Irmãs tchecas protagonizam três finais seguidas
Por Mario Sérgio Cruz
dezembro 5, 2021 às 9:26 pm

As irmãs tchecas Linda e Brenda Fruhvirtova vão se destacando nos principais eventos do circuito juvenil

As últimas três semanas do circuito juvenil foram de amplo domínio para as irmãs tchecas Linda e Brenda Fruhvirtova, que protagonizaram três finais seguidas nos principais torneios da categoria e estão aos poucos escalando o ranking mundial da ITF. Linda, de 16 anos, já é a quinta colocada. Uma posição atrás está Brenda, que tem apenas 14 anos.

A série de ótimos resultados das irmãs tchecas nas últimas semanas começou há duas semanas, com o título de Linda Fruhvirtova no ITF J1 de Guadalajara no México, competição que valia 300 pontos no ranking mundial. A irmã mais velha venceu a final por 6/4 e 7/6 (7-5). Foi o primeiro encontro entre elas no circuito da ITF. A vice-campeã recebeu 210 pontos.

Não demorou para que Brenda Fruhvirtova conseguisse a revanche. As tchecas voltaram a se encontrar no saibro de Mérida, também no México, em competição ITF JA que dava 500 pontos para a campeã e 350 para a vice. A caçula das irmãs tchecas levou a melhor, vencendo por duplo 7/5.

 

Já nesta semana, houve um encontro abreviado na final do tradicional Eddie Herr, evento ITF J1 nas quadras de har-tru em Bradenton, na Flórida. Linda Fruhvirtova liderava o primeiro set por 2/0 antes de ver sua irmã mais jovem abandonar a disputa.

Com isso, nas últimas semanas, a mais velha das irmãs Fruhvirtova acumulou 950 pontos no ranking, enquanto a caçula fez 920 pontos. Quando o ranking for atualizado na próxima segunda-feira, a tendência é que ambas continuem subindo e ambas apareçam entre as cinco melhores do mundo na categoria e sigam na luta pelo número 1.

As irmãs Fruhvirtova já chamam atenção de quem acompanha a nova geração do circuito há pelo menos dois aos. Em 2019, Linda foi campeã do Les Petis As, principal competição do mundo na categoria 14 anos. E Brenda venceu a edição de 2020 do mesmo torneio na França. Na atual temporada, Linda foi semifinalista do torneio juvenil de Wimbledon, enquanto Brenda fez parte da equipe tcheca campeã da Copa Billie Jean King Júnior.

Com mais experiência, a mais velha das irmãs tchecas já está em transição para o circuito profissional. Ela já conseguiu suas primeiras vitórias no circuito da WTA, chegando até as quartas de final do 250 de Charleston em abril. Apesar disso, não atingiu a meta de chegar ao top 200 ainda este ano, ocupando atualmente a 303ª posição do ranking.

O grande momento das jovens jogadoras é acompanhado de perto por uma das melhores tenistas do país, Petra Kvitova, que falou a TenisBrasil durante o WTA 500 de Stuttgart sobre o momento das compatriotas. “Ano passado, quando não tínhamos torneios, fizemos algumas exibições por equipes na República Tcheca e a Linda estava no meu time. E ela era muito legal e sempre conseguia jogar. Como capitã da equipe, sempre tinha a chance de vê-la jogar e treinei com ela um pouco. Vi agora que ela ganhou duas partidas em Charleston e sei que é uma jogadora muito talentosa”.

“Na República Tcheca, todo mundo a conhece há bastante tempo, assim como a irmã. As duas são talentosas e podem jogar muito bem”, acrescentou a canhota de 31 anos. “Espero que elas estejam bem de saúde, possam jogar e se concentrar totalmente nisso. Desejo boa sorte na carreira para elas. Com certeza será difícil, porque ainda são muito jovens e tudo é novo nessa fase, mas espero que permaneçam no circuito por bastante tempo”.


Comentários
  1. Gabriel Sant Ana Teixeira

    Ótimo texto Mário Sergio, como todos os outros com ótimas informações e conteúdo. É o blog que mais gosto aqui do tênis brasil porque eu também gosto demais das jovens promessas, de quem está tentando fazer a transição pro circuito profissional.
    E acho que o que chama a atenção é a quantidade de jovens jogadoras surgindo no circuito da WTA….E jovens mesmo! Kasintseva é uma das que eu mais tenho fé, essa é pra logo logo entrar no top 100, acho que já em 2022. A Linda Fruhvirtová com os mesmos 16 anos é outra que acredito que já em 2022 alcance o top 100….Agora inacreditável mesmo é a Brenda….Essa é pra ser fenômeno! Você vendo ela jogar nunca que vai dizer que tem 14 anos….Vai dizer que é uma ótima de jogadora de 17, 18 anos. Eu fico só imaginando a evolução daqui pra frente. Conseguiu os primeiros pontos no circuito no challenger 125 de seoul, onde recebeu WC. Com certeza em 2022 vai receber vários WC, meu palpite antes da temporada começar é que vai fechar 2022 pelo menos entre as 500 melhores, chutando por baixo. Tão nova assim e tão promissora tivemos quem? Acho que só a Venus e a Mônica Seles. As duas também estrearam no profissional aos 14 anos e o da Seles sempre incrível relembrar: campeã pela primeira vez aos 15 anos em cima da Chris Evert, fazendo ainda semi de roland garros e terminando o ano nessa idade como número 6 do mundo. E eu sinceramente duvido que a Brenda não saiba dessas duas referências….Deve saber e querer quebrar alguns recordes se possível em 2022.
    No masculino concordo com todos os nomes e grandes análises. Colocaria talvez também o Juncheng Shang, de 16 anos, que já é o 666 do ranking. Deve receber muitos WC em 2022 em challengers e qualis de atp 250, 500 ou até masters 1000(recebeu esse ano pro de Miami). E também o Zachary Svajda, norte americano de 19 anos, é o 389 do mundo ainda mas vi alguns jogos dele e o moleque é bem tranquilo jogando, muito bom jogo. Mas esse é mais um palpite mesmo….

    Reply
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>