fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Amelie Mauresmo, John McEnroe, Jimmy Connors, WimbledonCopa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Amelie Mauresmo, John McEnroe, Jimmy Connors, WimbledonCopa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Amelie Mauresmo, John McEnroe, Jimmy Connors, Wimbledontênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/outros_assuntos/mauresmo_murray_treinam_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/outros_assuntos/mauresmo_murray_treinam_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Wimbledon
'Temos que dar a Amelie mais tempo', diz McEnroe
03/07/2014 às 09h35
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/outros_assuntos/mauresmo_murray_treinam_int.jpg" title="Murray e Mauresmo começaram trabalho recentemente" />

Murray e Mauresmo começaram trabalho recentemente

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Londres (Inglaterra) - Campeão de Wimbledon no ano passado, acabando com um jejum de 77 anos de títulos da casa, Andy Murray não conseguiu defender o título nesta temporada, caindo nas quartas de final. Para o norte-americano John McEnroe, apesar de não ter repetido a campanha de 2013, o britânico não deve se precipitar ao avaliar o trabalho com a recém-contratada Amelie Mauresmo.

A francesa começou a trabalhar com Murray às vésperas de Wimbledon e segundo o ex-tenistas profissional ainda pode ajudar Murray. “Ainda acho que pode dar certo entre os dois. Temos que dar a Amelie mais tempo. Seria injusto demiti-la, pois teve pouco tempo de trabalho para preparar algo para Wimbledon”, observou McEnroe.

“Mauresmo fez um grande trabalho treinando outras pessoas e não há razão alguma para duvidar que ela possa trabalhar bem com Murray”, comentou o norte-americano. Para ele, a derrota para o búlgaro Grigor Dimitrov veio mais em função de Murray ter encontrado pela frente um adversário com mais ‘fome’ de vitória.

“Achei interessante Dimitrov ter dito que Murray parecia cansado. Foi o típico caso de um cara cheio de vontade contra um outro que parece não ter levantado com o pé direito e não estava com tanta energia”, declarou o norte-americano.

Outro norte-americano já aposentado do circuito, Jimmy Connors, também pediu paciência para as cobranças sobre o britânico. “Murray tem ainda alguns anos de grande tênis pela frente. Vencer Grand Slam é diferente dos demais torneios. São duas semanas, com dias de descanso e partidas que podem durar de três até cinco sets. É uma batalha mental e física. Por isso que são tão difíceis”, finalizou.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series