TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
Agradavel surpresa
Por Chiquinho Leite Moreira
setembro 15, 2014 às 6:02 pm

Agradavel surpresa! A exclamação veio de um ex-jogador de Copa Davis e hoje um dos maiores promotores e amantes do tênis do Brasil. Esperto, como sempre, soube definir em apenas duas palavras todo o cenário deste fim de semana no Ginásio do Ibirapuera. Afinal, quem poderia esperar a Espanha com um time de terceira linha. Ainda assim, quem poderia esperar atuações tão brilhantes como as de Thomaz Bellucci.

Esta vitória do Brasil pode marcar uma nova era na carreira de Bellucci. Afinal, já no primeiro jogo de simples na sexta feira revelou uma força mental impressionante para superar diversos obstáculos. No domingo repetiu a dose. Assumiu a responsabilidade e ainda teve a dignidade de não se colocar como herói, o salvador da pátria. Afirmou que foi uma vitória da equipe. E não resta dúvida de que todo time teve influência direta na atuação do tenista. E ele também soubre reconhecer que o espanhol Roberto Bautista Agut não esteve num bom dia e, em alguns momentos, não mostrou o seu melhor tênis.

Jamais se discutiu o potencial de Bellucci. Faltava a ele um momento mágico como este fim de semana. Reencontrar-se com a torcida e com as vitórias são ingredientes que podem motivar ainda mais o tenista a buscar um lugar entre os 30 primeiros do ranking.

Para a Espanha o rosto aflito de um dos dirigentes da federação espanhola revelava a atual situação. Ouvindo a entrevista do técnico Carlos Moya e dos jogadores ele ruia as unhas, com aquela preocupação do “que vou falar lá em casa”.

Moya não culpou as ausências. Preferiu elogiar o time brasileiro em especial as atuações de Thomaz Bellucci. Mas voltar para seu país com o peso de ter rebaixado a armada espanhola é uma ferida que ele não merecia em sua carreira.


Comentários
  1. Cleriston

    Concordo contigo, Chiquinho.
    Como explicar uma POTENCIA tenistica com 5 titulos recentes da Davis, com 10 jogadores no top50 e ser rebaixada ?!
    Acredito que a critica espanhola nao vai engolir facilmente a estrategia do Moya.
    Sorte a nossa termos uma dupla excepcional e um Belucci inspirado!
    Tomara que surja um 2o tenista com estilo agressivo e que seja o digno parceiro do Tomaz, para que assim sejamos protagonistas na Davis 2015 no grupo mundial.

    Responder
  2. Renato Toniol

    Chiquinho, dizer que o Moya carrega o peso de ter rebaixado a “armada espanhola”, no meu ver foi um equívoco de sua parte. Não creio que ele tenha culpa alguma, pois, dos jogadores que se colocaram à disposição, ele escalou os melhores. Talvez devessem culpar jogadores como David Ferrer, Tommy Robredo, Fernando Verdasco, que, sequer estão com alguma lesão, mas preferiram descansar, ao invés de driblarem o cansaço.
    Bom para a equipe brasileira, que soube aproveitar muito bem a oportunidade.
    Abs.

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Curiosamente o Moya esteve nas duas derrotas da Espanha no saibro… ambas para o Brasil. A primeira em Lerida e agora em São Paulo. Curiosamente eu estive presente nestas duas vitórias do Brasil

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Se esteve presente meu Caro, deve lembrar que GUGA venceu TODOS os jogos inclusive contra Corretja e em Duplas. Subestimaram tanto que Moya caiu. Tao facil alguem experiente como o amigo reconhecer que a Culpa nao foi de Moya e sim de quem nao aceitou a convocação. Simples assim Abs!

        Responder
  3. Sergio Ribeiro

    Que terceiro Time Chiquinho? Ferrer e Rafa Nadal estão em cura de lesões . Almagro , idem. Lopez nao tem jogado no Saibro. Eles ja sabiam que começariam praticamente com menos um Ponto( Duplas). O TOP 15 , Bautista vem jogando muito, e esmagou Rogerinho. Thomaz salvou Match Point de Andujar. Bellucci e a Torcida ( os Espanhóis chegaram a contratar uma) somados ao Talento de Bruno e Marcelo, rebaixaram a Armada. Parabéns a Equipe. O resto e’ tudo papo furado.Abs!

    Responder
  4. Felipe

    Chiquinho,

    Você não acha que se fosse outro país que a Espanha fosse enfrentar, Verdasco e Lopez não iriam enfrentar? Fomos subestimados? Azar o deles, acho que o Bellucci jogou o tenis digno de sua qualidade, todos sempre souberam do seu potencial mas a cabeça e fisico não ajudavam, mas com esse fim de semana eles mostrou o fisico, pouco mais de 7 hrs em quadra em dois dias e cabeça excepcional…. Tomara que carregue para o circuito mundial todos esses quesitos, só farão ele subir cada vez mais no Ranking, não merece disputar challengers ele tem que brigar com os leões nos Atps maiores

    Abraços

    Felipe

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      É verdade Felipe… acho que os espanhóis subestimaram. Seria mesmo bom, que Belllucci levasse ao tour esta experiência e força mental. abs

      Responder
  5. kelvy

    O Thomaz já vinha mostrando potencial desde o US Open quando jogou contra Wawrinka, acredito que ele tel muito potencial e boa mentalidade pra jogar qualquer partida seja qual nivel for, Vc não achou que essa davis foi pouco divulgada aki no Brasil ? Nem nos jornais vii passando alguma noticia, só na band em pequeno espaço..é uma tristeza uma vitória tão marcante pro time brasileiro não receber a devida divulgação…

    Responder
  6. Papol

    Muito se falou do Thomaz e ele mereceu, mas também temos que reverenciar estes dois maravilhosos e consagrados duplistas brasileiros, o Bruno e o Marcelo. O Thomaz é hoje o único tenista brasileiro que pode aspirar posições melhores em simples. Ele tem potencial para estar no mínimo entre os 20 primeiros. É sabido e comentado que o problema dele é de concentração ou motivacional, porque tênis ele tem. É preciso dar a ele todo apoio para que consiga transformar este potencial em realidade. Tivemos estes 3 profissionais maravilhosos e uma Espanha sem seu primeiro time. Sorte nossa, mas é do jogo. Quanto ao tênis brasileiro, este só vai melhorar com muito trabalho. Temos que formar centenas de tenistas para que alguns se sobressaiam. O exemplo da Argentina está aí.

    Responder
  7. Henrique Farinha

    Chiquinho, como vc vê a questão do Feijão? Particularmente, penso que não se podia deixar o #109 do mundo de fora, ainda mais num piso que lhe favorece mais, em detrimento do #203. Mais ainda, acredito que Zwetsch foi de uma inabilidade impressionante, pois mais do que ficar “levantando a bola” desnecessariamente em diversas oportunidades, ele queimou o relacionamento com Feijão. Sei que há restrições a ele, porém tudo tinha de ficar claro desde o início e Zwetsch deveria se preocupar em tentar acertar a situação, já que pode precisar dele nas disputas do Grupo Mundial, seja taticamente ou mesmo por contusões de outros jogadores. Como fará para chamá-lo nessa hipótese? Abs!

    Responder
  8. lEvI sIlvA

    Chiquinho, será que Ferrer não ficou com algum receio de enfrentar Bellucci e tomar um 3X0 complicando ainda mais seus resultados recentes? Afinal, se não me engano, a última vez (nem sei se foi a 1ª também) que se defrontaram fora em Monaco , também saibro e com vitória contundente do brasileiro!!!

    Responder
  9. joao sawao ando

    Chiquinho ,não li o seu post mas acho que o Thomaz tem muito chão para caminhar ,ele se acha o máximo dos máximos,para não dizer outra coisa,nao tem humildade apesar dos seus 26 anos,ja disse e volto a dizer jogador para ser top 90/100, que já e grande coisa,poucos chegaram nesse posto…

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>