fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Stanislas Wawrinka, Basileia, ATP Finals, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Stanislas Wawrinka, Basileia, ATP Finals, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Stanislas Wawrinka, Basileia, ATP Finals, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2013/federer/1009_xangai_toss_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2013/federer/1009_xangai_toss_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
'É uma vantagem poder jogar em casa', diz Federer
20/10/2013 às 17h07
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2013/federer/1009_xangai_toss_int.jpg" title="Federer entra como terceiro favorito no ATP da Basileia" />

Federer entra como terceiro favorito no ATP da Basileia

Foto: Arquivo
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Basileia (Suíça) - A temporada do suíço Roger Federer está bem longe de poder ser comemorada por ele e seus fãs. Mesmo assim, o atual número 7 do mundo está na briga por uma vaga no ATP Finals de Londres e espera conseguir pontos importantes na próxima semana, quando jogará em sua cidade natal, entrando como terceiro favorito no ATP 500 da Basileia.

"Definitivamente, eu acho que é uma vantagem poder jogar em casa", comentou Federer, que estreia na competição contra o francês Adrian Mannarino. "Vou tentar jogar bem para me classificar para o ATP Finals, mas o foco é totalmente neste torneio. Quero pensar em um jogo de cada vez, tanto nesta semana na Basileia, quanto na próxima em Paris", acrescentou o suíço.

"Preciso estar focado no meu primeiro jogo e espero que isso possa me ajudar", completou Federer. Além dele, a torcida suíça também tem a expectativa de ver o compatriota Stanislas Wawrinka conseguir uma vaga em Londres. "Vou ficar feliz se Stan se classificar. Se isso significar que eu vou ficar de fora, não me preocupo. Significa que ele foi melhor do que eu neste ano e sempre fico feliz com seus resultados", disse o ex-número 1.

Federer tem em Wawrinka um dos principais companheiros no circuito e não acredita que o fato de serem do mesmo país crie algum tipo de competição extra entre os dois. "Não nos vejo como rivais. Vamos ver depois de Paris como as coisas estarão. Com a ausência de Murray, com certeza aumenta a chance de nós dois nos classificarmos", concluiu o atleta da Basileia.

Questionado sobre a fraca temporada e uma possível aposentadoria, o suíço mostrou confiança em si mesmo e indicou que não deve parar tão cedo. "Enquanto meu corpo e minha mente estiverem prontos, vou continuar jogando. Estou no circuito há muito tempo e não serão seis meses ruins que vão mudar alguma coisa", encerrou o oitavo melhor da temporada, que tentará conquista seu sexto título jogando dentro de casa.

Últimas notícias
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis
ProSpin
HandDry