enfrentar uma jogadora como ela, que está confiante em quadra, precisa jogar bem ou vai para casa”, acrescentou a norte-americana, que ainda se recupera de um resfriado. “Já estive melhor, mas estou bem. Estou feliz de seguir no torneio, apesar de estar um pouco rouca. Acredito que vou melhorar. Ouvi dizer que foi um vírus que atingiu muitos jogadores e eu também o peguei”, comentou Serena.

Nas semifinais, a número 1 do mundo terá pela frente a compatriota Madison Keys, algoz de Venus na outra partida de quartas de final do dia. Apesar de Keys ter eliminado a irmã mais velha de Serena, ela até celebrou ver a jovem conterrânea avançar. “É legal para mim e para Venus, pois sabemos que finalmente outras compatriotas estão jogando bem e se colocando entre as melhores do mundo”, comentou.

“Ela jogou muito hoje e estou muito feliz por ela ter ido bem. É bom ter outra afro-americana nas semifinais, o que já garante uma norte-americana na final”, acrescentou Serena, que teve um misto de sensações ao ver que não enfrentaria sua irmã mais velha. “Sempre torço por Venus. Ao mesmo tempo, é muito difícil ter que jogar contra ela, perdi na última vez que nos enfrentamos”, disse a caçula das Williams.

Apesar de não falar muito sobre tênis com a irmã, Serena irá pegar algumas dicas com Venus para encarar Keys. “Com certeza vou falar com ela. E também com meu treinador, que tem me ajudado nestas duas últimas semanas. Estou empolgada pela semi”, declarou a principal favorita em Melbourne.

Do outro lado, a norte-americana de apenas 19 anos terá a ajuda da técnica Lindsay Davenport, que já enfrentou Serena em 14 oportunidades, somando 10 derrotas e apenas quatro vitórias. “Tenho certeza que sim, Lindsay e Madison estão fazendo um grande trabalho juntas”, comentou a número 1 do mundo, que fará a segunda semifinal desta quinta-feira.

O fato de jogar depois não muda nada para Serena. “A diferença é que você joga sabendo quem já está na final. Fica lá no fundo da sua mente. E só isso, não tem muita diferença. Já joguei primeiro e em segundo centenas de vezes”, observou a norte-americana, que entrará em quadra sabendo qual das russas, Maria Sharapova e Ekaterina Makarova, será a outra finalista.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series