Revelação em 2015, Gavrilova vive ano de confirmação
Por Mario Sérgio Cruz
maio 4, 2016 às 6:52 pm

Escolhida como a revelação da temporada 2015 no circuito feminino, Daria Gavrilova chegou à sua quinta vitória em dez jogos contra top 10 na carreira ao superar Petra Kvitova nesta quarta-feira em Madri. O nome dela já está no radar de quem acompanhava as competições juvenis desde 2010, mas apenas nos dois últimos anos ela tem obtido resultados consistentes na WTA.

Atual 39ª colocada aos 22 anos, Gavrilova vive uma temporada de confirmação. O segundo ano na elite do circuito é de extrema importância, primeiro pelos pontos a serem defendidos e depois porque seu jogo já fica mais conhecido das adversárias. Se em 2015 foram 44 vitórias e um salto da 233ª para 36ª posição, a evolução segue com as dez vitórias na atual temporada e a vaga nas quartas em Madri. O resultado praticamente cobre a surpreendente semi de Roma que tem a descontar na próxima semana e a fará superar o melhor ranking da carreira, o 33º lugar obtido em fevereiro.

Australiana foi eleita a revelação de 2015 e terá o melhor ranking da carreira. (Foto: Mutua Madrid Open)

Australiana foi eleita a revelação de 2015. Campanha em Madri a levará ao melhor ranking da carreira. (Foto: Mutua Madrid Open)

A jogadora nascida em Moscou e que hoje defende a Austrália foi número 1 do juvenil em 2010, ano em que venceu o US Open da categoria e medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude em Singapura. Ela fazia parte de uma boa safra russa que venceu duas Fed Cup Junior seguidas (em 2009 e 2010), sendo contemporânea da atual 47ª colocada Margarita Gasparyan e a 53ª Yulia Putintseva, que também mudou de nacionalidade. Aquele grupo ainda formou a boa canhota Irina Khromacheva, que ainda não conseguiu furar o top 100.

Ainda que boa parte de sua formação tenha sido com Patrick Mouratoglu, Gavrilova passou por situações adversas em sua carreira que ajudam a explicar o porquê de sua evolução ter corrido de maneira mais lenta até os 21 anos. A principal dificuldade veio por conta de uma lesão que a fez passar por uma reconstrução do joelho direito e ficar fora de quadra entre novembro de 2013 e junho de 2014. Ela despencou do 128º para o 368º lugar.

Paralelamente, a jogadora passou por um longo processo de troca e nacionalidade. Residente na Austrália desde janeiro de 2013, quando passou a treinar com a ex-jogadora profissional Nicole Pratt, Gavrilova começou a defender o novo país apenas em Grand Slam e torneios ITF no quali do US Open de 2014 e passou a ser considerada australiana para a WTA apenas em dezembro do ano passado.

A jovem tem caído nas graças da torcida australiana este ano a começar pelo título da Copa Hopman ao lado de Nick Kyrgios e pela boa campanha até às oitavas em Melbourne. Em Madri, ela é favorita para o jogo contra a também novata americana Louisa Chirico, 130ª colocada aos 19 anos, que acontece nesta quinta-feira pelas quartas de final. Posicionada em um setor da tabela que não tem mais cabeças de chave, apesar das experientes Sorana Cirstea e Dominica Cibulkova, pode sonhar com um lugar na final.


Comentários
  1. Túlio

    Mário, quais as novas jogadoras você vê como futuras campeãs de Slam e com potencial para liderar o ranking mundial da WTA?

    Reply
    1. Mario Sérgio da Cruz

      Para ganhar Grand Slam, a Bencic, Muguruza e a Madison Keys são boas candidatas. Agora para ser número 1 demanda uma regularidade de resultados que nenhuma delas ainda tem. Acredito que a geração anterior (Vika, Petra, Aga e a Halep) ainda fique mais um tempo na liderança depois que a Serena parar.

      Reply
  2. Pieter

    Muito estimulante mesmo ver essas meninas novatas mas já tão competitivas no circuito profissional. Lamentável que não tenhamos nenhuma brasileira por quem torcer entre as revelações do tênis feminino.

    Reply
  3. Rafael Arouca

    Me perdoem, mas acho que foi ela que causou a polêmica depois de vencer um
    jogo duro no Australian Open desse ano e na entrevista estava tão eufórica
    que disse a seguinte frase: ”Eu sou boa por trás!”

    Reply
    1. Mario Sérgio da Cruz

      Não houve nenhuma polêmica. As pessoas até riram dela por causa da construção da frase.

      Reply
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>