TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
O que será de Nadal?
Por Chiquinho Leite Moreira
fevereiro 21, 2016 às 9:47 pm

O que será, que será?
Que andam suspirando pelas alcovas
Que andam sussurrando em versos e trovas
Que andam combinando no breu das tocas
Que anda nas cabeças, anda nas bocas
Que andam acendendo velas nos becos
Que estão falando alto pelos botecos
E gritam nos mercados que com certeza
Está na natureza

Eis a questão para Rafael Nadal. O que será? Se o maior jogador da história no saibro não consegue mais vencer no seu terreno preferido. A letra de Chico Buarque de Hollanda merece reflexão. Afinal, há muita gente se perguntando em todos os cenários descritos no verso acima.

Será que está na natureza? Difícil dizer. O certo é que o nove vezes campeão de Roland Garros anda em busca da reabilitação. Mas qual o caminho? Prefiro entender como Carlos Moya. O espanhol também ex-número um do mundo – hoje ao lado de Milos Raonic – acha que seu compatriota está desorientado. Seria então o momento de buscar uma mudança radical.

Aparentemente esta inacreditável virada  já pode estar acontecendo. Seu tio, Toni, quase não foi visto no Rio Open. Andou discreto pelos cantos, no que pode ser um sintoma do conformismo e da aceitação de que seu ciclo chegou ao fim.

Mas será que uma mudança de treinador irá levar de volta Nadal ao seu melhor tênis? Pode ser sim o caminho. Mas o que se sussurra em versos e trovas é que o espanhol sacou a 130 km/h, que sua direita não machuca e que suas pernas não estão assim mais tão rápidas.

É preciso entender o que anda pelas cabeças do tenista e seu staff. Porque ouvir apenas o que se fala pelos botecos não vai levar a nada. Com 29 anos, ainda há muito tempo para recuperação, mesmo para um corpo já tão desgastado e sofrido.

Seja o que for, para quem goste, admire ou deteste, ou até quem atire pedras. É preciso aceitar que Nadal é um gênio. Sua situação hoje é difícil. Quem não torce por ele, que pelo menos tenha o respeito.


Comentários
    1. Mário

      Vai continuar jogando no nível que está hoje. Fisicamente caiu muito e não volta a ter o mesmo fôlego de antes. Talvez se mantenha como um top 10 por mais um ou dois anos e depois aposenta. Fez seu papel sem jogar nada. Conseguiu vencer 14 grand slans só por ser uma máquina fisicamente e ter um forehand potentíssimo. Fora isso não saca muito, não voleia, mal aplica um slice, não é criativo, mas foi um vencedor enquanto fisicamente isso foi possível.

      Responder
      1. Renato

        O Chiquinho sempre educado até para comentar. E sua opinião respeito. Agora pode-se dizer que o Nadal jogou de forma extraordinária enquanto os controles médicos sobre o organismo dos atletas no tênis estavam engatinhando. Quando se tornaram efetivos e presentes como nos outros esportes por imposição da wada, ele se contundiu, foi forçado a parar, o joelho inchou, perdeu a força, o mental, a velocidade, a força, tudo. Enfim tenho que ler lorotas e mais lorotas tentando justificar aquilo que não se justifica. Abcs!

        Responder
        1. Chiquinho Leite Moreira

          Renato não há nada que se comprove com Nadal. Entendo sua desconfiança, assim como de muitos outros, em especial os franceses. Mas desde o escândalo do Tour de France, todo evento em território francês passou a ser supervisionado pelo comitê anti dopage do governo. Uma entidade acima da Wada, atp ou itf. Nadal venceu RG já dentro deste controle. Portanto acho que a
          gente não deve dizer o q não podemos provar. Bem esta é a escola
          de jornalismo que frequentei, com 30 anos de Estadão, Globo mãe, entre outras
          midias. abs e vamos lá

          Responder
  1. jorge nader

    inesquecível uma final de Rolland Garros entre Rafael Nadal e Mariano Puerta. me lembro assistindo ao jogo da grande habilidade de Puerta, e aquele dia jogou como nunca, fez Nadal correr o dobro do que correria nos melhores dias depois disso.
    Mariano Puerta perdeu e ficou com o vice-campeonato e pouco depois foi desclassificado por uso de dopping ,perdeu o vice campeonato e o premio.
    passei muitos anos me questionando como poderia Nadal correr mais do o Mariano? que tinha jogado dopado? e o coloco hoje entre os 5 maiores cavaleiros tanto nas quadras quanto na vida pessoal os 5 primeiros do ranking mundial de tenis, exemplo para todos maiores atletas do mundo, como se portar em uma entrevista, nas quadras ou na vida pessoal não se escuta ou lê nada sobre eles em uma internet ávida de escândalos.
    como Lance Armstrong só saberemos no futuro, ou talvez nunca saibamos.

    Responder
  2. WALDIR DOS SANTOS

    CHIQUINHO VOCE NÃO ENTENDE NADA DE TENIS, FICA ELOGIANDO 9 VEZES VENCEDOR DE ROLAND GARROS. SEU CORPO ERA DE TOURO MIURA, HOJE É DE GATINHO MIAU TEM SÓ 29 ANOS PORQUE PROIBIRAM O BIOTONICO FONTOURA, HOJE NÃO TEM MUSCULOS, NÃO TEM SAQUE, NÃO TEM VELOCIDADE, NÃO TEM NADA. SEMPRE FOI UM JOGADOR COMUM SEM OS ISOTONICOS, VOCES NÃO TEM CORAGEM DE FALAR A VERDADE. O ACE É UMA PIADA , FICAMOS RINDO DAS BOBAGENS QUE VOCES FALAM. TODOS OS JOGADORES SÃO FINOS MURRAY, DJOKO, BRAW QUE DEU A MAIOR AULA DE TENIS NO RAFA, THEEM, RAUNIC, TODOS, SOMENTE O RAFA ERA MUSCULOSO….LEMBRA DA CORREDORA AMERICANA QUE ERA TREINADA PELO SEU MARIDO QUE MORREU AOS 42 ANOS, DOPADA O CICLISTA AMERICANO QUE GANHOU 9 VOLTA DA FRANÇA DOPADO PERDEU OS TITULOS.SE MANCA

    Responder
        1. Rafael Medeiros

          Amigo, vocÊ vem aqui ofender o sujeito, que é um dos melhores jornalistas do tênis no Brasil, uma experiência monstruosa, e acha que ele vai dar bola?

          Vai comer feijão com arroz e depois passa aí, tenha dó.

          Responder
          1. WALDIR DOS SANTOS

            primeiro não estou ofendendo ele , não falei nenhuma ofensa ou palavrão, apenas que ele é pessimo em comentar tenis, não sabe nada ….falou a 3 anos atras que o murray ia ser o melhor veja no que deu nada é segundo porque o federer ta de chorar, só ganha de baba, os demais são pessimos é por causa disso que o djoko ganha tudo….falou da muguruza, nos 3 ultimos torneios saiu nos 2 primeiros na 1 rodada no terceiro hoje já pifou já foi comer pizza com o nadal…..voce é irmão, pai , amigo ou mãe dele.

          2. WALDIR DOS SANTOS

            ESQUECI DE MENCIONAR O PREMIER DE DOHA,ERA DE SEGUNDA CATEGORIA….NÃO ESTAVAM SERENA, VENUS, SHARAPOVA, AZARENKA, CIBULKOVA, STEPHENS, PUIG, ANA E OUTRAS, É MOLE

  3. El loco

    Chiquinho, é a idade. Assim como ela chegou antes com o espanhol, que teve uma ascensão prematura, agora ela faz seu tênis se esvair pelas goteiras, também de maneira antecipada.
    Não vejo saída.
    Abs

    Responder
  4. Weverson Pinheiro

    Chiquinho,

    Excelente post, mas ao ver o jogo lembrei de outra música cantada pelo saudoso Cassiano: ” Mais um ano se passou, estou ficando velho e acabado…” Brincadeiras a parte, não consigo ver uma solução a curto prazo pro Nadal, pois uma pessoa cheia de manias, cheia de TOC, não consegue se adaptar a mudanças radicais, como por exemplo, a troca do técnico e tio, tony nadal. Cada vez que ele cai sempre alguém escreve que ele é Nadal, que alguma hora dará a volta por cima. Os torneios que eram “garantidos” pra ele acabou, de agora em diante virá os masters na quadra dura e saibro na europa onde os cachorros grandes estarão todos lá, portanto vida dura pro grande Nadal.

    Responder
  5. Altaisio dos Santos Paim

    Bom dia, Chiquinho!
    Sou federista de carteirinha, amo pra caramba o Federer, mas reconheço os feitos, os “números” e a história do Nadal. Ele tem o meu respeito.
    Pergunto: Você tem o seu tenista preferido ou prefere ficar vem cima do muro? Alguns jornalistas falam abertamente sobre seu time de coração, mas sabem com maestria discernir trabalho e paixão(amor) pelo clube.
    Abraço

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Eu admiro muito o Djokovic…mas gosto do tênis bem jogado… do Federer, do Nadal, Murray. Prefiro os bons estilistas. Por exemplo, admiro a Garbine Muguruza, mas não curto tanto a Aga Radwanska. O mesmo acontece com o masculino… não sei se pagaria um ingresso para ver o Ferrer, mas investiria numa partida do Gulbis, Kygios. Era fã dos jogos de Connors… depois Agassi. O Roddick era impossível como juvenil, depois ficou legal de ver. Enfim, gosto de um bom tênis, mesmo muitas vezes com jogadores pouco talentosos. Assisto até ‘pangarés’ no clube

      Responder
          1. Ricardo - São Paulo

            Manooo incrível como as pessoas não sabem interpretar um texto, ou uma resposta…É tão claro quando ele escolhe o Nole como seu favorito, porém admira “o jogo bem jogado” dos demais…Difícil defender vocês

          2. Luiz Fabriciano

            Ricardo, quando alguém diz: mas, é porque há ressalvas. Quando alguém agrada de mais alguma coisa ou pessoas, acrescenta-se o “e” e/ou “também”.
            Realmente o texto dele está bem claro, nesse sentido.

      1. Eric Magalhães

        “Eu admiro muito o Djokovic…mas gosto do tênis bem jogado… do Federer, do Nadal, Murray. Prefiro os bons estilistas”.

        Hahehaeheahaehaeh… muito engraçado. Confesso que eu também admiro muito o Djokovic, o único jogador do Big 4 que não tem pontos fracos e, após o seu amadurecimento tenístico (físico, técnico, mental) se mostrou muito superior aos seus concorrentes.

        Talvez o estilo de Djokovic não agrade o comentarista porque, a depender do adversário, Djokovic joga de forma completamente diferente. Contra Nadal é extremamente ofensivo, contra Federer capricha no primeiro saque e em achar o backhand do adversário, contra Murray basta passar a bola pro outro lado, etc. Mas, ressalte-se, isso é um estilo, ok?

        Então… vamos seguir desfrutando o dia a dia porque a cada dia o h2h de Djokovic pra seus concorrentes aumentará, a cada dia o número de GS e semanas como #1 diminuirá, e vida que segue.

        “tênis bem jogado” Hahahahhahahaehahehaehahha

        Você, Nadalete que é, deveria lembrar as declarações de Nadal após Miami 2014 e após Doha 2016.

        Responder
  6. Altaisio dos Santos Paim

    Bom dia, Chiquinho!
    Com esse estilo de jogo do Nadal junto com sua idade, qual é a tendência querido Chiquinho?
    Tem muita gente boa no circuito. Bons e ótimos tenistas. E isso é muito bom para o esporte.
    Mesmo com mudanças, não vejo Nadal brigando por grandes títulos.

    Responder
  7. Rafael Pereira

    Chiquinho? vc leu o livro dele? Se leu entende como funciona as coisas por lá certo? Eu nunca tinha visto algo como aquele CLÃ NADAL! A forma como eles se respeitam ou dão valor as coisas, e principalmente a função de cada um ali dentro. Isso desde a irmã, o fisioterapeuta, o pai, o tio (que todos pensar ser o cabeça de tudo ali) e etc. Ou seja, vai ser muito difícil que mude algo ou que se inclua alguém, a menos que o tio sai por livre e espontâneo vontade ou peça para que seu pupilo inclua alguém de peso na comissão! Se o trabalho deles continuar o mesmo, eles vão continuar decaindo, infelizmente!!

    Responder
  8. Pedro

    É realmente desanimador ver em que nível o Nadal foi parar. Acredito que só ele sabe o seu futuro, pois para nós, meros espectadores, não temos informação do real motivo de tanta mudança. Especula-se que as inúmeras lesões afetaram o seu jeito de jogar, algo até psicológico talvez. É um atleta de alto nível e tudo pode acontecer. Seria bom para o tênis que ele voltasse, pois ninguém aguenta mais ver o Djoko ganhar tudo. O pior de tudo é que a nova geração ainda está bem longe do nível técnico dos top 5, com idades variando entre 28 e 34. Aliás, abaixo de 25 anos, no top 20, só o Thiem. Do top 20 ao top 30 aparecem mais 3 jogadores com idade menor que 25. Não podemos dizer que jogadores com 25 anos ou mais são nova geração. Realmente é uma diferença muito grande, porque o Nadal entrou para o top 5 com 19 anos e com 22 já era número 1 do mundo. Talvez os novos gênios não queiram despertar.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Um momento: eu não faço parte desse bloco ai que você disse que não aguenta mais ver o Djokovic ganhar tudo.
      Para mim, ainda está pouco.

      Responder
      1. Jeosan

        Eu também não faço parte do bloco a que ele se referiu. Ainda espero ver o Djokovic bater todos os principais recordes (maior número de slam’s, maior número de semanas como número um).

        Responder
      2. Pedro

        Tem gosto para tudo amigo. Se todos gostassem da mesma coisa, iria ser um problema enorme. Mas acredito que para o esporte tênis, a competição equilibrada é bem melhor do que o que está havendo hoje em dia. O problema não é do Djoko, e sim dos outros. Enquanto isso, apenas os fãs do Djoko ficam vendo os jogos, porque perdeu a graça. Se houvesse uma pesquisa com o público, provavelmente a maioria iria concordar com o que eu estou falando. Afinal, se você já sabe quem vai ganhar, qual a graça de ver o jogo? Vai ver o cara treinar………

        Responder
  9. adal

    Boa tarde Chiquinho,

    Sou muito fan de Nadal, mesmo sendo um fenômeno como tenista é uma pessoa muito educada, não quer parecer uma estrela. No começo a carreira dele mesmo conseguindo vencer quase todas as partidas contra o “todo poderoso Federer’ nunca foi arrogante, sempre pé no chão. Quando vejo jogadores como Kyrgios dizendo q pode tudo que é muito bom, fico um pouco triste pois me vejo sem alternativas para torcer no futuro.

    Vi alguns jogo do Nadal no Rio Open e fiquei chocada com o que vi, ele está jogando muito mal, muito curto, e às vezes com recebe uma bola simples, curta escolhe as piores jogadas, o saque tb está muito ruim. Vi os jogos no final do ano passado na quadra dura e confesso que ele está jogando muito melhor na dura que no saibro. Discordo quando as pessoas colocam a culpa na idade e no corpo, afinal ele tem 29 anos, Djokovic tem 28, Murray tb, Wawrinka 30, Federer 34, Ferrer 33 e o próprio Cuevas é mais velho que ele e tb sofreu com lesão nos joelhos. Por que ele estaria tão mal no saibro? Será que o problema dele pode ser insegurança? Idade e velocidade não me convencem . Afinal o jogo dele está muito fraco e não acho q é porque ele não consegue chegar nas bolas mas que ele não sabe o que fazer com a bola quando está com ela. Gostaria de saber sua opinião. grande abraço

    Responder
  10. Orivaldo Briza

    Também penso como o adal. Não tenho muita expectativa que o Nadal volte a jogar como antes. Tenho até a impressão de que ele vai parar logo. Uma pena. Mas, para os que se deleitam com isso é só ver que enquanto jogar vai estar no top 10.

    Responder
  11. Paulo Giordano

    Concordo com o Chiquinho. Sou torcedor eterno do Federer, melhor de todos os tempos modernos e, por esta razão, respeito muito o que o Nadal, 5 anos mais jovem, já fez pelo tenis mundial. Ele está no rol dos gênios e, sem dúvida, não haverá outro tenista a ganhar 9 RG. Entretanto, acho que o tempo e a intensidade do jogo dele esgotaram sua capacidade física e mental. Se ele não tem uma lesão grave que o limite, deverá mudar seu jogo, abreviar os pontos, tentar correr menos. O momento atual é de Nole, 1 ano mais novo que Nadal, uma máquina de jogar tenis, brilhante a sua maneira. Esta é mais uma razão da genialidade maior de Federer, que ainda joga no mesmo nível e se mantem entre os primeiros. Estes caras são espetaculares e já estão na história. Pena que o tempo passa para todos.

    Responder
  12. benjamin botão

    Chiquinho, todo jogador merece respeito. Seus comentários também.

    Mas sou obrigado a colocar em pauta com os leitores do blog sobre a eterna questão do doping que vem assombrando os bastidores do tênis. A mídia internacional especializada sobre tênis já trata com certo ceticismo as supostas lesões de Nadal que os afastou por longos meses, os quais os leigos conhecem APENAS como lesões.

    Qualquer um que pesquisar na web os termos “nadal silent ban doping” poderá ler o que essas mídias debatem a tempos: que as lesões na verdade são suspensões secretas ao atleta pego em doping. A ATP já é velha conhecida por encobrir atletas famosos pegos em doping, mas devido a possíveis prejuízos (financeiro, reputacionais) para a modalidade a entidade sempre decidiu por aplicar penas silenciosas (as quais só o atleta e o seu staff sabem), e para o público ambos (ATP, atleta) declaram que se trata de lesões, e assim salvar a imagem do tênis. Temos os casos de Agassi e o meth, Cilic e os estimulantes, sem falar de outros casos não conhecidos. Há várias razões para crer que Nadal seja um desses atletas punidos por silent ban. Uma emissora de TV francesa chegou a fazer, sem milongas, uma charge de Nadal (9 vezes campeão em RG) e a sua suposta situação de atleta dopado.

    Nadal sempre chamou a atenção do público com seu tênis aguerrido, vitorioso, mas muitos notaram também o seu físico avantajado do começo e meio da sua carreira (muito além do necessário para um tenista profissional). Se outros atletas top usam algum tipo de substância proibida? Provavelmente. A tecnologia dos dopings estão sempre alguns anos a frente das técnicas de detecção de anti-doping. Nunca saberemos ao certo quem ou quantos usam…

    Por que coloco esse assunto em pauta? Por que seu texto termina falando de respeito, e eu particularmente acho um profundo desrespeito aos demais atletas honestos da ATP, os quais jogam limpos, a maneira como a entidade trata os atletas mais famosos quando se trata de doping.

    Um abraço

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Poxa onde vc viu a midia internacional colocar em duvida as lesoes de Federer. Nao li isso em nehuma midia de credbilidade das grandes redes… abs

      Responder
  13. Lázaro Zardini

    Existem sim grandes nomes no tênis, e precisam ser respeitados pelo seus grandes feitos. Todavia o Nadal tem se colocado a baixo de outros tenista na história do esporte. Já explico!

    É o máximo ver o Federer depois dos trinta, contratar o Edberg, reinventar seu jogo, chegar na final de dois Slans e, após ser vice em Wimbledon, dizer que está com “fome” de título. Poxa, tirando as olimpíadas, o cara já tem tudo, é de longe o maior nome (em números) da história do tênis, e mesmo assim o cara tem fome, inova pra tentar bater o Djoko. Falando no Nole, outro fenômeno em inovação, vinha ali, ganhando um Slan por ano (2012, 2013, 2014), aí não se aguentou, contratou o Boris, fortificou de mais o seu jogo mental e fez a melhor temporada de um tenista na história (foram 6 Masters e o Finals). O Murray, apesar de não dar muita sorte (talvez pelo seu mental instável) vira e mexe está com a comissão técnica nova, até ganhou Madrid (no saibro).

    É isso que torna esse fim de carreira do Nadal decepcionante pra mim, o cara não quer sair do confortável, mesmo que isso faça ele perder pro Cuevas, Brown, Berrer, etc. E o pior de tudo, o discurso dele é de total conformismo. Chega ser desrespeito para com os fãs. Nada vai tirar os noves títulos de RG do Miura, mas essa conivência aos 29 anos o colocam muito abaixo de onde todos esperavam que ele chegaria.

    Responder
  14. Marco A.

    Sou torcedor fanático do Djokovic, mas me entristece o nível que o Nadal vem mostrando nos últimos dois anos. O espanhol é um dos maiores da história e é necessário para a grandeza do esporte. Gostaria que ele voltasse ao seu melhor nível, gostaria de ver mais finais como aquele Aus. Open de 2012, partidas de seus horas e que durante aquele tempo vc consegue contar quantas vezes respirou e etc….. Acho que Nadal precisa urgentemente mudar de forma radical sua equipe, não vejo outro caminho para o retorno dele…

    Ainda tem 29 anos, espero que volte a jogar bem e fazer grandes batalhas contra o Djoko, que o espanhol perca no fim, mas que ele consiga voltar a ser o grande Nadal que nos acostumamos a ver. O tênis precisa dele, independentemente de ser torcedor do Djoko, do Federer, do Murray ou de qualquer outro, o fã do tênis deseja a sua volta. Espero que isso aconteça.

    Responder
  15. Nilton Capuano

    Parabéns pelo artigo gentleman Chiquinho!! Na minha opinião o spinzão do Nadal não faz mais efeito – spinzão tem que ser lá no fundo senão os caras entra nela na subida. Com a insegurança psicológica das últimas derrotas e o medo de botar pra fora os spins estão saindo curtos. Falta de confiança mesmo. Eu como amador, perco fácil a confiança para certos adversários que sempre me causaram problemas. Outros que sempre ganho entro confiante eu meto a mão e arrebento sempre. Um dia eu disse que ia fazer uma máscara dos caras que sempre ganho para por nos caras que quase sempre perco, pois entro muito sem cabeça contra estes últimos. Então eu Acho que o problema é o psicológico mesmo – tem que por uma nova rotina – acupuntura como o DJOKO, alguma alternativa para a cabeça melhorar. Ou talvez terá que mudar o estilo buscando mais bolas retas ou deixadas o que é muito difícil par aquém já tem um estilo, ou alongar os spins mesmo e ver o que vai dar!! Aliado a isto, a preparação física e raquetes cada vez mais avançadas,este spinzão do NADAL já não mete medo. Veja que o robô do Djokovic com bolas retas e o Federer com mais técnica do que os dois e mais variação e jogadas espetaculares causam mais estragos hoje em dia. Grande abraço.

    Responder
  16. marcelo

    Sou Federer, mas tenho o maior respeito pelo Nadal. Acho que dos “big 4″ ele e o Djoko são os que mais têm a nos ensinar, porque são mestres em vencer no mental. E essa é a parte frágil não apenas dos tenistas, mas dos atletas brasileiros em geral, especialmente os dos esportes individuais.

    Responder
  17. FERNANDO AUGUSTO DE OLIVEIRA

    Na minha humilde opinião, Nadal nunca foi um jogador espetacular, longe disso, para mim sempre foi um jogador bom e regular, principalmente na época em que estava no auge da forma física. Hoje não vejo chance dele retomar aquele excelente nível no qual jogava ha dois anos atras, mas vejo que uma troca de técnico iria fazer muito bem a ele, fazer com que volte a ganhar títulos, mas grand slan não ha nenhuma chance de ganhar novamente, nem o maior de todos os tempos “FEDERER” jogando em alto nível esta conseguindo.

    Responder
  18. Alexandre

    Chiquinho, Acredito que o Nadal possa voltar a jogar em alto nível, porém precisa mudar radicalmente seu estilo de jogo, precisa agredir desde a 1º bola que seja possível ( é claro). Já não tem o mesmo folego, sua bola cheia de spin não funciona mais, esta jogando demais atrás da linha de base. virou presa fácil. tem q encurtar os pontos com agressividade e jogo de rede, para voltar a intimidar + ou – como o federer se reiventou.
    abç

    Responder
  19. Realista

    Pessoal por aqui nao gosto muito do djokovic,”gosto de tenis bem jogado”…..kkkkkkkkkkkkkkkkk se ele nao destruisse nadal e federer sempre,segundo o autor seria muito bem jogado kkkk

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>