TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
Nick Kyrgios: rebelde ou herói?
Por Chiquinho Leite Moreira
agosto 15, 2019 às 2:07 pm

7681AFB7-7CB8-4ECF-A1A6-5A11AF8D103FDesde a conquista do ATP 500 de Washington, até a eliminação no Masters 1000 de Cincinnati, Nick Kyrgios passou de ‘gênio encantador’ a ‘talento desperdiçado’. Viveu momentos de herói ao perguntar a torcedores onde deveria sacar, até se revelar em rebelde ao cuspir em direção ao juiz de cadeira Fergus Murphy.

Não há dúvidas de que a genialidade de Kyrgios, a plasticidade de seu jogo e criatividade são ingredientes suficientes para atrair um bom público. Organizadores de torneios o colocam como grande atração, escalando seus jogos para quadras importantes em horários nobres. O resultado, porém, é imprevisível. O show pode se transformar num drama, numa tragédia, um espetáculo de horror, como deixar a quadra, seguir ao corredor dos vestiários com o objetivo de destruir duas raquetes.

O jogo de Kyrgios é primoroso, legal de se ver. Mas até onde vai a ‘licença poética’ de seu comportamento? Em Cincy, ele procurou um vilão. Direcionou duras ofensas ao juiz de cadeira, que ao meu ver foi até complacente. Só que ao final da história o herói foi Karen Khachanov, que alguém muito bem escreveu que o russo já reservou um lugar no céu, depois desse jogo.

Para muitos, jogadores como Kyrgios fazem bem ao tênis. Ouvi dizer também que ele joga tênis por dinheiro. Mas do jeito que vem acumulando multas, corre o risco de prejuízos. Em certa época o tênis teve também o seu ‘bad boy’. Era o explosivo John McEnroe. Ele era um show em quadra, só que isso custou caro. Chegou a cumprir meses de suspensão e levou multas pesadas. Mas o norte-americano jamais jogou só pelo dinheiro. Vem de família rica. Filho de diplomata nasceu em Wiesbaden, na Alemanha. E, certa vez, quando esteve no Brasil, para a disputa do Rio Champions, McEnroe reconheceu que suas atitudes intempestivas eram resultados de uma infância de garoto mimado.

Será que Nick Kyrgios pode se dar ao mesmo luxo? A resposta talvez possa vir de uma das melhores biografias que Hollywood já produziu: Patton rebelde ou herói. O filme retrata que o brilhante general George S. Patton foi do céu ao inferno, em razão de seu comportamento intempestivo.

 


Comentários
  1. Gilçon De Jesus

    Chiquinho ao contrario de você não acho o jogo do Kirgios bonito nem plástico , na minha opinião 0 que ele tem de bom é o saque. É acho o comportamento dele em quadra lastimável. Deveria receber uma punição pesada da ATP , de pelo menos 6 meses de suspensão.

    Responder
  2. Leandro Passos

    Eu acho que o Kyrgios muito parecido com o McEnroe em questão de talento e comportamento explosivo. Porém, a única coisa que falta a Kyrgios é que ele não tem vontade de vencer e o McEnroe é doido, maluco pra vencer. Odeia perder. Será que não é isto que falta a Kyrgios. Vontade de vencer?

    Responder
  3. Everton Weslley

    Chiquinho, primeiramente, parabéns pelo texto correto e autêntico.

    Mas gostaria de compartilhar duas dúvidas sobre o tema:

    Até quando você acredita que Kyrgios irá jogar?

    E qual a porcentagem de culpa para ao ponto que está, entre ele, ATP e outro motivos (familia, amigos, etc)?

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Quanto tempo ele irá jogar? Vou responder com um comentário do Dácio Campos ao meu amigo e genial tenista que nos deixou muito cedo, o Zé Amin Daher… ele tem físico de jogador de bilhar. Trata-se apenas de
      Uma brincadeira, jamais o Dácio pensou em qualquer outra coisa que não fosse colocar o Zé Amin lá em cima. Assim como Kyrgios tinha um talento enorme, com a vantagem de ser um baita amigo e um caráter irreparável… saudades

      Responder
  4. Valter Mucillo

    Nem um, nem outro, não passa de um palhaço, não sabe e nem gosta de respeitar as pessoas, está no meio errado, deveria procurar outro esporte, quem sabe no UFC, lá ninguém respeito o outro antes e depois das lutas. Nem perco tempo assistindo quando ele joga pois sei que vai dar merd…..

    Responder
  5. Rafael

    Eu acho ele um tremendo de um babaca! O talento dele fica insignificante quando comparado com as bizarrices que ele faz. Ter opiniões fortes é bem diferente de ter atitudes de menino mimado onde a mãe ATP tem sido complacente ao extremo. Deveria receber uma suspensão pelo que faz.

    Responder
  6. Wallace

    Nem um dos dois. Pra mim é um completo idiota. Não entendo por que dão tanta moral a ele. É só um jogador mediano que sequer ganhou um Master 1000.

    Responder
  7. Marcio

    Chiquinho sinceramente eu até entendo que diferenças existem… dar declarações polêmicas, falando do Djokovic, Nadal, Federer, sem faltar o respeito até soam engraçadas… agora cuspir em direção ao juiz, ficar o tempo todo reclamando do nada, e ainda tratar de forma ríspida os boleiros, acho que extrapolou os limites… vi o jogo ao vivo ontem e ele merecia ser desclassificado. O juiz até teve muita paciência com ele. Se levar um gancho de uns 2 meses ele começa a se controlar… e se mesmo assim não conseguir aí é caso perdido!!! De herói ele não tem nada… infelizmente…

    Responder
      1. Marcio

        Durou pouco demais… e tende a piorar se ele não mudar seu comportamento… brincar, zoar, até mesmo reclamar é característica dele e faz parte… dar declarações polêmicas, desde que não faltem o respeito tudo bem, mas passando disso é complicado!! Chiquinho como sempre seus comentários muito coerentes e lúcidos!! Abraço!!!

        Responder
  8. Efraim Oliveira

    Não sei onde que enxergam essa genialidade do Kyrgios. Na idade que tem, conquistou de importante apenas dois atp500, fez apenas quartas de slam uma vez… Que talento é esse que não se traduz em resultados positivos?

    Tirando o excelente saque que ele tem, sobram basicamente as firulas.

    Responder
  9. Maria izabel

    Kyrgios tem muita qualidade técnica. Está piorando de comportamento a cada dia.Era divertido suas maluquices,só que Kyrgios achou de falar asneiras e piorou seu comportamento em quadra.Penso que gostou da mídia que ele provoca e aumentou muito a dose,achando-se muito engraçadinho. Ontem assisti seu jogo,e seu olhar ,íķera de um maluco.Assistir jogo do Kyrgios hoje ,não me dá prazer e sim medo.Não sei do que será capaz de fazer,pode jogar raquetes no chão, no público,juiz,enfim é um alucinado. Infelizmente ,talento desperdiçado.Big Mac era filho de papai,mas Kyrgios não. Ontem apareceu que tem mais de US$7000000 com 22 anos já conseguiu o que quer.Terá cabeça para segurar isso?Não vejo no circuito ninguém para domar esse rapaz.Mas com certeza, um bom psicólogo lhe fará bem.

    Responder
  10. Neuton Costa Batista

    Chiquinho,
    Sou pai de tenista infanto juvenil e gostaria da sua ajuda para fazer chegar a CBT a seguinte ideia:
    Os torneios infanto juvenis no Brasil deveriam ter outro formato, ou seja, deveriam ser por grupos, de maneira que na primeira fase cada atleta jogue pelo menos 3 jogos.
    No formato atual pelo menos metade dos atletas de cada chave fazem apenas um jogo no torneio. Gasta-se muito dinheiro e falta-se a escola para levar um atleta a um torneio para um só jogo.
    Sei que isso precisaria de disponibilidade de quadras e locais para jogos, mas daria um enorme salto de qualidade nos atletas.
    Vamos tentar fazer a CBT ouvir essa sugestão, por favor ajudem!
    Obrigado.

    Responder
  11. Carlos

    Herói???
    A pergunta chega a ser absurda. Kyrgios pode ser muita coisa, e talvez até tenha alguma coisa no seu comportamento que indiretamente traga algum (pequeno) benefício para o Tour. Mas com certeza qualquer ganho que o Tour tenha com ele não compensa os danos que causa ao esporte.
    Herói em quê???
    Ainda que se queira levar para o lado de que o circuito talvez seja um pouco comportado demais, definitivamente não são essas as atitudes que seriam recomendáveis para quebrar o padrão.
    Não se sujeitar a determinados padrões, não confere o direito de ofender e desrespeitar quem segue os mesmos.
    O circuito é estressante e pequenas e pontuais manifestações de frustração são sim admissíveis a todos os jogadores. Estas manifestações podem gerar reflexões sobre o que é certo e sobre o que precisa ser mudado. Mas Kyrgios ultrapassa reiteradamente todos os limites aceitáveis.
    Na verdade é um covarde! Enfrenta os mesmos tipos de dificuldade que todos os jogadores enfrentam, mas não aguenta nada e desrespeita todos: jogadores, público, patrocinadores, organizadores.
    O título poderia ser: “Nick Kyrgios – rebelde ou covarde?” Eu diria covarde.

    Responder
  12. ROBÉRIO DA SILVA DE ANDRADE

    Apesar de todo seu talento, ele é um insubordinado. O termo HERÓI são para pessoas que conseguem grandes feitos, com ética, respeito , dignidade e nobreza. Coisas distantes do Nick Kyrgios.

    Responder
  13. Robério

    Infelizmente o Nick Kyrgios não passará de um insurreto. Nasceu com o dom de jogar tênis. Mas longe de ser um herói. O termo herói é para pessoas de atos nobres, revestido de ética e respeito. Longe desse rapaz. Uma pena!!

    Responder
  14. Rodrigo Lightman

    Nem herói, nem rebelde, mau caráter mesmo. Bobo da corte, mico de presépio, cantor de churrascaria, funkeiro etc. Para esconder seu mental fraco, ele fica fazendo estripulias, palhaçada, fanfarrice, firulas em jogos de torneios grandes. Habilidade até o Monfils tem, agora ter um jogo vencedor é outra história. Mas se a massa gosta dessas bizarrices, fazer o quê.

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>