As grandes estrelas voltam em Madri, mas quem brilha é Alcaraz
Por Chiquinho Leite Moreira
abril 29, 2022 às 2:52 pm

Com a óbvia exceção de Roger Federer, as grandes estrelas voltam em Madri. Desde Roland Garros de 2021 que Novak Djokovic e Rafael Nadal não se encontravam no mesmo torneio, por uma série de razões, como vacina ou lesões. Do último duelo, nas semifinais em Paris, muita coisa mudou. E, infelizmente, nem o sérvio nem o espanhol parecem estar em excelente forma.

Não é segredo para ninguém que as condições de jogo em Madri são consideradas as mais rápidas da temporada europeia. Claro que não agrada o espanhol e também o sérvio não demonstra estar em boas condições de ritmo para aproveitar a oportunidade. Mas não restam dúvidas de que essa rivalidade por si só já é um tremendo atrativo. São 58 encontros, com 30 vitórias para Djoko.

A ESTRELA BRILHA – Mesmo com Djokovic e Nadal de volta a Madri, o maior sucesso na cidade chama-se Carlos Alcaraz. Ele, pela primeira vez em sua carreira, participou de um programa de entretenimento de enorme audiência na TV espanhola, o ‘El Hormiguero”.

O jovem tenista revelou todo seu carisma e fez revelações incríveis. É claro que seu treinador, o experiente Juan Carlos Ferrero, vigiou de perto todas as perguntas e respostas. Mas ainda assim Carlito saiu com histórias incríveis. Em certo momento deixou claro que apesar de todo seu sucesso nas quadras tem uma vida normal. Confessou que nas raras vezes em que vai a uma festa bebe gin com limão. “Não posso negar que já fiquei meio bêbado alguma vez.”

Não fosse, porém, seu bom preparo físico, certamente Alcaraz não teria conquistado o título em Barcelona. Por causa das chuvas precisou fazer dupla jornada no domingo. Disse que entre o jogo das semifinais (contra Alex de Munar) e a decisão com Pablo Carreño Busta descansou por apenas três horas. Contou que dormiu um pouquinho – “durmo em qualquer lugar” – e levantou com o pé esquerdo. Afinal, escorregou numa escadaria, mas ficou feliz em não comprometer sua atuação na decisão do título.

É muito legal que “Charlie”, como ele diz que se chama para se motivar durante as partidas mais duras, mantém uma contagiante simplicidade. Contou que a parte financeira fica com seus pais. “Se for para comprar um jogo de tacos de golfe, que me encanta, não preciso pedir permissão. Mas para, por exemplo, comprar um carro sim”.

Carlito, Charlie, Carlos Alcaraz demonstra ter uma forte personalidade. Por isso, é de se acreditar que vai saber superar todo esse assédio. Já provou isso esse ano, quando perdeu para Sebastian Korda em Monte Carlo. Disse ter encarado o fato apenas como mais uma derrota. Mas, sem dúvida, tem muito crédito. Afinal, não só ganhou Barcelona, como Miami e o Rio Open. Um tenista de muito sucesso, talento e carisma.

 


Comentários
  1. Lott Alves de Brito

    Atenção também nessa semana o Holger Rune,promete muito se continuar nesse ritmo, irá ganhar Munich, domingo e vem muito forte para Madri,Roma e RG, O Dinamarquês,mais velho (6) seis dias do Alcaraz, joga muito, vamos aguardar até final de Junho, se o Nadal e o Djokovic , irão serem obrigados a passar o Bastão

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *