TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
O 29. Roland Garros a gente não esquece
Por Chiquinho Leite Moreira
maio 20, 2014 às 1:17 pm

A alma do jornalismo está na reportagem. Entrevistas por telefone, por e mail não funcionam. Nada como estar in loco.. O cara a cara revela o ambiente, a cor local, as reações. Quem ganha com isso é o público. Recebe informação valorizada, diferente, com todos os detalhes, entonações e bastidores. Este espírito e a ousadia nos planos do meu diretor e da minha diretora (não revelo nomes para não parecer bajulação, no que, na verdade, é um reconhecimento) estão me levando a Roland Garros pela 29a. vez. A primeira foi em 1985, justamente como resultado de um prêmio de jornalismo por melhor cobertura em um torneio de tênis no Brasil. Transformei a viagem que poderia ser de lazer na cobertura do Grand Slam francês. O sucesso foi tamanho, o evento revelou-se grandioso e com grande repercussão, que não faltei mais. Apenas nos anos de 2010 e 2011 por conta da…bem é melhor deixar pra lá. Voltei em 2012 para reportagem especial com Gustavo Guga Kuerten e ano passado na transmissão exclusiva para o Brasil pelo Bandsports.

A transmissão e cobertura pelo Bandsports de Roland Garros 2013 foi revolucionária. A própria Federação Francesa de Tênis publicou em guia oficial que nem mesmo nos tempos de Guga a tevê brasileira revelava tanta qualidade na cobertura do evento. Não foram só jogos ao vivo, com narrador de comentarista em Paris, mas também reportagens, programas ao vivo e detalhes que fizeram o assinante sentir-se como se estivesse dentro do complexo do Bois de Bologne. Agora para 2014, a promessa é de ser melhor ainda.

Por sorte, a expectativa para Roland Garros este ano é enorme. Nenhum dos grandes tenistas do masculino está jogando bem. As chances de surpresas são reais. Rafael Nadal, apesar do incrível retrospecto de apenas uma derrota em nove participações, não chega a Paris este ano tão favorito como em outros tempos.

Novak Djokovic, mesmo sem mostrar o seu melhor tênis, ganhou Roma. Chega em Paris confiante na possibilidade de, enfim, conquistar o único troféu de Grand Slam que falta na prateleira de sua casa. A ameaça está na recente lesão no pulso. É um local delicado para tenistas.

Roger Federer não fez uma boa preparação. Andy Murray ainda está longe do que foi no ano passado. Será que o escocês deveria ter dispensado Ivan Lendl? Stanislas Wawrinka mantém os altos e baixos. Kei Nishikori aparece como grande ameaça aos favoritos. Mas seu estilo de jogo, em que cada ponto dura uma eternidade, pode comprometer seu físico em disputas em melhor de cinco sets.

Tudo isso coloca Roland Garros 2014 como um torneio repleto de alternativas no lado masculino. No feminino, difícil não apostar em Serena Williams. Sua maior adversária é ela mesma. Parece que só mesmo uma lesão pode tirar o troféu de suas mãos. Maria Sharapova, que certa vez falou que não sabia sequer andar no saibro, hoje apresenta retrospecto de 12 vitórias e apenas uma derrota na atual temporada europeia da chamada terra batida, incluindo os títulos de Stuttgart e Madri.. Ana Ivanovic parece que, enfim, reencontrou seu melhor tênis. Mas Roland Garros vai mostrar sua real situação. Entre as novas jogadoras, Simona Halep é um nome para chegar as finais. Mas quem pode ameaçar a força do tênis da americana? Esta e outras perguntas começam a ser respondidas a partir deste domingo.

Além da participação em comentários no Bandsports, ao lado de Oliveira Andrade e Caca Fernando, reportagens para o Ace, apresentado por Renata Saporito, com Ricardo Mello, opiniões com Elia Jr, Flávio Saretta, Renato Messias e convidados no melhor de Roland Garros, estarei com detalhes e curiosidades no twitter @chiquinholm, pelo FB Francisco Leite Moreira, ou Instagran chiquinholmoreira.. À bientôt, ou seja, até breve.


Comentários
  1. Luiz Henrique

    Bom dia, Chiquinho ! Assino a net mas, conseguirei ver os jogos ? Ou terei que fazer assinatura especial para o Evento ? Qual será o canal ? 60 suponho ! Grande abraço. L.H.

    Responder
    1. Márcio

      Aproveitando a proximidade de mais um grande torneio, duro mesmo é ouvir os “comentários” do Dácio Campos. Ele fica assistindo o jogo como nós. Não faz nenhum comentário interessante, só obviedades. Acho que ele trata o assunto como se fosse uma diversão e não um trabalho. Atenção SPORTV!

      Responder
  2. Renato Toniol

    Chiquinho, você postou a seguinte afirmação: “Andy Murray ainda está longe do que foi no ano passado. Será que o escocês deveria ter dispensado Ivan Lendl?”
    Porém, a separação de ambos não teria partido do próprio Lendl, que afirmou querer se dedicar aos torneios para veteranos?
    Abs.
    Renato

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Poxa Renato… a informação que tenho dos jornalistas britânicos dá conta que houve um probleminha $$$ que interferiu no relacionamento. Mas, de qualquer maneira, o fim da parceria acredito que não tenha sido bom para Murray.

      Responder
  3. fabio

    Creio que esse ano será do Djoko…já merece há muito tempo esse título. Quanto a cobertura do evento é simplesmente espetacular…parabens a toda a equipe,

    Responder
  4. Chico Estevam

    “Transformei a viagem que poderia ser de lazer na cobertura do Grand Slam francês. ”

    Fiz questão de começar o meu comentário com as suas próprias palavras, Chiquinho, para elogiar o seu profissionalismo e comprometimento com este esporte que tanto me fascina desde a Era Guga quando comecei a acompanhar o tênis. São de jornalistas realmente dedicados e apaixonados pelo que fazem que, nós telespectadores, ouvintes e leitores, precisamos, e você é definitivamente um desses. Parabéns Chiquinho e boa cobertura de Roland Garros. Nós, fãs de tênis, agradecemos.

    Uma pergunta para não perder o costume.

    Como fã incondicional do Maestro Suíço, Roger Federer, porém, realista e ciente de suas atuais condições, sobretudo pessoais (second set of twins!) e técnicas, mas sempre à espera de uma boa surpresa como todo fã que se preze, pergunto: Se você pudesse dar um conselho a Federer, supondo-se no lugar de Stefan Edberg, o que diria ao suíço para fazer neste RG visando à uma possível segunda conquista no saibro parisiense? O que Federer deveria mudar ou acrescentar ao seu jogo para poder ter chances numa eventual segunda semana em Paris onde, inevitavelmente, cruzaria com os perigosos Kei Nishikori, Raonic, Tsonga, Ferrer, Murray e, avançando um pouco mais -uma semi, quem sabe?! – Djokovic? (Não quero nem pensar numa hipotética final contra Rafa Nadal!!!)

    Alors, c’est tout. Merci beaucoup et bonne chance à Paris. À bientôt! =]

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Difícil esta de dar conselhos ao gênio RF. Acredito que ele jogará soltinho da silva em RG e investirá em Wimbledon, onde os jogos tendem a ser mais rápidos. Obrigado pelo incentivo na sua mensagem. Afinal, ao contrário do que muitos pensam estas coberturas são tensas e intensas. Chego muito cedo e vou embora muito tarde. O evento vale a pena, certamente. abs
      e como vc bem disse à bientôt…

      Responder
  5. Carlos Rossi

    Parabéns pelos 29 anos de cobertura ‘in loco’! Ficaremos ansiosos para acompanhar às transmissões no canal BandSports ! Os aficcionados agradecem!

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Sim masculino e feminino simples e duplas tb. Mostraremos Soares, Melo etc… Tanto pela tv como pela Internet… legal não?

      Responder
  6. welington

    Comentando a sua ultima resposta do post anterior, bem lebrado chiquinho.
    Não escreveu na vitória do Novak em Pequim, Finals, Miami e Roma, sem contar que em Monte Carlo o stan foi Campeão e vc resolveu escrever do nadal e por último o stan foi Campeão do A.Open e vc descreditou o rapaz.
    Seja imparcial querido.

    Responder
  7. TOMAS GOULART

    Parabéns pelo profissionalismo, e boa cobertura no evento. Nós fãs do tenis, só temos a lucrar!!
    La bonne chance, bonheur !!!

    Responder
  8. OSVALDO

    Chiquinho,

    Parabéns a você e ao BandSports por mais este presente à nós, fãs do tênis.
    O correto seria a 28ª cobertura, pois se você começou em 1985 e faltou 2 anos, a conta não fecha em 29, a não ser que o evento foi realizado 2 vezes em algum ano.

    Saudações,

    Osvaldo

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Osvaldo sou mesmo ruim em contas. Mas quis me referir que este ano é a 29a. cobertura aqui de Paris, onde já estmmos. abs

      Responder
  9. Maurício Luís

    Nadal com só 1 derrota em 9 participações? Nada mais natural. Porque junho é mês de festa junina, pessoal solta balões… e o jogo dele é balão de top spin pra tudo que é lado. E viva São Joããããão!!
    É pena que o japa Nishikori tenha um físico tão pouco confiável, senão eu apostaria todas as minhas fichas nele. Pra mim, ele é o novo Michael Chang.
    E como eu gostaria que o Bellucci deslanchasse, como fez o Guga em 97. Ah, mas aí já é viajar na maionese… precisa tomar um chá de eletricidade, de preferência uns 1000 volts. Já vou me dar por muito feliz se ele conseguir chegar à segunda rodada, pra enfrentar o mascarado nojento do Fabio Fognini.
    O que torna o torneio imprevisível – mais ainda – é o fato de ser jogado em melhor de 5 sets. Então não dá pra tirar nenhuma conclusão definitiva a partir dos torneios preparatórios.
    Chiquinho, muito boa sorte. Como estou sem vontade ($$$$) de ir, como tantos outro$$, faremos dos seus olhos os nossos olhos.

    Responder
  10. Daniel

    Chiquinho,
    Parabéns pelo seu profissionalismo, comprometimento e competência
    nas transmissões e nos programas. Todos ganhamos.
    Obrigado

    Responder
Deixe uma resposta para Carlos Rossi Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>