TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
Djokovic poderia seguir o exemplo deixado por Meligeni
Por Chiquinho Leite Moreira
setembro 6, 2020 às 11:50 pm

No meio de uma série de polêmicas, um verdadeiro fogo cruzado, com vários casos controversos na bolha de Nova York, o US Open deste ano ainda tem de lidar com a desclassificação de seu maior astro, número um do mundo e centro de discórdias, o sérvio Novak Djokovic. É mais um motivo para discussões.

Esse episódio levou-me a lembrar  que por muito menos do que aconteceu com Novak Djokovic neste domingo no US Open, o brasileiro Fernando Meligeni sofreu uma desclassificação do torneio do Estoril de 1999. Atingiu, sem querer, um torcedor na arquibancada e foi cumprida a regra com rigidez. Saiu da competição, perdeu os US 17 mil dólares da premiação, ficou com zero pontos e ainda ganhou uma multa.

Meligeni soube, porém, fazer desse drama, um momento de superação. Afinal, neste mesmo ano conseguiu sua melhor campanha em Roland Garros, alcançando as semifinais. Reagiu como Fênix, ressurgiu das cinzas e teve um ano incrível no Grand Slam francês.

Esse dia da desclassificação de Meligeni não foi nada bom para o tênis brasileiro. Gustavo Kuerten havia perdido para Marcelo Rios, sentiu uma contusão e estava voando de volta ao Brasil, e também Vanessa Menga vinha ganhando um jogo de duplas por 5 a 0 e tomou virada.

No momento do episódio com Fino Meligeni eu estava participando da entrevista coletiva com Guga Kuerten, quando, meio sem jeito, o supervisor da ATP, o também brasileiro Paulo Pereira entrou na sala para dar a notícia do acontecido, da necessidade de cumprir a regra e desclassificar o tenista brasileiro.

Como não tinha visto a cena, Paulo Pereira levou-me a uma sala para analisar o VT das imagens. Meligeni não tinha motivo nenhum para qualquer atitude intempestiva. Estava jogando bem e vinha com vantagem de 5 a 4 sobre o então número 8 do mundo, o norte-americano Todd Martin. O ponto já estava morto. Depois de tomar um smash do adversário a bola bateu no fundo quadra e voltou. Meligeni rebateu para a tela, mas errou e a bolinha atingiu o rosto de um torcedor, que sequer reclamou. Mas a regra teve de ser cumprida.

O supervisor Paulo Pereira ficou sem opções. Viu e conferiu que Meligeni não teve mesmo intenção, mas como agiu com imprudência, não haveria outra atitude que não fosse a de desclassificar o brasileiro.

A intenção de atingir não está na regra. Mas sim o ato de imprudência. Em outra ocasião, formando dupla com Guga Kuerten, em Roland Garros, Meligeni também perdeu o jogo. Guga, inconformado com um game perdido, e no intervalo ao caminhar para o banco, atirou a raquete em direção a raqueteira, mas ela voou alto e quase atingiu o juiz de cadeira. Felizmente, desta vez Fino não sofreu punições, além da perda da partida, mas seu parceiro sim.

No caso de Novak Djokovic também não se discute a intenção. Nem se a juíza de linha valorizou o golpe. Mas não haveria outra determinação a se seguir, pelo menos enquanto essa regra prevalecer. Uma pena para o torneio e para o sérvio. A esperança é a de que faça como Meligeni e transforme esse drama num momento de superação em tempos tão difíceis e tantas polarizações.

 

 


Comentários
  1. Rodrigo Sans

    Bravo Chiquinho!
    Que esse ato imprudente e intempestivo de Djoko o ajude a se reequilibrar emocionalmente e o fortaleça no circuito.
    Sou fã do Meligeni e percebo que, dadas a proporções, muito ele foi questionado em sua época, assim como Djoko o é.
    Não se trata de saber quem é o melhor ou pior, mas de optar por antagonista e construir uma narrativa para o Big 3.
    Djoko errou, foi penalizado, espero que reapareça mais forte e menos vulnerável ao seu temperamento.

    Responder
  2. Catarina

    Se esta senhora de 60 anos estivesse atenta ao que estava acontecendo em quadra ao invés de estar contemplando a arquibancada vazia, poderia facilmente ter se desviado. Acho que este é o único esporte jogado com bola em que um contato involuntário gera eliminação do competidor (além de “roubar” a premiação). Desclassificação azarada e infeliz.

    Responder
      1. Chiquinho Leite Moreira

        Não falei isso, óbvio. Uma pena, mas na regra existe uma palavra chave que em português é agir imprudentemente e foi o que aconteceu

        Responder
  3. Bruno

    Parabéns Chiquinho, excelente comentário. Achei bem interessante a parte sobre não se discutir intenção. Mas fiquei com dúvidas: e se houvesse clara intenção do tenista em acertar o juíz, por exemplo por conta de uma frustração com alguma marcação ou decisão, mas o tenista aproveitasse uma circunstância durante um ponto para tentar acertar a bola (ex: uma bola cruzada em que ele precisa da corrida pra chegar na bola, aproveitando pra tentar acertar o juiz, ou qualquer outro exemplo) ele seria julgado pela intenção ou, por a bola estar em jogo, não aconteceria nada (mesmo acertando o juíz)?

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Haveria tb uma multa, de acordo com o código de conduta. Nalbandian chutou o palco do juiz de linha…. lembra? Outros jogadores ameaçaram juiz de cadeira. Há muitos casos em que se cumpre a regra é gera discussão, como no de Serena com Carlos Ramos. É diferente, mas serve de exemplo.

      Responder
  4. Rodrigo Esteves

    Correto e coerente …apenas um porém : uma bolada na regiao da cartilagem cricoide com certa força ( observe que ele estava quase no T e com o tamanho da área de escape da quadra Central) causa sim aquela reação de dificuldade para respirar da juíza. Tanto é que Djokovic no seu comentário após o jogo mostrou preocupação com o seu estado .

    Responder
  5. Orlando

    Sou torcedor sim do Djokovic, assim como vc é fanático pelo Federer ( não vejo pecado nisso). O pecado é vc não ser imparcial noutras ocasiões. Seu comentário a cerca ocorrido com o Djokovic, vc tá correto, eu concordo plenamente. Más por favor procure ser mais profissional nos seus post , um jornalista tem que focar sempre alela impacialidade, eu acho ! Abç

    Responder
  6. VICTOR ARAUJO MARTINS DE CARVALHO

    Ahh então ela valorizou o golpe Chiquinho? Meeeu Deusss.
    A bola foi na garganta dela.
    Então aquela queda e gemendo de dor foi exagero?
    Vamos ser imparcial nas informações. Tudo bem que muita gente não gostou, porquê é um Grandslam a menos que o sérvio deixa de ganhar, pra tentar passar o Federer, mas, se deu a bolada e atingiu uma pessoa independentemente da intenção, tem que pagar pelos erros.

    Ahh e detalhe, se Deus quiser o Sérvio não irá passar o Federer no número de Grandslams.

    Responder
  7. Maurício Jr

    Chique hoje, neste artigo você nos presenteia com um sua opinião serena e imparcial. Também, entendo que essa é uma ótima oportunidade para que os jogadores reflitam, em especial, Djokovick, e possam crescer como desportistas.

    Responder
  8. . Raimundo Santana

    Bom dia Chiquinho .
    Quero lhe parabenizar pelo seu comentario um tanto moralista sobre o incidente em cima do Djokovic . Pois na semana passada ocorreu o mesmo com Bedebe em Cicnnatai e nao me consta que tal falto tenha tido porparte de vcs tanta enfase assim.Mss faço vos lembrar queem 2017 no AUSOPEN. Em pleno jogo , Nadal absolutamebte sem dolo ou intençao deu uma bolada apos um Forhand en paralela num boleirinho o mundo todo viu . Nadal teve uma atitude para la de nobre indo beijar o garotinho. Mas oquequero dizer epor que vcs a epoca nao pegarm no pedo Nadal? E se esse nencilbado episodiofissecom o Djoko teriam vcs tido comelea mesma. Complacencia que tiveram com o Nadal?

    Responder
  9. Orlando

    Chiquinho, me desculpe eu expressar minha opinião dessa forma: Se dependesse de vc o Djokovic seria eliminado definitivamente do tenis. Vc não vai admitir é claro ! Nós torcedores do Djokovic, sabemos que vc o considera um jogardorzinho de 5a. categoria, será que é por ele ser do leste europeu ? O Federer é suiço, ama o Brasil, kkk.. vão nessa ! Achei o pedido de desculpas do Djokovic muito elegante e de muita humildade. Aqueles que admiram a soberba
    do suiço, desconhcem o que é sentimentos nobres !

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Só posso dizer que sou fã do Djokovic. Sempre me tratou bem. Concedeu-me entrevista exclusiva, com simpatia e atenção. Joga um tênis espetacular e, além disso, tenho muitos amigos da região dos Bálcãs e inclusive dividimos por vários anos casa para o Torneio de Wimbledon. Mas o fato é que foi imprudente e a imprudência está na regra da eliminação

      Responder
  10. Tiago

    Não existem torcedores mais fanáticos que os do djokovic. Chiquinho esvreveu da forma mais imparvial possivel. Explicou que simplesmente foi seguida a regra da ATP, que está torcendo para que sirva de lição para o Djoko e tem gente que consegue criticar. Dizer que ele estava torcendo para a desclassificação do Djoko, que odeia o cara… Fala sério. Pessoal não tem a mínima ideia do esporte. Apenas o fanatismo. Djoko sempre teve uma carreira com várias atitudes péssimas para um número um. Tanto que não é mto bem quisto entre os tenistas. Está apenas colhendo o que vem plantando todos esses anos de circuito. Ninguém está questionando sua capacidade como tenista que é incontestável. E sim suas atitudes. Se conseguisse se concentrar apenas em jogar tênis e não em querer ser adorado como Federer e Nadal, com certeza seria uma pessoa mais adorada por todos.
    Otimo artigo Chiquinho.

    Responder
  11. Ricardo Costa

    Olá, Chiquinho. Gostaria de ver seus posts com mais frequência, seu blog produz menos do que deveria. Mas ao mesmo tempo gostaria que você publicasse menos posts. Mais posts para nos brindar com a qualidade de seu jornalismo e com tantas histórias interessantes vividas por você no circuito. E menos posts para evitar tantos comentários deselegantes e agressivos contra a sua pessoa, vindos de haters disfarçados de torcedores, sejam eles pseudo-suíços, pseudo-espanhóis ou pseudo-sérvios. Você não merece. Ou melhor, eles não lhe merecem.

    Responder
  12. Sandro

    Acho que Djokovic não tem nada a superar, aliás, está num momento incrível da carreira, jogando um tênis lindo de se ver, de altíssima qualidade e entra como favorito em qualquer torneio que disputar. Não sei o quê Djokovic tem que recuperar. E, com todo respeito ao Meligeni, não dá pra comparar o atual momento do Djokovic com nenhum momento da carreira do Meligeni.

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>