TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
A união faz a força
Por Chiquinho Leite Moreira
janeiro 30, 2014 às 7:36 pm

Muito legal a ideia e a realização de um evento em São Paulo, que reuniu nomes que fizeram a história do tênis, como Andrea ‘Dadá’ Vieria, Carlos Kirmayr, Cássio Motta, com outros que estão fazendo sucesso como Teliana Pereira e Bruno Soares. O tênis brasileiro precisa de uma unidade de propósito. Momento para esquecer as diferenças e interesses pessoais. Só com a união se faz a força.

Várias gerações de tenistas estiveram neste evento realizado num endereço badalado em São Paulo, a rua Oscar Freire, na loja da Asics, Seu dirigente, Giovani Decker, é um dos mais ativos patrocinadores do tênis. Um entusiasta, na verdade. Estava nitidamente feliz, não pelo sucesso de sua marca, mas pelo fato de dar força a um movimento de união, de colocar todos lado a lado. Nem vou tentar citar os nomes de tantos tenistas e amantes do tênis que estavam lá. Esqueceria injustamente muitos. Hesitei em ir, pois no mesmo horário tinha o Ace no Bandsports. Mas, posso assegurar, que renovei minhas energias diante de tantos abraços e boas lembranças.

Está cada vez mais claro que este é o tom que deve permanecer para o desenvolvimento do esporte. Um pensamento comum, sem os fanatismos por um ou outro tenista, nem cobranças pelas expectativas não alcançadas. Existe na minha concepção uma máxima: a de jamais torcer contra. E assim vamos lá… Bellucci, Bruno, Melo, Federer, Nadal, Nole, Stan…Teliana, Serena, Sharapova, Bouchard… Ora que dom divino todos estes e tantos outros têm. E em verdadeiras dádivas que caem do céu não dá p’ra ficar torcendo… “vamos faça uma dupla falta agora”. É melhor aplaudir um ace, mesmo que as grandes trocas de bolas sejam, para mim, mais emocionantes. Ou seja, nem tudo está perfeito a todos, mas se quisermos ver, dá para enxergar longe

 

Em Tempo: acabei de receber e mail de Laurence Frankopan, agente de Stanislas Wawrinka. Ele confirmou que seguem conversando com a organização do Brasil Open, mas, por ora, não está confirmado ainda. Respeito opiniões, mas acho que este torneio, que trouxe a São Paulo Rafael Nadal ano passado, mereceria ter um estrela desta grandeza. A Koch Tavares está empenhada em superar problemas. Mas falta – não só a São Paulo como em todo o Brasil – um palco para o tênis. O Ginásio do Ibirapuera está ultrapassado, é certo, só que nesta época do ano, em que as tempestades são uma ameaça constante na capital paulista não há boas alternativas. Os clubes fechados intimidam o torcedor. Nas áreas públicas, como parques, não se pode fazer cobranças de ingressos, exigência da ATP para eventos das séries 250, 500 e mil. E para os mais cépticos, não sei se dá para duvidar de uma empresa que recentemente trouxe ao Brasil Roger Federer, Nadal, Tommy Haas, Jo-Wilfried Tsonga, Serena Williams, Maria Sharapova, Victoria Azarenka, Caroline Wozniacki….sem contar toda uma história de décadas atuando na promoção de eventos esportivos.


Comentários
      1. Cléber

        Acho sim. Só estava respondendo à questão do Diogo Pessoa ali em cima. Ele perguntou sobre homenagem ao Marcelo Melo.
        Só esclareci que por que se trata de patrocinador pessoal…

        Responder
        1. Chiquinho Leite Moreira

          Pelo que observei houve homenagens tb para tenistas do passado com a ideia de colocar tudo junto e misturado… abs e obrigado pela sua participação

          Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>