fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Novak Djokovic , Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Novak Djokovic , Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Novak Djokovic , tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/federer/0706_wimb_devolve_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/federer/0706_wimb_devolve_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Wimbledon
'Posso alcançar muito mais no futuro', diz Federer
06/07/2014 às 17h40
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/federer/0706_wimb_devolve_int.jpg" title="Federer teve trabalho diante do saque de Djokovic" />

Federer teve trabalho diante do saque de Djokovic

Foto: Site Oficial
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Londres (Inglaterra) - Aos 32 anos, o suíço Roger Federer tem sido frequentemente questionado sobre a possibilidade de deixar o tênis profissional. Após a disputa de sua nona final em Wimbledon, o heptacampeão afirmou não saber se voltará a estar em uma decisão novamente, mas que o desempenho apresentado ao longo do torneio o anima para próximos desafios.

“Não há garantia de que estarei aqui outra vez ou se ainda há muito por vir. É impossível responder a essa questão. Estou feliz por jogar normalmente e por minha performance e isso me faz acreditar que posso alcançar muito mais no futuro”, disse Federer após a derrota em cinco sets para o sérvio Novak Djokovic na final realizada neste domingo. “Sinto que fizemos uma grande partida. O nível técnico foi bom. Não acho que joguei, necessariamente, o meu melhor tênis. Fiquei um pouco desapontado por não poder vencer três sets hoje. Novak jogou muito bem e não teve muitas quedas de rendimento”.

Federer revela que sentiu dificuldade para lidar com o saque de Djokovic durante a partida. O sérvio começou o jogo confirmando seus games de serviço com rapidez e só enfrentou um break-point no final do 2º set, sofrendo sua primeira quebra já na quarta parcial. “Eu tentava entender por que não conseguia quebrar o saque dele. Nos momentos importantes, não pude criar oportunidades de colocá-lo sob pressão. Foi assim até o quarto set, quando eu já estava com uma quebra abaixo que eu comecei a devolver melhor o saque dele, o que me surpreende, pois já nos enfrentamos muitas vezes”, comenta Federer, que fez neste domingo sua 35ª partida diante de Djokovic.

“Antes ele vinha com um ótimo desempenho no saque, tendo alta percentagem no primeiro serviço, sendo agressivo da linha de base e não cometendo erros fáceis. Fiquei triste por não ter saído com a vitória, mas sei que o placar foi muito apertado”.

Apesar da tristeza por ter saído de quadra sem o troféu de campeão, Federer afirma que ter a família por perto foi uma experiência reconfortante ao final do jogo. Durante o torneio, a esposa Mirka, os pais, Robert e Lynette, e as duas filhas mais velhas, as gêmeas Charlene Riva e Myla Rose, próximas de completar cinco anos, estiveram no camarote reservado ao tenista acompanhando suas partidas. O agora terceiro do ranking também fez questão de agradecer ao público que, como de costume, em sua maioria torcia por ele.

“Estar em uma final de Wimbledon, ganhando ou perdendo, é algo sempre marcante e especial. Ainda mais em uma partida tão dramática como a de hoje. Foi um momento memorável ver minha esposa e filhas lá, foi o que mais me tocou, honestamente. Fiquei triste e desapontado pelo placar, mas por pouco tempo. Estava mais feliz em ver minha família e ter todo o apoio do público. Eles me colocavam para cima e fizeram eu me sentir melhor”. 

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series