Instrução | Infantil
Como trazer mais crianças para o tênis?
Por Suzana Silva
15/12/2020 às 20h53

O desafio de aumentar a participação das crianças no esporte continua! Daremos uma olhada rápida em nosso esporte favorito, o tênis, e em como estão as crianças de hoje para buscarmos algumas saídas.

Por ter sido considerado um dos esportes mais seguros em tempos de pandemia, a participação no tênis aumentou muito no mundo todo e precisamos aproveitar esta janela de oportunidade! Nos programas promovidos pela Federação Inglesa por exemplo (Lawn Tennis Association), a participação no verão teve um aumento de 372%!

No Brasil, apenas para citar duas das maiores instituições privadas de tênis, vimos também um crescimento considerável na abertura após-quarentena: Escola Guga (de 3.432 em março, para 3.890 em novembro) e Academias Play Tennis (de 2.000 clientes ativos em março para mais de 2.300 clientes ativos em novembro).

As escolas estão fechadas em muitos países, mas os programas de tênis nas escolas têm crescido muito nos últimos anos, inclusive no Brasil, já que deixar as crianças em tempo estendido no ambiente escolar facilita a logística do dia a dia e se constitui num ambiente seguro.

Ao mesmo tempo, temos visto o crescimento de modalidades de raquete que usam espaços reduzidos de jogo, que facilitam seu aprendizado e engajamento da família: touch tennis, pickle ball e beach tennis.

Temos percebido também que as competições de entrada para crianças precisam ser mais curtas e agregar atrações para a família. Os pais têm tempo de lazer cada vez mais escasso e muitas vezes deixam de levar os filhos às competições porque querem relaxar e se divertir aos finais de semana também.

Como estão nossas crianças hoje? Com o quadro mundial da Covid, as crianças que possuem condições de participar de programas esportivos estão passando até 8 horas na frente de uma tela, sendo que o recomendado pela OMS é ficarem no máximo 2 horas (1).

Com a falta de segurança nas grandes cidades e falta de monitoramento pela intensa jornada de trabalho, a grande maioria das famílias não permite que os filhos brinquem fora de casa.

O lazer eletrônico ocupa então a principal fonte de diversão e interação das crianças!

Nossas crianças estão mais fracas fisicamente, com menor repertório motor do que nunca antes na história.

Vamos conhecer um pouco mais dessa geração de crianças que recebemos em nossas quadras. Em negrito, algumas ações pedagógicas importantes para os professores que atuam diretamente com as crianças:

GERAÇÃO Z - nascidos entre 1997 e 2009 (11 anos e acima) Extremamente visuais - Demonstrar mais do que explicar - Organizar visualmente o espaço de aula e de jogo - Usar alvos divertidos Pouco tempo de atenção - Explicações simples - colocar em atividade rapidamente Querem se divertir - Exercícios e tarefas em forma de jogos - Jogo em si todas as aulas Aquisição rápida de conhecimento - Não subestime sua inteligência! Elas vieram com outro chip! Altamente conectadas - Use os jogos eletrônicos como gancho para a atividade! Experts em tecnologia (celular ou PC) - Ter informação de qualidade online para acesso Uso das mídias sociais - Para divulgar programas - jogos - viagens - para manter as crianças do seu programa conectadas

GERAÇÃO Alpha - Pessoas nascidas entre 2010 e 2025 (10 anos e abaixo) Termo alcunhado pelo australiano Mark McCrindle, em 2009, a Geração Alpha tem ainda mais desafios que a Geração Z.

Filhos de famílias com no máximo uma criança por núcleo familiar, essas crianças são mais mimadas e ricas em termos de posses materiais e dispositivos eletrônicos, tornando-as buscadoras de gratificação instantânea, egoístas e excessivamente indulgentes.

Proporcionar alternância de atividades individuais - em duplas - em grupos - cooperativas e competitivas

Os papais e mamães desta turma possuem jornada dupla de trabalho, com trabalho mais flexível, mas que mistura do ambiente de trabalho com o ambiente familiar. Eles têm menos tempo para praticar atividade física eles mesmos com as demandas aumentadas de cuidar dos filhos e da casa desde os tempos pré- pandemia.

Proporcionar, durante e pós pandemia, programas de tênis e atividades de lazer em família.

Essas crianças nasceram num ambiente 100% digital e precisamos nos aliar à tecnologia digital tanto para ensinar como para entreter!

Facilitar o acesso das pessoas ao local de aulas/ treinos/ jogos (reservas on-line) e usar o jogo eletrônico como gancho para a atividade.

São visuais, multitarefas, com baixo nível de atenção.

Usar atividades/ tarefas em circuito, com espaços bem visíveis e delimitados - Troca de parceiros de atividade e de adversários de jogo - Exercícios e partidas curtas por tempo.

Buscam informação na internet e querem a informação de imediato.

Querem aprender no seu ritmo, com tutoriais e reforços online à disposição.

Como podemos então atrair e reter essas crianças em nossos programas? Apontamos algumas saídas:

1. As crianças têm diferentes níveis de desenvolvimento nos diferentes aspectos (desenvolvimento fisiológico, motor, cognitivo e emocional) e podem sentir-se desafiadas e competentes se receberem estímulo adequado à sua curva de desenvolvimento!

2. As atividades precisam então envolver desafios adequados ao nível de habilidade dessas crianças com pouco repertório motor e mais frágeis.

3. As crianças não podem ser julgadas ou criticadas pela sua performance, apenas encorajadas e motivadas a continuar! Professores e pais as encorajam e incentivam com as boas perguntas: o que aprendeu de novo hoje? O que acredita que pode melhorar? Como você pode fazer para praticar entre as aulas?

4. As crianças devem ser estimuladas a resolver problemas e a desenvolver autonomia.

5. Papais e mamães dando o exemplo, participando de atividades saudáveis também, é muito importante! Por isso, o sucesso de atividades em família! Eles podem incentivar também criando a oportunidade de assistirem juntos jogos de seus ídolos ao vivo ou pela TV e incentivar a leitura sobre esportes e sobre a vida saudável ao ar livre. Também precisam ser informados pelos profissionais do ensino do tênis sobre as expectativas reais que podem ter com relação ao desenvolvimento psicomotor de seus filhos!

6. A participação do grupo de amigos na atividade esportiva é muito importante. Por isso, incentivamos as aulas em grupo, para que as crianças cresçam e se desenvolvam no ambiente com seus pares!

7. As competições "de entrada" ou "pré-federadas" para crianças devem ter multitarefas, jogos curtos com vários adversários diferentes, atividades para toda a família e de curta duração, além de envolver também os jogos eletrônicos! Podemos repensar formatos alternativos para os torneios federados também: partidas mais curtas, por equipes, com atrações para a família.

Como queremos que nosso esporte esteja amanhã?

A facilitação do processo de aprendizado e a utilização das bolas mais lentas e espaços reduzidos de jogo são a chave para trazer e reter não apenas as crianças, mas também adultos ao tênis!

É uma geração inundada com estimulação do cérebro por meio da tecnologia. A parte que precisamos prestar atenção é trabalhar o coração. Que valores humanos queremos e precisamos ensinar como base ética de convivência para as próximas gerações?

Que competências podemos ensinar, através do tênis, para pessoas do século 21? Adaptabilidade, curiosidade, pensamento crítico, persistência, trabalho em equipe, consciência social e cultural, sustentabilidade ...

Esse apelo dos VALORES E COMPETÊNCIAS PARA A VIDA que a experiência do tênis pode agregar à educação das crianças, juntamente com a melhora da SAÚDE, e a possibilidade da PRÁTICA EM FAMÍLIA, são os nossos principais trunfos!

* Extraído da apresentação de Suzana Silva na Conferência Regional da ITF-2020 proferida no dia 11 de dezembro.

Suzana Silva é apaixonada por ensinar o jogo de tênis para qualquer pessoa que queira aprender, e tem como missão trazer mais praticantes para nosso esporte favorito. Diretora da Suzana Silva Tênis, baseada no Hotel Transamerica São Paulo, criou o Método Suzana Silva de ensino de tênis, é Coordenadora Pedagógica do Programa Jogue Tênis nas Escolas/CBT e pertence à Equipe Nacional de Capacitação da CBT.

suzana.silva@suzanasilvatenis.com.br


Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio