TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
Nadal tem tantos êxitos como lesões
Por Chiquinho Leite Moreira
agosto 19, 2014 às 1:08 am

Dono de 14 títulos de troféus de Grand Slam, entre tantos outros brilhantes resultados, a carreira de Rafael Nadal revela tantos êxitos como lesões. Uma recente reportagem feita pela agência DPA, na Espanha, elabora uma lista dos diversos problemas físicos vividos pelo tenista. São dados para refletir. E pensar no que pode ser o futuro de Nadal?

Novamente abalado por uma lesão, desta vez, no punho direito, Nadal não poderá defender o título do US Open. Mas, é claro, há muitos anos vive situações semelhantes, como mostra o levantamento feito pelos espanhóis.

2003 – Neste ano uma fissura no cotovelo direito, durante treinamentos em Manacor, Nadal perde a chance de disputar o seu primeiro Roland Garros.

2004 – No torneio do Estoril sentiu uma fissura no pé esquerdo. Não jogou Roland Garros, nem Wimbledon, mas ganha em Sopot o seu primeiro título. Joga também a Olimpíada de Atenas.

2005 – Uma nova inflamação no pé esquerdo o obriga a abandonar o Masters de Paris-Bercy. Também não joga o ATP Finals em Xangai. Uma tendinite nos joelhos atrapalha mas não impede que ganhe o torneio de Madri.

2006 – Com mais uma inflamação no pé esquerdo não joga o Aberto da Austrália. Problemas nas costas o obrigam a abandonar o ATP de Queen’s durante uma partida contra Lleyton Hewitt.

2007 – Cãibras no braço esquerdo e tonturas o levam a retirar-se da partida diante de Juan Mônaco, no Masters de Cincinnati. Também apresentou problemas nos joelhos.

2008 – Uma tendinite na inserção do tendão do quadríceps o leva a abandonar o Masters de Paris-Bercy diante de Nikolay Davydenko. Neste ano ganhou Wimbledon e alcançou pela primeira vez a liderança do ranking. Mas também não jogou o ATP Finals de Xangai.

2009 – Sofre com tendinite nos dois joelhos. Em Roland Garros sofre a única derrota de sua vida no torneio francês. Não joga também em Wimbledon e perde a condição de número um do mundo.

2010 – Começa o ano abandonando um jogo contra Andy Murray, nas quartas de final do Aberto da Austrália. Ganha Roland Garros, Wimbledon e o US Open e recupera a liderança do ranking.

2011 – Passa o ano com problemas no tendão do pé esquerdo;

2012 – A já crônica lesão no tendão o afasta por sete meses das competições, depois de cair na segunda rodada do torneio de Wimbledon.

2013 – Volta ao circuito em fevereiro e ganha dez títulos na temporada para recuperar a condição de número um do mundo.

2014 – Depois de abrir a temporada com título de Doha, sente problemas nas costas durante a final do Aberto da Austrália. Perde o jogo para Stan Wawrinka.  Agora uma lesão no punho direito impede que defenda os títulos dos Masters do Canadá, Cincinnati e US Open.

NÃO CONFIE EM NINGUÉM COM MAIS DE 30 – Serena Williams está prestes a completar 33 anos. Roger Federer recentemente chegou a idade de Cristo. E como não confiar nas performances destes dois experientes tenistas, Diante do atual cenário são os que estão com maiores possibilidades de erguerem os troféus de simples do US Open.

Incrível, mas não se trata de falta de renovação, sim de genialidade. Serena andou meio perdida, só que recuperou por completo seu domínio. Roger Federer vem em grande forma. Mas terá pela frente jogos em melhor de cinco sets. Se o colocarem na sessão noturna suas chances aumentariam. Novak Djokovic não pode ser esquecido e pode-se dizer que o sérvio é o grande favorito.


Comentários
  1. Andre Rqamos

    Essa parte de lesões é referente ao estilo de jogo e lentidão das quadras. Outro que sofreu muitas lesões e tem estilo parecido é o Leyton Hewwitt.
    Ainda bem que esse estilo de tenis, que não é bonito e também ocasiona muitas lesões está desaparecendo do circuito.

    Responder
  2. Sensato

    Há males que vem para o bem, para as pessoas que gostam de assistir bons espetáculos, regado de magia na arte de aplicar golpes geniais, assim sendo…que ele continue no estaleiro…go federerrr…o melhor de todos….

    Responder
  3. Carlos Rossi

    O Nadal mesmo sofrendo tantas lesões é vencedor há mais de 10 anos consecutivos.
    Vamos torcer para que ele possa jogar novamente em São Paulo pela disputa da Copa
    Davis no próximo mês. está até treinando com o Moya!

    Responder
  4. Renan Vinicius

    O importante é que o nadal se diverte contro a federer. Pra mim quando os dois entram em quadra, o suiço ja entra com cara de choro e sai de cabeça baixa, cumprimentando o espanhol, como se dissesse em pensamento “VC É O MELHOR, RAFA!”. E o mais importante é que o nadal aos trancos e barrancos, todo machucado, ainda vai ultrapassar o roger em slams e se consolidar como o maior de todos os tempos, pq estilo de jogo é só um detalhe e peculiaridade de cada jogador…Quem viver verá!

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      O Rei do Saibro possui 13 x 2 com Federer no Barro, assim como 14 x 4 com Novak e possivelmente teria 20 x 0 com Sampras. Fora do Barro possui a Incrível diferença de 10 x 8 com o Suíço que so’ veio a conseguir em 2013. Tem o grande mérito de ser o mais completo jogador sobre esta superfície. E para por aí.Abs!

      Responder
  5. Sergio Ribeiro

    Comentários pertinentes , relacionados ao Post estão ariscos, desaparecem nao e’ Chiquinho ? Esse grande histórico de lesões foi mais que previsto. Muito físico, exaltado por muitos Especialistas, que passaram a levar para as Escolinhas. Tudo de acordo com a máxima: ” talento e’ bem mais difícil de ensinar” , viva o Animal. O Suíço , Sampras e CIA comprovaram que da pra ser muito competitivo sem precisar abusar do Físico.Abs!

    Responder
  6. Igor

    Se é um blog onde as pessoas costumam discutir as suas idéias, etc. Pq meu comentário anterior foi apagado? Aposto que em 2015 o Nadal vai voltar de uma maneira absurda… ganhando tudo e de todos, soltando winner de tudo quanto é jeito… fora que ele tem um corpo bionico e se recupera mais rápido que o Wolverine.

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>