TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
Quebra-quebra em Nova York
Por Chiquinho Leite Moreira
setembro 8, 2015 às 1:08 pm

raquetequebrada

Alguns tenistas marcaram época, fizeram fama e até utilizaram como jogada de marketing as cenas de horror, ou melhor, momentos de fúria em que as raquetes se tornaram vítimas fatais. Destruições de equipamentos, temperamento explosivo fizeram parte memorável da carreira, por exemplo, do norte-americano John McEnroe. Ao final, inclusive, faturou com isso, como no episódio do ‘you cannot be serius’ em que a reclamação com o árbitro de cadeira em Wimbledon entrou para a história e rendeu ao jogador bons cachês em comerciais.

Na época as punições eram brandas. Só que com o tempo e a frequência apresentada por McEnroe fizeram a ATP tomar atitudes mais drásticas e até mesmo impor uma longa suspensão ao mimado tenista americano. Ao longo dos anos, diversos outros jogadores também estiveram marcados por episódios parecidos. O croata Goran Ivanisevic era um. Marat Safin, sempre muito sincero e franco, até chegou a confirmar numa entrevista que se o proibissem de quebrar raquetes pararia de jogar.

De todas as cenas uma das que mais chamaram atenção aconteceu com o cipriota Marcus Baghdatis. Parece ter sido a primeira vez em que houve uma destruição em série. Sentou-se no banco e quebrou quatro… algumas ainda dentro do plástico. E, é claro, foi vaiado…

Agora neste US Open o quebra-quebra envolveu alguns dos líderes do ranking e verdadeiros astros do esporte, como Novak Djokovic e Andy Murray. O mais curioso é que, diferentemente das vaias de Baghdatis, hoje o público em Nova York parece estar curtindo a cena. A ponto de uma raquete quebrada transformar-se em objeto de desejo, quase um troféu para o torcedor que a recebe. Onde será que isso vai parar? Afinal, é polêmico. Tem gente que curte e entende, outros vaiam e os resultados são imprevisíveis. Djokovic quebrou a raquete e ganhou. Murray fez o mesmo e perdeu.

 


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    Chiquinho, teve uma vez que o Goran Ivanisevic quebrou tantas raquetes num jogo que não se deu conta de que não havia sobrado mais nem uma, e teve de abandonar. kkkkkk

    Responder
  2. Ernesto

    Estas cenas refletem o aspecto mental dos jogadores, que inegavelmente está fraco… Djokovic, embora ganhando o jogo, parece estar sentindo ainda a debilidade após perder para Murray e Federer, mostrando inconscientemente que seu jogo não será páreo caso pegue Federer na final, pois o suíço está dando um verdadeiro show de tênis aos 34 anos, sendo um exemplo a seguir em quadra, sem estes momentos de “estrelismo”. Até o presente momento, Federer está merecendo levar mais um caneco de Grand Slam, o que seria um troféu por tudo que tens representado para esse esporte.

    Responder
  3. Ernesto

    Esse tipo de atitude demonstra o mental enfraquecido… tanto Murray quanto Djokovic não estão confortáveis neste US OPEN; o favorito é Federer, e este está demonstrando isso nos jogos , seja na técnica quanto na atitude mental. Tomara que este ano seja coroado com mais um Grand Slam , para fechar a construção de adaptação à nova realidade, sem quebras de raquetes (troca de raquete, inclusão de Estefan Edberg na equipe técnica, para aperfeiçoamento do saque-voleio, criação de golpe de devolução).

    Responder
  4. Ligia

    Acho mais do que normal um tenista quebrar a raquete num momento de raiva, de frustração. Aios ardorosos fãs do bem comportado Federer: ele jamais quebrou uma raquete? Duvido!

    Responder
    1. Ernesto

      Então acho melhor pegarem menos leve com o Nick Kyrgios… é no momento de raiva, frustração… faz parte do jogo… e engraçado que não é somente porque alguém quebrou no passado, que não possa evoluir… ou quem quebrou no passado tem que continuar quebrando?? muito estranho tudo isso… mas enfim…

      Responder
  5. luciane

    Sim,o Federer já disse que no começo quebrava muita raquete,era intempestivo e raivoso….mas com o tempo foi amadurecendo e evoluindo!!Acho formidável a inteligência emocional que ele tem,muito raro hoje em dia nos seres humanos!!Quebra de raquetes e demonstrações de descontrole emocional são frutos de pessoas mimadas e imaturas!Eu gostaria de ser como Federer,mas infelizmente,ainda sou intempestiva e raivosa em certos momentos!!rsrs

    Responder
  6. rubao

    realmente esse tal Federer(garoto propaganda que usa o politicamente correto para demonstrar algo que não o é) te muito controle emocional…tanto que lembro muito bem, quando cançou e já não aguenteva mais tomar couro do baloeiro Nadal(este sim pode se vangloriar de ter controle emocional e nunca ter quebrado raquete) caiu aos prantos como um bebe chorão por ter perdido mais uma final de slam(não lembro qual, mas lembro bem do choro) para o carrasco nadal.
    Bom, o caso é que, se este é o melhor de todos os tempos….o Nadal é o que? já que tem o dobro de vitórias no confronte direto com ele? e oo djoko? tem 21 x 21, sendo que 1/3 das derrotas dele foi quando era garoto e estava começando no circuito enquanto o tal melhor de todos os tempos ja estava no auge da carreira.
    Melhor do mundo é piada, só pegou cabeça de bagre, e quando surgiu Nadal e djoko acabaram com a festa dele.

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>