Tênis italiano apresenta duas jovens promessas
Por Mario Sérgio Cruz
abril 25, 2019 às 10:25 pm

Ao mesmo tempo em que o tênis italiano comemora o primeiro título de Masters 1000 de sua história, com o veterano de 31 anos Fabio Fognini no saibro de Monte Carlo, duas jovens promessas do país começam a se destacar em torneios menores na atual temporada e escalam rapidamente o ranking.

Os atletas de 17 anos Jannik Sinner e Lorenzo Musetti estão acumulando bons resultados em challengers nas últimas semanas e são postulantes à continuidade ao bom momento do tênis no país. É bem possível que eles também recebam oportunidades nos principais torneios da Itália, o Masters 1000 de Roma e o Next Gen ATP Finals, em Milão.

Jannik Sinner (17 anos, 314º do ranking, Itália)

Somando todos os níveis de competição, Jannik Sinner já tem 23 vitórias neste início de temporada. Ele conquistou seu primeiro challenger em fevereiro, nas quadras duras e cobertas de Bérgamo, e faturou 80 pontos no ranking. Ele se tornou ainda o primeiro jogador nascido em 2001 a vencer um torneio deste porte. Pouco depois, venceu dois títulos profissionais de nível ITF de US$ 25 mil nas cidades italianas de Trento e Santa Margherita di Pula, chegando a acumular 16 vitórias seguidas no circuito.

De seus atuais 96 pontos no ranking da ATP, apenas sete foram obtidos ainda no ano passado, enquanto 89 foram conquistados já em 2019. O jovem italiano estava no 551º lugar do ranking na virada do ano e aparece atualmente na 314ª posição.

Já nesta semana, Sinner conseguiu mais um importante feito. Ele entrou como lucky-loser na chave do ATP 250 de Budapeste, depois de ter vencido um jogo no qualificatório contra o tcheco Lukas Rosol e perdido para o alemão Yannick Maden. Em sua estreia na chave principal, venceu o húngaro Mate Valkusz por 6/2, 0/6 e 6/4, antes de cair nas oitavas para o sérvio Laslo Djere. A campanha rendeu 26 pontos no ranking e deverá levá-lo ao top 300.

Lorenzo Musetti (17 anos, 486º do ranking, Itália)

Por sua vez, Musetti iniciou a atual temporada conquistando o título juvenil do Australian Open e alcançando a vice-liderança no ranking mundial da categoria, mas rapidamente iniciou sua transição ao profissionalismo. O jovem italiano sequer aparecia no ranking da ATP até o mês passado, mas já ocupa atualmente a 486ª posição.

Há duas semanas, Musetti se tornou o primeiro jogador nascido em 2002 a vencer um jogo em chave principal de challenger. Ele conseguiu essa marca ao superar o Karim-Mohamed Maamoun no saibro francês Sophia Antipolis. Na semana seguinte, foi além, e venceu dois jogos na cidade italiana de Barletta para chegar às oitavas de final. Dessa forma, conseguiu rapidamente doze importantes pontos na ATP.

O compromisso de Musetti nesta semana é o challenger italiano de Francavilla, torneio para o qual recebeu convite, e já conseguiu duas vitórias. Logo na estreia, venceu o compatriota Gianluca Di Nicola por 6/3, 3/6 e 6/4. Já nesta terça-feira, fechou o primeiro set contra o cabeça 5 local e número 204 do mundo Matteo Donati por 6/4 antes de o rival abandonar a disputa. A campanha já rende mais sete pontos e o fará dar um novo salto no ranking. Musetti caiu nas oitavas para o bósnio Tomislav Brkic (297º do mundo), mas os 15 pontos garantidos no ranking o farão subir ainda mais e ganhar cerca de 30 posições.


Comentários
  1. Rodrigo Keke

    Uau, a Itália, ao que tudo indica, está com o futuro garantido na elite do tênis masculino com esses dois rapazes. Só o vi o Musetti por enquanto, e ele me pareceu muito muito bom. A conferir se vão vingar de verdade quando chegarem ao top 100.

    Mário Sérgio, sabe se a Federação Italiana vem desenvolvendo um trabalho mais encorpado com o tênis juvenil ou os dois aí são frutos da ‘sorte’ ou de outros centros de formação, como a França por exemplo? Seria bacana um post (ou uma série) pra falar do trabalho das federações que estão mais avançadas na formação de tenistas na elite do tênis masculino e feminino, como o Canadá.

    Abraço1

    Reply
  2. Celino AHLI DELDIATH

    Rodrigo Keke, enquanto isso, os brazucas só perdem de lavada e tem alguins que comemoram vitoria do Belucci. Vaio plantar batata.
    Pela última vez eu falo Keke, aqui no Brasil só tem jogador “Bunda”, muiés e omes só tem “Bundão”. Valeu Keke.
    Celino

    Reply
  3. Gabriel Sant'Ana Teixeira

    Tanto Sinner quanto Musetti possuem um talento absurdo mas acho que melhor ainda é o espanhol Carlos Alcaraz Garfia….Tem QUINZE ANOS e já venceu 3 jogos de challenger, 1 em Alicante e dois em Murcia, venceu o martinez que é top 200, quase venceu o rosol que é top 200 tbm e essa semana no quali do atp 500 tirou set do Pedro Sousa que está quase no top 100 e é muito bom jogador….Tem tudo pra esse ano já começar a disputar pra valer os challengers, ele não tem medo de quem está do outro lado da quadra, não perdeu nenhum desses jogos em sets diretos….

    Reply
  4. Tarcisio

    Basta ver a quantidade de tenistas italianos entre os 100 e 200 melhores, pra perceber o excelente trabalho de base que está sendo feito nesse país. Se não me engano, a Itália é o 2º país com mais tenistas entre os 200 melhores, só atrás dos Estados Unidos, deixando pra trás figurões como Espanha, França, Alemanha e Argentina.

    Reply
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>