Nadal vive drama na final, mas deu show em IW
Por Chiquinho Leite Moreira
março 21, 2022 às 10:28 pm

Longe… muito longe de dizer que o título de Taylor Fritz não tenha sido merecido. Nem ouso dizer que o americano perderia caso Rafael Nadal não tivesse apresentado problema físico, mesmo porque ao entrar na quadra para mim vale aquela: “o jogo é jogado e o lambari é pescado”. Mas também não há como negar que o espanhol tenha realizado uma campanha brilhante e deu show em praticamente todos os seus jogos no ATP 1000 de Indian Wells.

A primeira rodada em Palm Desert já deu um belo exemplo da frase de Carlos Alcaraz (para mim Carlito) a de que Nadal tem mil vidas. Ao estar perdendo por 5 a 2, com dois breaks abaixo, o próprio espanhol disse ter pensado que realmente perderia o jogo. Só que, dentro de suas características e virtudes, manteve o espírito de acreditar sempre e lutar até o final. O resultado foi uma vitória super ameaçada também no tie break do terceiro set.

Curioso é que com uma derrota como essa a que sofreu Korda, o normal seria  o tenista não conseguir dormir e demorar alguns dias para digerir o resultado. Mas não foi o que aconteceu com o americano. Ele deixou a quadra com a convicção de que pode enfrentar qualquer adversário. Além disso, enfatizou que o tenista espanhol foi um dos motivos pelo qual animou-se a pegar uma raquete, como fazia com competência seu pai Petk Korda, campeão do Australian Open em 1998, mas depois teve o mérito manchado por uma suspensão por doping. Sebastian Korda tem também duas irmãs que fazem sucesso enorme no golfe profissional, como Jessica e Nelly, esta última ouro da Olimpíada de Tóquio e que já ocupou a liderança do ranking mundial da milionária modalidade.

De volta a Nadal, o espanhol talvez tenha feito o seu jogo mais tranquilo em Indian Wells contra Daniel Evans. Mas sua estrela brilhou novamente contra o gigante americano Reilly Opelka. Teve paciência e competência para segurar os canhões do adversário e vencer em dois dois breaks.

E o que seria o jogo mentalmente mais desafiador veio com Nick Kyrgios. Nadal deu uma lição de foco e concentração. E para o duelo mais esperado contra Carlito Alcaraz soube usar toda sua experiência para superar o jovem talento espanhol. Nas horas em que o vento bateu forte, Nadal usou um recurso curioso de toss baixo para conseguir colocar o serviço em quadra, enquanto o adversário sofreu com seu primeiro saque. Deixou mais uma lição.

Para a decisão os dois jogadores enfrentaram problemas físicos. Taylor Fritz mostrou o seu melhor tênis desde que saiu em cadeira de rodas num jogo em Roland Garros para passar por uma cirurgia no joelho direito. Vindo de uma família de tenistas está alcançando o sonho de ser um grande jogador. Pelo seu lado, Nadal deu o seu melhor dentro de suas limitações e reconheceu a vitória do americano.

Por situações como essa em Indian Wells ainda parece cedo para se falar na tão esperada troca da guarda. O circuito vai ter de esperar, pelo menos, a sempre charmosa e gostosa temporada europeia de quadras de saibro, quando dois dos big 3 (Nadal e Novak Djokovic) têm encontro marcado.

Importante atualização: notícia que vem da Espanha revela que Nadal sofreu fratura por estresse na costela em jogo contra Alcaraz e deve ficar de 4 a 6 semanas em recuperação. Possivelmente estaria fora de Monte Carlo e Barcelona.


Comentários
  1. waldir+santos

    chiquinho quem estava machucado e era duvida para entrar em quadra era o americano, e voce diz da forma do nadal….é brincadeira …isso é paixão de coberta….waldir

    Reply
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Boa… o Fritz, como está em todos os noticiários, quase não entrou em quadra. Ele, segundo sites internacionais, assumiu o risco e deu-se bem. Mas, como diz o texto, ambos revelavam problemas físicos

      Reply
  2. Rafael

    Gostaria de ver essa simpatia toda que tens pelo espanhol e pelo Federer com o Djoko. Sinceramente, o jornalismo fica de lado e o torcedor se agiganta. Foi-se o tempo….

    Reply
  3. Guilherme Klauser

    Oi Chiquinho. Por mais que o atual GOAT Nadal tenha dado novamente lições de vida ao lutar tanto neste IW, eu fiquei realmente na vontade de ler um texto de vocês especialistas de tênis sobre o Fritz. A gente ja ta cansado de saber que o Nadal é de outro planeta. Meligeni também optou por falar do Nadal e não do Fritz.

    Acho que era uma boa hora de falar no detalhe sobre o Fritz, os desafios de ser pai cedo, lesões, família de tenistas, enfim tem muito conteúdo bacana.

    Não me leve a mal, mas quem deveria estar tendo a campanha dissecada é o campeão Fritz.

    Como aprecio seus comentários, gostaria de ver um texto seu sobre a conquista do Fritz mais no detalhe. Afinal uma conquista de Masters literalmente faz a carreira de qualquer tenista “ter valido a pena”.

    ABRAÇO CHIQUINHO!

    Reply
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Boa pauta Guilherme. Até coloquei um pouco da vida do Taylor. Seu pai tb foi tenista. Mas realmente parei por aí. Ele foi pai adolescente, casou muito cedo, já divorciou e está com namorada nova. A media americana sempre destaca o fato de ter saído em cadeira de rodas em RG, passou por cirurgia e jogou Wimbledon. Enfim, vc tem razão… precisamos conhecer esses novos astros.

      Reply
  4. Lott Alves de Brito

    Sinceramente,o que todos vimos na quadra foi Nadal pediu(2) dua vezes o atendimento médico. no intervalo do (1) set e depois no segundo set,diferença de idade (35) 10 meses para 24 anos, tempo de partida no dia anterior,lembrem-se o Nadal jogou mais de (3) três horas no sábado,e ainda descansou menos,se Taylor Fritz, teve algum problema antes do jogo , o não demonstrou durante o jogo,principalmente no primeiros (3) três pontos do (1) set ,o Taylor Fritz mereceu a vitória, pela coragem de acreditar, não se intimidou e bater forte na bola dificultando a devolução sempre do Nadal grande vitória.
    Grande comentaria Chiquinho Leite ,Grande Abraço

    Reply
  5. Valter Mucillo

    Claro que o Nadal tem “muito crédito” mas de perdedor chorão ele é fera também, no tiebreak ele vibrou como nunca, como poderia fazer isso se estava com a costela’ dolorida e com dificuldades de respirar, até parece alguns amigos que antes de jogar já arruma algumas desculpas, tipo, tô sem jogar, comi uma feijoada….. Abração e parabéns pelas matérias.

    Reply
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Valter faça o seguinte: antes de entrar em quadra pergunte se está tudo bem. Se pode jogar, se está se sentindo bem etc. A gente fazia isso na academia de squash do Kiko Frisoni. Se o eventual adversário alegar qualquer problema convide outro para o desafio kkkk Aprendi isso com o Gil Farah. Confirmei que estava 100% e perdi o jogo para ele a primeira
      Vez e nunca mais consegui derrotá-lo como fazia qdo era menor e estava aprendendo. Eu tb aprendi a lição

      Reply
    2. Ricardo

      Pois é Valter realmente vc não tem ideia do que é um esporte de altíssimo rendimento ao falar que Nadal é chorão. Só quer mesmo é causar sentadinho confortavelmente no sofá, daí fala bobagem. Leia aqui no site o que aconteceu com Nadal. Ah e para de falar besteira

      Reply
  6. Ricardo

    Essa cobrança de ser fã do djcovid é besteira. O cara virou um pária mundial, um péssimo exemplo. O Nadal foi extremamente respeitoso com o público. Mesmo sofrendo com dores e dificuldade pra respirar foi até o fim. Só mesmo quem não sabe nada de esporte de altíssimo nível não vai entender o que é jogar com dor. Aí acha que é mimimi, bom mesmo é ficar sentado no sofá de chinelão criticando….

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *