TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
E agora Federer?
Por Chiquinho Leite Moreira
julho 9, 2013 às 9:38 pm

O título de Wimbledon ficou com Andy Murray. A liderança do ranking é de Novak Djokovic. Rafael Nadal não tem pontos para defender até o final da temporada. E o todo poderoso Roger Federer caiu para a quinta posição. Sua pior classificação no ranking desde 2003. E agora, que já passou dos 30?

Ano passado, praticamente nesta mesma época do ano – um pouco antes para ser mais exato – às vésperas do torneio de Wimbledon, Roger Federer era dado como acabado, à beira da aposentadoria. Só que, de repente, ganhou mais um título no All England Club, recuperou a liderança do ranking. Encerrou com autoridade todas as especulações.

O cenário atual, trouxe-me a lembrança a emocionante despedida de Pete Sampras. Nenhuma relação com o momento de Federer. Apenas uma lembrança. O norte-americano estava distante dos troféus, mas ganhou o US Open num dia clássico da história do tênis mundial.

Roger Federer revela excelente forma física. Como se diz por aí, não é o tipo de jogador que sofre com as contusões, embora a sua biografia revele que as lesões o acompanham ao longo da carreira. Pela sua genialidade, suas expectativas são sempre das melhores. Não há como duvidar de sua capacidade de reação.

Lembro, porém, de uma de suas mais marcantes declarações. Disse certa vez, com ênfase, que para ele nada mais interessa do que ser o número um. Dois, três ou quatro, e agora cinco, é a mesma coisa, ou seja, para ele pouco vale.

A briga pela liderança do ranking promete ser boa nos próximos meses. Djokovic está em larga vantagem. Murray defende dois mil pontos do US Open. Rafael Nadal vive um momento cômodo, sem pontos para defender. Um verdadeiro alívio e um handicap enorme para um jogador de sua categoria. E Roger Federer… o que esperar?


Comentários
  1. Vilmondes Silvestre Pereira

    Gostaria de saber quantos pontos o mestre dos mestres ( ROGER FEDERER ) tem ainda para defender até o final desta temporada de 2013.

    Obrigado,

    Silvestre – Uberaba-MG

    Responder
  2. Jônatas

    Em termos de ranking vamos ter poucas mudanças, só o Nadal passando para número 3 e o Ferrer 4, tendo no fim do ano a disputa entre Murray e Nadal pelo nº2. Ano que vem podemos ver o que será do Federer. O que resta a ele é ver o que pode fazer nos masters, no USO e no Finals do final do ano. Para seguir competitivo precisa ir bem nestes torneios.

    Responder
  3. Carlos José

    Infelizmente parece ter chegado a hora do Federer se retirar, a tal reação que começaria na temporada de grama não apareceu e não acho que aparecerá. Será que ele continua no circuito sendo só mais um na multidão? Eu não acredito, por isso acho que ele joga no máximo até a próxima temporada.

    Responder
  4. Carlos José

    Infelizmente parece ter chegado a hora do Federer se retirar, a tal reação que começaria na temporada de grama não apareceu e não acho que aparecerá. Será que ele continua no circuito sendo só mais um na multidão? Eu não acredito, por isso acho que ele joga no máximo até a próxima temporada.

    Responder
  5. Milena

    Ele não precisa provar mais nada pra ninguém! Se Federer continua jogando pq gosta ou por causa dos patrocinadores, não sabemos, mas como profissional, ele foi e ainda é um dos melhores de todos os tempos. O suíço ficou nos últimos 10 anos entre os 3 primeiros do mundo!!! Isso basta! Quanta pressão! Mesmo pq, é bom que os mais tradicionais não ganhe tudo para outras caras surjam no circuito.

    Responder
  6. Jurandir Junior (Mad Max)

    Gente eu tenho 40 anos e vi (pela tv) ao vivo muito craque jogar (competir), Michel Jordan, Zico, Sampras, Grafi, Guga, Senna, Maradona, Pampa, Jaqueline, Oscar, Hortencia, etc. E digo pra vocês a emoção de ver esses caras ao vivo mesmo que pela tv não tem preço, é ver a história do esporte acontecendo. Por isso quando temos fenomenos como Federer e Nadal para ver temos que torcer por esses caras irem o mais longe possível. Fica ai um monte de gente glorifianco um e menosprezando o outro , quando esses caras param de verdade o que a gente sente é tristeza e saudade de não poder vê-los. Portanto chega de bobagem e ficar torcendo pros caras se aposentarem, o esporte é belo quando as “zebras” ganham mas é belissimo quando os melhores vencem.

    Responder
  7. Marcelo

    Boa noite.
    Acho muito difícil analisar o que se passa na cabeça das pessoas, com tantos fatores envolvidos, tais como motivação, bem estar, patrocinadores, Fundação, família, sensação de dever cumprido, e até o dinheiro mesmo que ele tem de sobra para as “Tetranetas”, etc.
    Acho que o fator que ainda é preponderante é se ele quer realmente fazer alguns sacrifícios novamente para ser o número 1.
    Acho ainda, que em alguns jogos, dá a impressão que ele não quer apenas vencer, mas quer jogar do jeito dele e o que ele está pensando no momento, não vejo tantos com tanta capacidade técnica de variar as coisas numa partida, tal como volear mais, trocar um pouco mais de bolas e parece que ele não quer realmente partir para este tipo de jogo.
    É muito absurda esta visão, Chiquinho?
    Vou dar um exemplo: Michael Jordan. Parou, descansou, jogou golfe e voltou para ser campeão da NBA, guardando-se as devidas diferenças entre esporte coletivo e individual acho ainda que ele pode ser o #1 e nem tanto isto acho que ele pode voltar a jogar bem com os melhores. Eu consideraria um desafio os confrontos com o Rafa. Motivação não faltaria.
    Grande abraço a todos

    Responder
  8. Ricardo B. de Carvalho

    Acho que continua a jogar enquanto conseguir boas vitorias, Evidentemente que não vai seguir o exemplo do Andre Agassi

    Responder
  9. Weverson Pinheiro

    Do Federer não podemos duvidar de nada. Ele é como fênix que ressurgi das cinzas, seu estilo de jogo o permite jogar em alto nível pro muito tempo, basta ele procurar um bom estímulo, o problema é achar esse estímulo, ele já ganhou tudo! Já tem ouro olímpico, venceu todos os GS, maior lider da ATP, maior vencedor do ATP Finals, etc.. Chiquinho se Federer perguntasse a você algo para incentivá-lo o que você diria pra ele??? Vida longa ao Rei!

    Responder
  10. Altaisio Paim

    Bom dia Chiquinho!!
    Federer joga ainda em alto nível. Tem perdidos jogos para adversários inexpressivos, mas acontece. O cara é um ser humano.(rsrs) Os belos golpes e a genialidade ainda existem. Acredito no Federer. Como eu acredito!! Federrer tem um potencial gigantesco. Acho que o Federer tem que saber esperar, ter paciência, ter foco, estabelecer objetivos e trabalhar a parte física.
    Abraços..
    Allez Roger!!!

    Responder
  11. AURÉLIO NR.

    Prezado Chiquinho.
    Quem acha Federer o melhor de todos os tempos nunca ouviu falar de Bjor Borg, Ivan Lendel e Pete Sampras. Federer é apenas o quarto melhor. Gostaria de saber do amigo Chiquinho o que ele espera de Jerzy Janowicz depois do Wimbledon? Acredito que ele, Gulbis e Dimitrov são os únicos que podem acabar com a mesmice do tênis atual (Federer, Murray, Djoko e Nadal). Esperar que os amarelões Tsonga e Berdich façam isso (com todo o tênis que eles tem e experiência, os dois venceram apenas um master 1000 na carreira e só. Vão amarelar assim lá longe!!!!).
    ABRAÇOS.
    AURÉLIO NR.

    Responder
  12. Andre Munhoz

    Na boa, não me surpreendiria se ele jogasse até os 40 e ainda voltasse a ser número 1 nos próximos 2 anos! Entretanto, sua aposentadoria, essa sim me deixaria surpreendido!

    Responder
  13. marcelo areias

    Pra mim,o fato de ter caido para quinto no ranking SERÁ SUA MAIOR MOTIVAÇÃO…
    Vai treinar mais,se concentrar mais e só se aposentará quando voltar a ser numero 1…
    Já estou imaginando,FEDERER campeão em wimbledon em 2014,n 1 de novo,e antes de levantar a TAÇA anunciará o fim da carreira,vai ser emocionante…

    Responder
    1. Cláudia

      Ano passado quando ele fez isso comentei com meu marido: Federer devia se aposentar agora. Seria o final perfeito para uma carreira tão vitoriosa, se aposentar ganhando seu slam favorito e como nº 1, mas ele não me ouviu, provavelmente não terá outra chance.

      Responder
  14. Helio Rodrigues

    Caro Chiquinho

    Federer é “hors concour”. Já provou com 302 semanas no topo, maior vencedor de GS e finals, segundo maior vencedor de ATP 1000, recordista de maior numero de semanas seguida como numero 1. Enfim, alem das estatísticas tem o fator arte, com seu tenis genial.
    Todo ser humano tem um ciclo, sei que ele vai saber o momento que o seu ciclo terminará.
    Até la ele vai continuar nos brindando com sua genialidade do seu tenis-arte, quer seja como numero 1 ou numero 10.
    Um abraço

    Responder
    1. Eduardo

      Se o cara não for campeão, não adianta nada sua genialidade. É melhor ser um grosso campeão do que um gênio perdedor, porque todo mundo, até o grosso, tem seus momentos de genialidade.

      Responder
  15. Paulo - Franca/SP

    Acho que o Federer tem sua última oportunidade, de agora até o final de ano, fazer grandes torneios e acumular um número expressivo de pontos e, com os poucos pontos que teria pra defender no primeiro semestre do ano que vem, ressurgir brilhantemente no topo do ranking no final de Wimbledon 2014. Depois encerraria a carreira como o maior de todos. Mas, se neste final de temporada não tiver uma atuação vitoriosa, então estaremos assistindo o grande jogador sucumbir, diante de adversários medianos, perdendo as posições gradativamente, até concluir que seu tempo já se foi. O número 5, hoje, pelo que jogou neste ano, é até generoso. Tem uns caras pra trás dele que já podem empurrá-lo ainda mais pra baixo, ex: Delpo. Acho que os deuses do tênis estão debatendo o que será melhor para um de seus maiores discípulos. Federer é bem assessorado e, como sempre, saberá o que fazer. Acho que não vai se submeter permanentemente às derrotas e se acostumar com elas.

    Responder
  16. Fernando

    Acho que deveria encerrar a carreira. Melhor tenista de todos os tempos, um dos esportistas mais carismáticos e inteligentes. Vai curtir as filhas!

    Responder
  17. Marco Tulio

    Só se for o próprio Chiquinho pra achar que o Federer estava acabado em 2012. O cara tinha feito um primeiro semestre muito bom ganhando Roterdam, Dubai (ganhando do Murray), Indian Wells (ganhando 2 x 0) do Nadal na semi, Madri, semifinais em Roma e Roland Garros e final em Halle. E mostrava uma recuperação clara desde o fim de 2011.

    Responder
  18. jose luis silva

    Diferentemente de todos os comentários, acho que devemos curtir AGORA ao máximo que ÊLE pode nos oferecer. Todos sabemos que não é só o talento mas também seu comportamento exemplar como jogador e inteligência nas atitudes que, convenhamos, não é comum neste esporte individual que ressalta, de um lado, de forma clarissima ,egocentrismos exacerbados e, de outro, uma lisura comportamental “à la Federer”.
    Assista todos os jogos do Federer. .

    Responder
      1. MARIO CESAR RODRIGUES

        Andy Murray tem mais vitórias que ele os dois pau a pau…e contra Nole 16×13 para Federer é melhor ele parar logo!

        Responder
  19. maria paula

    Sou fá do Federer mas não acredito em milagres. Se ele vai seguir ou não, quem sou eu para dar palpite. Se conseguirá algumas novas vitórias não tenho a menor idéi. Apenas entristece-me imaginar que não mais verei a alta qualidade técnica do Federe nas quadras. É inevitável, mesmo para um atleta com suas qualidades.

    Responder
  20. André

    Chiquinho, seria a a hora de uma nova troca de técnico para o suíço? O que um novo técnico poderia acrescentar a parte tática do Federer?

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Andre sinceramente acho q nao eh por aih. Nao se trata de uma recuperacao q Brad Gilbert e Gil Reyes fizeram com Agassi
      abs
      Chiquinho

      Responder
  21. Paulo

    O melhor de todos os tempos (The Best Ever!) pode fazer o que quiser que pra mim tá tudo bem. Se continuar jogando, tudo bem! Se continuar caindo no ranking, tudo bem! Se decidir jogar só torneios importantes, tudo bem! Se resolver se candidatar a embaixador da ONU, kkkkkk, tudo bem! Presidente da Suíça, kkkkkkk, tudo bem! Enfim, não tem que provar mais nada pra ninguém, já deixou um “legado” que dificilmente será batido. O mais importante é que ele seja feliz. Agora … quem ficará muuuuuito triste com a ausência do REI DO TÊNIS, serão os comentaristas tenísticos kkkkkkkkk. Irá fazer muuuuuuuuuita falta! Abraço Chiquinho!

    Responder
  22. Marcos

    O Chiquinho no quesito FEDERER realmente é uma catástrofe quando faz comentários…revela imparcialidade, inexperiência de jornalismo, incapacidade de olhar no RETROVISOR…parece piada quando leio seus comentários a respeito de FEDERER…é como se estivesse hoje motendo o pau no PELÉ caso este não jogasse bem uma partida aos 70 anos…quando fazemos comentários a respeito de um gênio, temos de ter o mínimo de respeito, pois pega até mal a forma de tratarmos alguém deste quilate…parece que vira até criança que perde a noção do que é certo e errado…que bom que borracha nenhuma apaga os recordes dos grandes gênios do esporte, pois o que tem gente querendo apagar a carreira dos outros talvez por carregar certas frustrações na sua própria carreira.

    Marcos

    Responder
  23. marco andrade

    parabéns Chiquinho pelos comentários. Sou um grande fã do Federer e confesso que não mais acredito em sua plena recuperação. Infelizmente sua Era acabou e hoje, Murray, Nadal e Djokovic sobram diante do suíço. Até outros adversários como Del potro, Berdych e Tsonga tem sido grandes ameaças para o ex numero 1. Vale lembrar que mesmo na grama de Wimbledon, Federer foi surpreendido e não mostrou força e recuperação alguma para evitar aquela derrota vexatória. Lembramos que somente nesta temporada Federer foi derrotado por nomes bem menos expressivos tais como: Benetteau, Nishikori e Stakovsky. Se nem em Wimbledon Federer logrou êxito, quem dirá nas quadras duras e muito menos no saibro. Quem viu o gênio e imbatível Federer fique feliz, pois o Rei já era e se não parar logo,enquanto ainda é top5, saíra do circuito sem ser valorizado como é e merece ser por tudo que já fez.

    Responder
  24. carlos argentino

    O federer pode cair pra numero 200 do ranking que continuara sendo pra mim o cara tecnicamente mais talentoso, elegante inteligente e educado que o tenis ja deu ate agora nesse mundo …falei ta falado

    Responder
  25. Sergio Rossetto

    Federer tem em mente que não será mais um protagonista em 90% dos torneios que disputa, semanas “douradas” ainda vão aparecer, e com sorte poder surgir em um GS. Passou a jogar desde o ano passado mais como hobbie do que como profissão. Hoje em dia certamente é mais difícil para Federer ganhar dos mais novos do que era para Sampras e Agassi, o esporte esta cada vez mais físico, força e velocidade passaram a sobressair sobre a técnica. Roger deve se inspirar no alemão Tommy Haas, que esta conseguindo resultados incríveis para um jogador de 35 anos, parando “apenas” no Djokovic em RG e Wimbledon. Se um jogador com maiores limitações que o suíço pode chegar longe em um GS, será mesmo que Federer não tenha plenas condições de faze-lo? Só há uma coisa que vai distinguir esta possibilidade, a VONTADE. Seus recordes já começam a ficar pouco ameaçados por Nadal e as procimas Olimpiadas só ocorrem daqui a 3 anos. Federer em Wimbledon ano passado jogou para calar os críticos e o fez, ele precisa de um incentivo neste momento da carreira, algo que o faça manter o foco, talvez a presença de suas filhas na arquibancada passe a ser um fator emocional que alavanque este fundamento nos próximos anos. O futuro de Roger Federer nas quadras depende só dele e do que ele espera estando ali.

    Responder
  26. Henrique Farinha

    Chiquinho, continuo achando que Djoko e Murray serão os protagonistas dessa luta nos próximos dois anos, se um fato novo não aparecer, como foi o próprio Djoko em 2011. Federer e Nadal incomodarão esporadicamente, mas o bastão, a meu ver, está sendo passado. Federer, por canta do peso cad vez maior da idade, e Nadal, do físico. A tendência é de Nadal ter melhor desempenho no primeiro semestre, quando o saibro é o foco e RG o desfecho, e ser franco-atirador no segundo, quando as quadras rápidas dominam o. circuito. Abs!

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Acho que neste período … quadras rápidas… a tendência é o Janowocz aparecer mais forte, ao lado de Dimitrov. E veja então que teremos o Leste dominando tb o masculino hein.
      abs
      Chiquinho

      Responder
  27. fred

    FEDERER é, p/ a maioria e p/ mim tb, o maior jogador de todos os tempos.
    Mas ele já deveria ter encerrado a carreira no final do ano passado. C/ os resultados q anda obtendo, creio q não passará do fim deste ano. O esporte deverá perder muito da graça c/ a sua ausência.

    Responder
  28. Francisco Brito

    O que a maioria não leva em conta é a procura do publico e das TVs pelos jogos do Federer, muuuito acima dos demais top 5, consequentemente os donos de torneio vão continuar lhe pagando premios altissimos de participação. Para jogar em alto nivel ele não tem nenhuma dificuldade, assim, ficar entre os 5 por mais algum tempo não é nada desmotivador! E se derem brecha, ele ainda fatura mais algum GS e Master.

    Responder
  29. Érico - BSB

    A impressão que passa é que o Federer está mais fraco que os outros tenistas de ponta. Acho que a solução para ele é levantar muito ferro…rsrsrs… Outra coisa, também tem que aprender a bater o backhand com as duas mãos senão já era…

    Responder
  30. SSilva

    Federer não precisa fazer mais nada. O que ele já fez até agora, o coloca no topo dos melhores tenistas do mundo. A minha resposta à pergunta: “E agora Federer” (seu eu fosse o ele), seria: “Viver a vida e jogar pelo prazer de fazer o que gosto”. A história dele já está escrita.

    Responder
  31. Thiago

    Sinceramente pessoal, esqueçam que ele voltará a ser nº 1…há de se concordar que no campo biológico ele está numa curva descendente. Isso é a vida, principalmente para um esportista de alto nível. Em um esporte que está cada vez mais físico, para um atleta de 30 anos isso pesa demais. Se o nível do ranking fosse um pouco maior talvez ele já estivesse fora dos top-10. Mas continuando vai ficar entre 5, 6, talvez 4 se Nadal tiver problemas…essa posição mediana, que ele disse que sente desconfortável (quem disse que ele fica aliviado em não ser nº1 só pode estar brincando). Esqueçam essa história de “voo da fênix”, “ressurgir das cinzas”…na minha opinião ele vai se esforçar muito para tentar um canto do cisne talvez no USOpen ou em Wimbledon14, para se retirar e se despedir como campeão, mas vai ser duro. Se insistir, e alongar a carreira, vai chegar a umas quartas aqui, oitavas alí, talvez um Masters..mas não será como antes, isso não tem como. A idade chega para todos, inclusive para os grandes desportistas!

    Responder
  32. Luís Felipe

    Acho que o Federer ainda ganha esse ano Hamburgo, Gstaad, US Open e Final Masters. Voltar a ser o melhor do mundo esse ano acho bem complicado, principalmente quando vemos Djoko, Nadal, Murray, o próprio Tsonga na “pegada” em que estão, sem contar em outros caras que estão em ascensão, como é o caso do Janowicz, do Dimitrov e outros por aí. Mas do mito podemos esperar tudo, afinal quem foi rei, nunca perde a majestade.

    Responder
  33. Sergio Ribeiro

    Chiquinho , Federer deixa tudo muito claro quando diz que fora o N1 , o resto tanto faz. Ele pode ser o quinto e continuar quebrando e aumentando seus Recordes. Sua diferença para Murray e Novak em SLANS e’ muito grande. E Rafa Nadal e’ uma incógnita no piso duro . Nem o TItio Toni sabe como vai reagir o físico do Sobrinho. SAMPRAS saiu do TOP10, apanhou muito durante ano e meio, pediu mas respeito da imprensa e ainda venceu seu maior Oponente na Final do seu ultimo SLAN . Como o treinador era o mesmo , e Annacone diz que o Suico fisicamente esta bem melhor do que o Norte-Americano estava,, porque parar. Você concorda amigo, que Federer parece ter mais amor pelo Esporte do que Piatol Pete em final de carreira? Abs!

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Sua resposta foi excelente Chiquinho, o que comprova que você continua um Expert em se tratando de Tenis. Parabéns !

      Responder
  34. renne bueno

    Chiquinho, boa noite.

    Vai ser simples, igual a velha história do esporte. Até o próximo Wimbledon o Nadal(bombado) e o Murray(filhote de lendl) serão pegos no doping, como o Amstrong foi, e devidamente punidos. O Djoko terá de explicar muito melhor a tal câmara hiperbárica, com risco de suspensão. E o bom e velho Federer irá faturar mais uma vez e tudo voltará ao normal. Assim, mais uma vez todos irão coloca-lo no devido lugar que é o mais completo campeão que o tênis já viu.
    Que venha logo o novo e eficaz controle de doping!!!
    Renne Bueno

    Responder
  35. MARILIENSE

    Federer continua no circuito apenas por um fator: esperança de ainda poder diminuir o abismo 20 x 10 em relação ao seu carrasco mor Rafael Nadal. Essa é a mancha que ficará eternizada em sua carreira e a tentativa de diminuir o prejuizo fatalmente lhe trará um outro problema. Corre o risco de ser transformado em “panga” dos tres cachorrões ….

    Responder
  36. MARILIENSE

    E o titulo de maior de todos os tempos ainda é de Bjorn Borg. Quem nunca ganhou ouro olimpico individual e Davis e ainda é fregues do maior rival (20×10) nunca será o melhor… falei

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Continua o mesmo em Mariliense? BORG jamais venceu o USOPEN, pois perdeu TODAS as Finais, 2 para Connors e 2 para McEnroe, sendo que este o superou em 3 Finais consecutivas.Rafa Nadal e’ um grande Campeão , mas o único na Era Profissional a perder 3 Finais de SLAN consecutivas. Já venceu 20 de Novak, mas este já o supera em SLANS fora do Saibro. Se nao abriri o olho , Murray também o ultrapassa. Abs!

      Responder
      1. MARILIENSE

        Valeu Sergio ….. gosto dos seus comentários, somos mais ou menos da mesma época. Agora me explica como Bjorn Borg conseguiu a façanha de ganhar 6 Roland Garros e quase na sequencia 5 Wimbledon, só um genio pra conseguir dominar dois pisos tão antagonicos com aquela Donnay de madeira que mais parecia uma raquete de ping pong. E Borg perdeu 5 finais de US Open,portanto chegou a cinco finais o que não é pouco. De quebra ganhou Copa Davis e foi 2 vezes campeão do Master de Nova Iorque. E poderia ter ganho muito mais se tivesse disputado o Australian Open e não ter encerrado a carreira aos 27 anos de idade

        Responder
        1. Sergio Ribeiro

          Infelizmente o Gênio Bjorn Borg ,ao contrario de Federer, nao soube administrar suas derrotas para o jovem John McEnroe , e o surgimento de Ivan Lendl. Preferiu partir para o ramo de Empresário da Moda, e quebrou a cara. Tentou retornar com sua raquete de Madeira , e foi um fracasso total, que o proprio nao merecia. Federer ao contrario, nao foge nem de Rafa Nadal , nem de ninguém. Vai continuar aumentando seus Recordes, independente de H2H, pois mesmo sendo 5 a 6 anos mais velho, continua competitivo. Abs!

          Responder
          1. MARIO CESAR RODRIGUES

            Competitivo…há há há só pode estar brincando vamos ver Hamburgo ele só pediu o convite porque sabia que Rafa não iria,,,mas tem o Letão hem cuidado!

  37. MARILIENSE

    Eu vejo muitas federetes comentarem que o suiço está mais jogando como hobbie,por prazer do que como profissão e blá blá blá. Conversa de perdedor pois a cara do suiço quando está levando “sova no lombo” do seu carrasco R Nadal é de desespero,choro,vontade de suicidio rê…. essa é a realidade, pode conferir

    Responder
  38. BEZERRA NR.

    Prezado WMUzi.
    O maior tenista de todos os tempos foi Jimmy Conors: mais de 100 títulos. E o melhor, sem dúvida, foi Bjor Borg (é porque você não o viu jogar). Aguardo resposta do amigo Chiquinho as minhas perguntas acerca de Jerzy Janowicz.
    ABRAÇOS.
    AURÉLIO NR.

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Poxa, o Janowicz tem tudo para brilhar no segundo semestre, com quadras ainda mais favoráveis ao seu estilo de jogo.
      abs
      Chiquinho

      Responder
  39. Ricardo B. de Carvalho

    Sobre Bojrn Borg, fecho com o(a) tenista de Marilia. Os americanos treinavam entre si horas e horas pra poder vencer o sueco em New York. Inclua-se Roscoe Tanner. A ressalva é com relação a Donnay de madeira, que era feita exclusiva para ele. Se fosse de “ping pong”, não poderia competir com a Wilson de metal.

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>