TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
Wild está entre os destaques da semana da ATP
Por Chiquinho Leite Moreira
março 2, 2020 às 5:48 pm

Será que já é hora de colocar tanta pressão em Thiago Wild?Particularmente não gosto de comparações, como o primeiro brasileiro desde Guga a… o mais jovem desde Nadal … Mas, por outro lado, os fatos são inevitáveis. E a ATP diante das conquistas da semana no circuito colocou Wild entre os destaques e, como não poderia deixar de ser, ao lado dos títulos de Novak Djokovic, cinco vezes campeão em Dubai, e de Rafael Nadal, com o terceiro troféu em Acapulco.

Certa vez, uma revista de grande circulação no Brasil convidou-me para escrever uma reportagem sobre uma promissora tenista, a Bia Haddad. De primeira recusei. Não queria correr o risco de eventualmente estragar a carreira de uma jovem tenista de enorme potencial. Mas, aos poucos, fui convencido de que seria inevitável. E lá fui eu para o Clube Pinheiros exercer meu trabalho.

Hoje surge o Thiago Wild. Já não é a primeira grande conquista deste jovem paranaense. Afinal, ele tem um título de Grand Slam, na chave juvenil do US Open. E agora, aos 19 anos, ganha o seu primeiro troféu da ATP, em Santiago. Subiu 69 posições no ranking, para ser o número 113, e torna-se inevitável, mais uma vez, que não se dê o devido destaque para esta conquista histórica.

Apesar de Wild já ocupar um lugar entre os melhores da chamada Next Gen, a verdade é que a rotina de títulos de Djokovic e Nadal segue firme e forte. A única novidade é que o “Big 3″ perde o seu número três, com Roger Federer cedendo o seu lugar para Dominic Thiem.

Djokovic, para mim, é o que está em mais impressionante forma. Tem o melhor começo de temporada desde 2011, quando obteve 41 vitórias. Atualmente tem 20 seguidas e 18 no ano. Mas o que realmente merece especial atenção é seu desempenho impecável, apenas arranhado na semifinal contra Gael Monfils, em que salvou 3 match points. Mas esta foi uma virada daquelas da série “eu já sabia”.

O sérvio também mostrou incrível confiança ao revelar na entrevista pós jogo que seu objetivo é ser imbatível na temporada. Entre ser uma ironia ou brincadeira, o certo é que está jogando um tênis de altíssimo nível, acompanhado de sua já conhecida força mental.

Nadal não deixa para trás. Se Djokovic conquistou o 79. título, o espanhol levantou o 85. troféu. E ao colocar, uma vez mais, o ‘sombrero’ mexicano em Acapulco, deixou a quadra com uma frase marcante: “não poderia estar mais feliz”. Enfim, como já disse por aqui, o ano promete…

 


Comentários
  1. gilson

    Estava escrito. Thiago WILD receberia um WILD card!!! E THIAGO venceria em “SanTHIAGO”!!!
    Parabéns ao jovem talento. E que tenha cabeça para lidar com o imediatismo da fama decorrente da ascensão assombrosa nas últimas duas semanas!

    Responder
  2. RUBENS GAVETTI

    é o novo guga, acompanhei toda a carreira de guga e confesso que na mesma idade, quando guga começou… ele joga ate melhor.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Prezado Rubens, faço a seguinte ponderação: essa sensação de que Wild joga até melhor que o Guga quando tinha a mesma idade não estaria relacionada à modernização ocorrida no tênis? O jogo atual é mais veloz, mais batidas da baseline, os equipamentos evoluíram muito… Faço essa ressalva porque volta-e-meia o pessoal do blog compara tenistas de diferentes gerações sem levar isso em conta.

      Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>